ECONOMIA


21-02-2024 19:27

Pedra Badejo, 21 Fev (Inforpress) – O ministro-adjunto do primeiro-ministro para a Juventude e Desporto considerou hoje que a agricultura é algo transversal, posicionando-se como um “instrumento poderoso” para o combate r a desigualdade e promover a inclusão social.

Carlos Monteiro fez esta consideração no seu discurso de encerramento de uma acção de formação em

"Empreendedorismo agrário e Água residuais tratadas para agricultura", ministrada a 24 jovens no município de Santa Cruz, implementada pelo Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ), em parceria com a Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS), e financiada pela Unesco.

Segundo este governante, o foco é atrair e reter os jovens na agricultura, justificando que “não há agricultura nem no presente e muito menos no futuro se hoje os jovens não começarem a se interessar pela agricultura”.

Daí, sublinhou que é preciso atrair e retê-los nesta área, mas voltada para o agronegócio, mostrando-lhes que a agricultura hoje não é somente dificuldades como nas gerações passadas, sublinhando que o “presente e o futuro” do país são os jovens e o presente e o futuro de qualquer actividade económica também são os jovens.

Na questão das dificuldades, sublinhou que os jovens são atraídos pela tecnologia, ressaltando que hoje existe muita tecnologia empregue na agricultura, o que torna possível fazer desta actividade uma forma melhorada e diversificada e que ajuda este sector a alavancar a economia de Cabo Verde. 

Da parte da ANAS, a administradora-executiv, Marize Gominho, explicou que a formação se enquadra num projecto de sensibilização de jovens mulheres na reutilização das águas tratadas na agricultura, e que proporcionou momentos de reflexão e debates sobre questões e desafios que actualmente se deparam na mobilização e gestão de água para a rega.

Segundo esta responsável, a agricultura é o sector que consome mais água, e no país que praticamente não chove, consome-se principalmente água subterrânea, embora tenha alguma água das barragens, mas que é muito reduzida.

Com a demanda que se está a crescer, avançou que o Governo tem estado a apostar e a implementar estratégias para mobilização de água para a agricultura, nomeadamente na dessalinização da água para o abastecimento, mas também agora para a rega e no tratamento de águas residuais. 

Esta formação, conforme destacou, teve duas componentes, sendo que a primeira foi a parte do empreendedorismo e agronegócio e uma outra componente sobre águas residuais tratadas para a agricultura, incentivando e mostrando aos jovens como se pode trabalhar no desenvolvimento sustentável da agricultura.

Já o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva, considerou que o futuro dos jovens pode ser a aposta no agronegócio, justificando que tudo hoje é à base do empreendedorismo.

Neste sentido, desafiou os jovens a saberem aproveitar as oportunidades na vida quando existem, mas quando não existirem para as criar.

Sobre a agricultura, aconselhou aos jovens a se dedicarem mais, mas apostando no empreendedorismo, realçando que é uma área importante desde que seja vista numa perspectiva empresarial e para isso pediu-lhes que aproveitem todas as formações disponíveis na área, tanto da agricultura, como também do empreendedorismo e da tecnologia, pois todo o conhecimento “é útil”.
Por seu turno, o formando Welton Semedo, em representação dos colegas, agradeceu por esta oportunidade, e mostrou-se comprometido e disponível em contribuir para a partilha das informações recebidas durante a formação.

Igualmente, comprometeu-se a dar um contributo na área do desenvolvimento agrícola voltada para o empreendedorismo, desafiando as entidades responsáveis para esta formação no sentido de expandi-la a mais jovens no país, tendo em conta a importância da mesma no sector agrícola e o desafio que o país possui para resolver a questão da água para esta área. 

O projeto, que abrange as ilhas de Santiago, São Vicente e Sal (Espargos), tem como principal objetivo sensibilizar e mobilizar jovens mulheres agricultoras no fomento dos agronegócios e na utilização responsável das águas residuais tratadas na agricultura.

MC/JMV
Inforpress/Fim

21-02-2024 18:24

Cidade da Praia, 21 Fev (Inforpress) – Cabo Verde foi apontado pelo jornal inglês “The Sun” como um dos dez destinos paradisíacos a viajar, destacando as dez ilhas, o ar límpido no Inverno, onde se pode observar tartarugas e fazer ciclismo no deserto.

O The Sun online destaca Cabo Verde ainda pelas suas temperaturas médias de 25oC e sol diário, focando na sua localização na costa oeste do Senegal, para convidar o viajante a escapar para uma “ilha paradisíaca” que fica a apenas seis horas de voo, de Londres.

“Não há melhor forma de conhecer Cabo Verde do que explorar o próprio arquipélago pontilhada por muitas ilhas verdejantes e onde os turistas gravitam em torno das ilhas do Sal, Santiago e Boa Vista”, refere o The Sun que faz acompanhar a reportagem com um vídeo sobre diferentes destinos em Cabo Verde.

Segundo o The Sun online, a ilha do Sal é a mais popular para os turistas, por ser constituída por praias de areia branca, águas quentes e cristalinas, mas também por resorts e actividades diversificadas.

A ilha da Boa Vista é descrita pelas suas belas dunas e paisagens vulcânicas, onde se pode avistar a baleia jubarte caso haja sorte.

São Vicente é relatada por ser o centro cultural de Cabo Verde, Santo Antão pelas suas enormes montanhas, São Nicolau pela colorida paisagens e verdes exuberantes e Brava, a menor ilha habitada, por ser conhecida como a ilha das flores.

Santa Luzia é apresentada como ilha desabitada e acessível através de passeio de barco a partir de São Vicente, Maio como um sítio onde os turistas podem fugir e encontrar uma lagoa de três quilómetros e Fogo pelo seu pico vulcânico mais alto do país.

No Sal, além de referir sobre o festival de Setembro, a revista aconselha os turistas a admirarem os edifícios em tons pastéis de Santa Maria, onde as ruas são perfeitas para tirar fotos.

“Não há nada melhor do que relaxar numa das muitas praias arenosas de Cabo Verde. Com águas mornas azul-turquesa e areia branca, as praias de Santa Mónica e Praia de Chaves na Boa Vista e Santa Maria no Sal são perfeitas para uma escapadela de sol de inverno”, destaca, mencionado também a possibilidade de se praticar windsurf, kitesurf e vela na ilha do Sal.

As águas cristalinas da ilha são ideais para se levar o equipamento de mergulho, acrescenta o The Sun online, que indica um estudo do WWF que identifica Cabo Verde como um dos 10 principais pontos quentes globais para comunidades de corais.

“A diversidade de vida marinha de Cabo Verde não deixará o turista desapontado por ter corais, peixes e até mesmo naufrágios para admirar e, devido à localização especial, as ilhas são frequentemente fustigadas pelos ventos que sopram do deserto do Sahara, o que é ideal para a prática de desportos de aventura”, frisa.

Sublinha na sua reportagem que Cabo Verde não é apenas férias na praia, mas também momentos de emoção com subidas para o vulcão do Fogo, um local recomendado para os mais corajosos e fortes e de onde se pode ver o oceano.

Cabo Verde, segundo refere o The Sun online, representa também a terceira maior população de tartarugas cabeçudas nidificantes do mundo, e apresenta, na ilha do Sal, dentro da cratera de um vulcão extinto, as salinas de Pedra de Lume com um cenário de águas rasas e rosadas de origem vulcânica onde os visitantes podem flutuar na água em salinas exclusivas e aproveitar os benefícios do sal e da lama com tratamentos e massagens em um SPA.

Para concluir, avança que vale a pena atravessar as extensas dunas douradas da Boa Vista em alta velocidade para compreender plenamente o encanto do deserto.

PC/HF

Inforpress/Fim

21-02-2024 15:14

Santa Maria, 21 Fev (Inforpress) - O secretário de Estado da Economia Digital disse na manhã de hoje no Sal que que a transformação digital na aviação civil está a abrir novos horizontes de inovação e oportunidades.

Pedro Lopes, que se encontra no Sal para presidir à abertura da conferência “Os novos horizontes da aviação civil através da transformação digital”, em comemoração aos 40 anos da Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), lembrou os mais recentes avanços das tecnologias digitais aplicadas à aviação civil no sentido de aproveitar os novos horizontes nesta área.

“A transformação digital não é apenas sobre inovação e progresso, é também sobre responsabilidade e compromisso. À medida que se abraça as oportunidades oferecidas pela tecnologia digital, devemos fazê-lo com olho firme num futuro sustentável na nossa indústria, precisou a mesma fonte.

Daí considerar “um imperativo” manter a segurança, a eficiência e a sustentabilidade no centro de tudo, procurando constantemente maneiras de “reduzir a pegada ambiental” e proteger o meio ambiente para as gerações futuras.

Lopes declarou que é essencial reconhecer o papel “fundamental” que a aviação civil desempenha no tecido da sociedade globalizada.

Em Cabo Verde, continuou, “uma nação abençoada, com uma rica diversidade geográfica e cultural”, a aviação é muito mais do que meios de transportes, é “um ponto vital” que conecta as ilhas e as comunidades ao redor do mundo, facilitando intercâmbio de pessoas, ideias e recursos que impulsionam o progresso e prosperidade da nação.

NA/AA

Inforpress/Fim

21-02-2024 14:22

Santa Maria, 21 Fev (Inforpress) - O presidente do conselho de administração da ASA, Moisés Monteiro, salientou no Sal que as tecnologias digitais têm impulsionado uma evolução constante do sector da aviação e da navegação aérea assim como em todos os sectores de actividade.

Segundo Moisés Monteiro, é necessário saber tirar proveito dessas tecnologias, garantindo que a Aeroportos e Segurança Aérea (ASA) já está a dar passos no sentido de digitalizar todos os seus serviços.

“A ASA já está a dar passos para digitalizar os seus serviços, concluído a primeira fase de digitalização dos serviços de informação aeronáutica, implementando uma base de dados em linha com o estado da arte e passou a publicar as informações aeronáuticas de Cabo Verde em formato electrónico”, salientou.

O PCA da ASA, que discursava durante o acto de abertura da conferência em comemoração aos 40 anos da empresa, sob o lema "Os Novos Horizontes da Aviação Civil através da Transformação Digital", confirmou ainda que nesta rota de modernização, a ASA apostou num novo sistema de gestão de tráfego aéreo que permite maior segurança de entre outros benefícios.

“A ASA fez há pouco mais de seis meses o lançamento do novo sistema de gestão do tráfego aéreo, com tecnologias de ponta, desenvolvida por um dos líderes mundiais da indústria(...) acreditamos que a transformação digital da navegação aérea é o caminho, com benefícios substanciais para a eficiência, segurança e a sustentabilidade”, disse.

Moisés Monteiro sublinhou ainda que pela “performance” operacional e económico-financeira de 2022 e estimada de 2023, a empresa já está de facto numa trajectória de recuperação.

“Perspectivamos no presente ano de 2024, atingir o nível de tráfego aéreo de 2019, alcançando a marca dos 60 mil sobrevoos no nosso espaço aéreo”.

Entretanto o PCA diz estar cientes dos desafios que se colocam nesta área, pelo que evidenciou que tal conferência é no sentido de “partilhar ideias e recomendações sobre como melhor aproveitar de forma segura as oportunidades oferecidas pelo mundo digital”, conclui.

NA/ZS

Inforpress/Fim

21-02-2024 12:49

Porto Novo, 21 Fev (Inforpress) – Santo Antão está em evidência no ‘site’ italiano capoverdeGO.it especializado em informação turística, que mostra a baía da cidade do Porto Novo, o ponto de desembarque de todos os visitantes que chegam a esta ilha.

Este ‘site’ de informação turística, dedicado sobretudo a italianos que desejam visitar as ilhas de Cabo Verde, acaba de criar uma nova ‘webcam’ de entrada da ilha Santo Antão, elevando para nove o número de ‘webcams’ em Cabo Verde, sendo quatro na ilha do Sal, dois em São Vicente, dois na Boa Vista e o outro em Santo Antão.

Com este ‘webcam’, Santo Antão passa a ser destacado no site capoverdeGO.it, com imagens da baía da cidade do Porto Novo, durante 24 horas por dia.

Conforme este site, “é cada vez maior o número de webcams disponíveis neste site de informação turística dedicado a italianos e italianas que desejam visitar as ilhas do Oceano Atlântico”.

Todos os ‘webcams’ estão acessíveis através da página Webcam, na secção multimédia, que, segundo a mesma fonte, tem sido “um incrível veículo promocional, que todos os dias chega a milhares de pessoas em todo o mundo”.

O site capoverdeGO.it é o guia online escrito, que “nasceu da vontade de contar a história de um território, ouvindo as vozes dos habitantes, mostrando os seus ofícios, hábitos e costumes graças sobretudo à força das imagens. 

JM/CP

Inforpress/Fim

20-02-2024 20:46

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) – O Governo procedeu hoje ao lançamento do processo de privatização dos 61 por cento (%)  que detinha na Cabo Verde Handling,  (%) dos quais 51% é destinado ao parceiro estratégico e 10% aos trabalhadores da empresa e cabo-verdianos na diáspora.

O coordenador da Unidade de Acompanhamento do Sector Empresarial do Estado (UASE), Sandeney Fernandes, avançou hoje, durante o acto de lançamento ocorrido hoje  na cidade ade da Praia, que todo o processo, mormente relatórios e contas associadas à venda estão disponibilizados no portal do Ministério das Finanças.

Conforme adiantou, o processo leva em conta, além do valor proposto pelo parceiro estratégico, outros elementos, como avaliação dos activos da empresa e as perspectivas de futuro.

Esta fase, revelou, é destinada a pré-qualificação e manifestação de interesse, ou seja, conhecer os potenciais investidores, fazer a avaliação documental e garantir que todo o processo esteja a ser seguido dentro do quadro legal apresentado.

“Com este acto de lançamento público, estaremos a fazer a publicação do último anúncio na sexta feira, depois teremos 30 dias para receber a manifestação de interesse. Temos uma estimativa de seis meses para concluir o processo ", asseverou.

Para a diáspora, precisou, o quadro legal da privatização determina que até 10% da capital social da CV Handling se destina aos trabalhadores e emigrantes, e 5% aos trabalhadores, sublinhando que o processo será feito de forma sequencial.

“No valor que ficar concluído agora com os parceiros estratégicos, os trabalhadores e os imigrantes podem ter a possibilidade de conseguir um desconto até 15% do valor” anunciou, realçando que caso a procura exceda a oferta, será feito rastreio para os que subscreveram para adquirir as acções.

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças e Fomento Empresarial, Olavo Correia, presente no acto, frisou que a privatização da CV Handling enquadra-se nas reformas para captar investimentos privados, aumentar o crescimento interno e criar as condições para produzir emprego em Cabo Verde.

Na visão do governante, é fundamental continuar a investir para ter um sector privado mais forte e competitivo, capaz de produzir, expor e inovar, criando mais oportunidades para os jovens.

“Por isso, temos estado com esta agenda de privatização e concessões e desta vez é da Cabo Verde Handling. Uma empresa importante para a economia de Cabo Verde, a visão para o país de criar um serviço público de transportes aéreos e sobretudo de criar uma zona especial da economia área ancorada no hub aéreo da ilha do Sal que deverá desenvolver negócios, contribuindo para o mercado aéreo” , avançou.

A CV Handling, criada em 2014, constitui a única operadora licenciada para a prestação de serviços de assistência ao transporte aéreo, mantendo a exclusividade até que cada aeroporto atinja um movimento igual ou superior a dois milhões de passageiros embarcados ou 25 mil toneladas de carga.
 
LT/JMV
Inforpress/Fim

20-02-2024 17:59

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) - A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) divulgou hoje uma brochura que relata o resultado de um processo de gestão do conhecimento e capitalização de boas práticas identificadas na pesca artesanal em Cabo Verde.

O documento, segundo FAO, divulga o processo de “salga-secagem” de peixe por mulheres transformadoras em São Vicente, um projecto que faz parte da implementação da componente da África Ocidental do programa Iniciativa Pesca Costeira (CPI).

O objectivo, explica a mesma fonte, é apresentar e partilhar o dinamismo das mulheres transformadoras de marisco em Cabo Verde e a forma como produzem peixe seco e salgado.

Trata-se, conforme FAO, de um processo que pretende contribuir para que a pesca costeira global proporcione benefícios ambientais, sociais e económicos sustentáveis, através da criação de uma melhor governação, incluindo os incentivos adequados, um ambiente propício e a utilização de processos mais holísticos e abordagens integradas.

A Iniciativa Pesca Costeira é um esforço colaborativo global financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) e reúne agências das Nações Unidas, como a FAO, o PNUD e o PNUMA, o Banco Mundial, organizações não-governamentais internacionais, incluindo a Conservação Internacional e o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), e os governos envolvidos.

O CPI consiste em cinco projectos interligados em seis países, incluindo três da África Ocidental (Cabo Verde, Costa do Marfim e Senegal).

PC/CP

Inforpress/Fim

20-02-2024 13:57

Porto Novo, 20 Fev (Inforpress) – Os produtores do queijo do Planalto Norte, Porto Novo, Santo Antão, têm estado a trabalhar para que “no futuro” possam conseguir “a tão almejada” certificação deste produto, cuja qualidade é reconhecida a nível nacional e internacional.

Quem o diz é o presidente da Associação Luz Verde do Norte, Maduine Lima, que admitiu que a certificação do queijo exigirá muito dos produtores, que têm estado a trabalhar com vista a “um dia” obter a certificação deste produto, que já foi galardoado em feiras internacionais.

Esta associação já operacionalizou a fábrica de queijo em Chã de Feijoal, que tem permitido a produção com maior qualidade, avançou à Inforpress este responsável, para quem a fábrica foi construída no âmbito de uma estratégia de, no futuro, conseguir a certificação do queijo do Planalto Norte.

Além do queijo de fresco, que tem a chancela de Património Mundial do Gosto, atribuída pela Fundação Slow Food (Itália), essa unidade produz ainda ricota e queijo curado.

Um outro propósito dos produtores é conseguir também o selo de origem dos produtos genuínos de Santo Antão, avançou o líder associativo.  

Os criadores de gado no planalto Norte chegaram a beneficiar do programa de assistência técnica desencadeado pelo Instituto de Gestão da Qualidade e da Propriedade Intelectual (IGQPI), o qual foi finalizado em meados de 2022.

Numa visita ao Planalto Norte, em 2023, o primeiro-ministro disse que o queijo que se produz nessa zona do concelho do Porto Novo tem “qualidade para competir em qualquer parte do mundo”.

JM/AA

Inforpress/Fim 

20-02-2024 12:36

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) - A Inspecção-geral das Actividades Económicas (IGAE) iniciou a fiscalização nas unidades de produção do grogue neste mês de Fevereiro, confirmou hoje à Inforpress o inspector-geral, Paulo Monteiro.

As unidades de produção do grogue iniciaram os trabalhos desde o mês de janeiro e a IGAE principiou a primeira fase de fiscalização para o início da descelagem da produção, primeiramente nas ilhas de Santo Antão e Santiago, as ilhas onde constam maior número de unidades de produção.

Por enquanto, avançou a mesma fonte, os inspectores estão no terreno a averiguar as licenças, se estão em conformidade com a lei e a condição dos espaços para “uma produção de qualidade”.

Sem adiantar se já houve alguma irregularidade, segundo Paulo Monteiro trata-se de dados que serão divulgados mais à frente num balanço geral dos trabalhos.

“Tendo em conta que as fichas vão entrando, se não vamos perturbar as equipas que estão no terreno", explicou, mas, no entanto, continuou, pode encerrar ou suspender a produção se o produtor não tem o licenciamento, isto é, se não está autorizado para fazer a produção.

Sublinhou ainda que todos os anos o Governo vai aumentando o número de percentagem para a qualidade, mesmo das instalações, mas também da produção.

“Os inspetores já estão cientes desta matéria, neste momento estamos no nível de 50 % que devem cumprir com os procedimentos, de acordo com o regulamento”, assegurou Paulo Monteiro.  

A nível nacional existem cerca de 400 unidades de produção do grogue, incluindo também as ilhas do Maio e de São Nicolau.

OS/AA

Inforpress/Fim

20-02-2024 12:19

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) – A Autoridade da Concorrência (AdC) decidiu não se opor a notificação da Taiwan Cement Europe Holdings B.V. sobre à aquisição do controlo exclusivo indireto da Cimpor Cabo Verde pela via da aquisição da Cimpor Portugal.

Em comunicado, a AdC informou que ao abrigo do estipulado nos artigos 7.º e 30.º do Regime Jurídico da Concorrência, estabelecido no decreto-lei 53/2023, de 24 de Novembro, recebeu a tal notificação no dia 22 de Dezembro de 2023.

Explicou que o documento referia à operação de concentração quanto à aquisição do controlo exclusivo indireto da Cimpor Cabo Verde, S.A., pela via da aquisição da Cimpor Portugal, Holding SGPS, S.A. 

Na sequência, prosseguiu a mesma fonte, a instituição realizou as devidas avaliações, designadamente de Mercados Relevantes e Jus-concorrencial, tendo o seu conselho de administração, no uso das suas competências, deliberado adotar uma decisão de não oposição à operação de concentração.

“Uma vez que a mesma não é suscetível de criar ou reforçar uma posição dominante da qual possam resultar entraves significativos à concorrência efetiva nos mercados relevantes identificados", justificou.  

A Cimpor Cabo Verde com sede na cidade da Praia é subsidiária da Cimpor Portugal, Holding SGPS, S.A, opera no mercado cabo-verdiano de produção de cimento, de betão pronto e agregados.

Em Cabo Verde, refere o comunicado, o Grupo Taiwan Cement Europe Holdings B.V. (TCC, sigla em inglês) não detém, individualmente ou conjuntamente, qualquer participação em empresas que actuem nos mesmos mercados em que a Cimpor opera, não tendo realizado qualquer volume de negócios no ano de 2022.

“No entanto, importa realçar que a nível mundial a TCC realizou referente ao supramencionado ano, volume de negócios calculado em (<500.000) milhões de escudos”, lê-se no documento.

Em relação à Cimpor, nos termos e para efeitos do artigo 8.º da lei da concorrência, salientou que realizou no ano 2022 volume de negócios (<5.000) milhões ECV e de (< 50.000) milhões ECV em Cabo Verde e a nível mundial respetivamente.

“Para efeitos de delimitação dos mercados do produto relevante, a notificante relativamente a Cabo Verde considera como relevantes os mercados por referência as actividades da Cimpor, mercado de comercialização de cimento cinzento, mercado para a produção e venda de betão pronto, mercado para a extracção e comercialização de agregados", ressaltou. 

A Cimpor Cabo Verde afirma ser líder no mercado de cimento, de cimentos cola e de aço, e assume a produção de betão e agregados como uma prioridade, tendo investido mais de seis milhões de euros na instalação de duas novas centrais de britagem e duas novas centrais de betão nas ilhas de Santiago e do Sal.

Em 2019 foi vendida aos turcos da OYAK, grupo  líder no mercado cimenteiro da Turquia, que adquiriu também a Cimpor Portugal.

As empresas eram detidas pela brasileira InterCement.

ET/AA

Inforpress/Fim

20-02-2024 12:05

Porto Inglês, 20 Fev (Inforpress) - A ilha do Maio vai dispor, no próximo mês de Julho, do seu mais novo mercado de peixe, com todas as condições e será também um atractivo turístico para a ilha, garantiu o ministro do Mar.

Segundo enfatizou o ministro do mar Abraão Vicente, a ilha vai receber, "brevemente", investimentos turísticos de grande dimensão, o que trará nova dinâmica social e económica para a ilha, que, por seu lado, exigirá a criação de infra-estruturas com condições para a prestação de serviços de qualidade.

Conforme alegou aquele governante, o mercado de peixe foi delineado para também ser um ponto de atracção turística, à semelhança do que vem acontecendo nas outras ilhas do país.

Por seu lado, o edil maiense, Miguel Rosa, enfatizou o apoio do Governo, que, através do Fundo Autónomo das Pescas, financiou com cerca 6 mil contos o projecto orçado em 15 mil contos e que conta ainda com o financiamento do Fundo do Ambiente, sendo o restante coberto pelo cofre da edilidade.

Miguel Rosa enalteceu a celeridade na disponibilização da verba para execução dos trabalhos por parte do Governo, sublinhando que os trabalhos estão a decorrer a “bom ritmo".

Afiançou ainda que a empresa que está a realizar os trabalhos, há cerca de um mês, tem dado garantia de que vai ser cumprido o prazo estipulado, assim sendo manifestou a sua convicção de que no próximo mês de Julho, os maienses vão usufruir daquela infra-estrutura.

WN/ZS

Inforpress/ Fim

20-02-2024 11:36

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) – O Governo através de uma nota de imprensa informa que no 4º trimestre de 2023, o ritmo de crescimento económico inverteu a tendência decrescente do último trimestre, revelando uma conjuntura económica favorável.

O diagnóstico, segundo nota de imprensa divulgado hoje pelo Governo, resultou, principalmente, da síntese das apreciações positivas transmitidas pelos empresários dos ramos de comércio em feira e em estabelecimentos, do turismo, da construção e da indústria transformadora, conforme dados do INE.

Os preços, refere a mesma fonte, voltaram a cair no último trimestre do ano, sendo que, em Dezembro, a inflação média anual foi de 3,7% (ante, 7,9% no período homólogo), derivado fundamentalmente da evolução decrescente dos preços internacionais dos bens energéticos e dos bens alimentares no mercado internacional.

No sector externo, sublinha o documento, os dados da Direcção Geral das Alfândegas mostram que a balança comercial de bens registou um superavit de 12,1%, no 4º trimestre de 2023.

“As exportações de bens caíram 36,4% em valor e 60,3% em volume, nomeadamente de produtos do mar (-57,6% em valor e -64,0% em volume)”, lê-se na nota de imprensa.

Ainda o Governo, as importações de bens caíram 13,6% em valor e 3,1% em volume, devido aos desempenhos registados nas categorias de bens de consumo (-7,7% e -3,8% em valor e volume, respetivamente), bens intermédios (-14,0% em valor e +2,4% em volume) e combustíveis (-28,6% e -17,1%, respectivamente).

As importações de bens de capital, acrescenta, reduziram 15,1% em valor e 25,7% em volume, podendo impactar a dinâmica dos investimentos privados, particularmente nos sectores dos transportes, da construção civil, imobiliária e indústria.

No sector monetário, os dados acumulados até Novembro de 2023, mostram crescimento contínuo nos activos monetários, particularmente dos activos externos (+24,5%), originando um aumento de 5,5% da massa monetária (+7,3% em Novembro de 2022).

Ainda o Governo, as reservas internacionais líquidas, cresceram 12,8%, face ao período homólogo, tendo garantido 5,8 meses das importações estimadas para 2023.

O crédito à economia cresceu 5,8%, tendo o crédito ao sector privado crescido 5,5%, podendo impactar positivamente os investimentos privados, no período referente, apesar do aumento dos juros activos, por parte do Banco de Cabo Verde, acrescenta o documento.

De acordo com a nota de imprensa do Governo, o défice público (-0,3%) registou uma melhoria em 3,8 p.p., face ao mesmo período de 2022. A melhoria, explicou, deveu-se ao aumento das receitas (+12.160,8 milhões de CVE, em face à receita arrecadada em 2022), justificado essencialmente pela retoma da actividade económica.

Assim, os dados provisórios da Execução Orçamental, de Dezembro de 2023, apontam para um saldo global negativo de 707,6 milhões de CVE, o que representa um défice de 0,3% do PIB (uma melhoria de 3,8 p.p. em termos homólogos).

Tal resultado, esclareceu a mesma fonte, decorreu do acréscimo na arrecadação das receitas totais (+21,3%, comparativamente a Dezembro de 2022), com destaque para os impostos (+12,6%).

As despesas, no período, registaram um agravamento na ordem dos 4,6%, comparativamente a Dezembro de 2022.

O agravamento, elucida o Governo, decorre das actividades de funcionamento, bem como, para atenuar os efeitos causados pela guerra entre a Rússia e a Ucrânia, no âmbito das medidas de políticas para reforçar a resiliência do sistema petrolífero/energético e do sistema alimentar do país, face à escalada de preços a nível internacional, na decorrência da crise internacional.

Já o saldo corrente primário/PIB registou melhoria significativa comparativamente a 2022, situando-se em cerca de 9.242,4 milhões de CVE positivos (+3,6% do PIB) no concernente ao 4º trimestre de 2023.

“O aumento das receitas totais e a limitação estrutural do lado das despesas, traduziram-se numa diminuição das necessidades de financiamentos com impacto directo na dívida pública, cujo stock, em Dezembro de 2023, fixou-se em 296.098,2 milhões de CVE, ou seja, 113,9% do PIB, uma diminuição de 11,8 p.p. em relação ao mesmo período de 2022”, sublinha a nota que ressalta que tais dados indicam uma melhoria na situação fiscal do país.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Exibindo 1 para 12 de 60