Sociedade


19-04-2024 22:36

Ribeira Brava, 19 Abr (Inforpress) – O agrupamento número um do município do Tarrafal de São Nicolau recebe este ano o ato central Dia do Professor Cabo-verdiano, na ilha de São Nicolau, que vai reunir docentes de todos os pontos da ilha.

Segundo João Rodrigues, do agrupamento que este ano recebe as actividades, tem sido hábito em São Nicolau todos os anos os professores de toda a ilha se reunirem num ponto para celebrar a data.

“Este ano cabe a nós receber o acto central e estamos a preparar para receber professores de toda a ilha com um programa ambicioso de actividade”, afirmou, sublinhando que para isso desde o mês de Março tem vindo a decorrer actividades para angariação de fundos.

De acordo com o mesmo, do programa consta a realização de actividades desportivas, culturais e recreativas para além de homenagens durante uma gala que vai acontecer na segunda-feira,20.

“A Gala terá duas partes, a primeira vamos prestar homenagem a quatro professores do município recém aposentados e o segundo momento será cultural em que um professor de cada agrupamento vai cantar uma música- O professor canta”, avançou.

Já para o dia 23, as atcividades vão centrar-se na praia de “Boxe Rotcha”, com a realização de jogos de futebol de praia, aeróbica e um momento cultural.

WM/JMV
Inforpress/fim

19-04-2024 20:56

Ribeira Brava, 19 Abr (Inforpress) – A Escola Secundária Baltazar Lopes da Silva, na cidade da Ribeira Brava, São Nicolau, tem em curso um leque de actividades para assinalar a semana do seu patrono.

Em declarações à Inforpress, a directora da escola, Fernanda Gomes, adiantou as actividades iniciaram-se no  dia 11 de Abril  e prolongam-se até à próxima segunda-feira, 22, com realização de actividades desportivas, conversas abertas, exposições, concurso de leitura e feira de livros.

Um dos pontos altos das actividades é a realização da segunda edição da “Corrida da Casa de Chiquinho”, que vai acontecer neste sábado,20, envolvendo atletas, alunos e professores.

“Terremos provas nos escalões sénior, com partida a partir da casa do “Chiquinho” em Caleijão, até o terreiro,Juvenil, com partida de Morro, Infantil e ainda brincar de atletismo com crianças, esse evento que já vai na sua segunda edição, tendo sido objecto de premiação na XI edição Gala do Desporto pela Câmara Municipal da Ribeira Brava”, realçou.

Em paralelo com as provas de Atletismo, segundo a mesma fonte, será realizado no Terreiro da Ribeira Brava, uma Feira de Livros.
Fernanda Gomes avança que as actividades da semana do patrono encerram-se na segunda-feira,22, com a realização do acto solene, para além da apresentação do site do agrupamento 1 da Ribeira Brava e a realização de actividades culturais.

WM/JMV
Inforpress/Fim
 

19-04-2024 19:59

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) – O Governo, através da ministra da Saúde, Filomena Gonçalves, assegurou hoje que está a cumprir na íntegra e, dentro do prazo, todos os pontos do acordo assinado com os sindicatos representativos dos profissionais da saúde em Novembro passado.
Esta garantia foi dada à imprensa no final de um encontro com os sete sindicatos representantes dos Profissionais de Saúde realizado em formato híbrido, tendo na agenda a apresentação do ponto de situação e informações sobre o nível de cumprimento do acordo firmado entre as partes.
Dos sete pontos acordados a ministra da Saúde confirmou que já estão cumpridos três compromissos, nomeadamente, o processo de transição dos médicos para a carreira, executado em duas fases, a implementação do descanso semanal dos enfermeiros, e o enquadramento dos enfermeiros licenciados.
“O Governo já cumpriu na íntegra todos os pontos do acordo e nós voltamos a reafirmar que o Governo é uma pessoa de bem, firmou o acordo, e para além do quadro legal é o compromisso que nós estamos a cumprir”, afiançou.
A ministra prometeu que, à semelhança daquilo que este Governo tem feito, vão continuar a fazer tudo aquilo que é possível e que seja compatível com as capacidades do país para o bem e para a protecção do maior activo do sector.
“As carreiras estão a ser trabalhadas no quadro do acordo que o país conhece que foi celebrado no mês de Novembro, nós temos o prazo, estamos dentro do prazo, o trabalho está a ser feito, portanto, nós conseguimos vislumbrar alguma questão concreta”, reforçou.
Conforme salientou é intenção do Ministério da Saúde trabalhar para ter um quadro igualitário para todos os profissionais de saúde, sem excepção, sublinhando que os compromissos são para serem cumpridas, que o quadro legal está a ser desenhado, as classes ou os profissionais que não tinham um  quadro também está a ser desenhado do zero.
“Agora eu aproveito para dizer que nós já regularizamos muitas das outras situações, diariamente trabalhamos isso, porque é nossa obrigação e este Governo é um Governo de rosto humano, e vai fazer com que, sobretudo, os profissionais tenham condições de trabalho”, avançou.
Isto porque reconheceu que é importante o ambiente laboral, a actratividade, que estes profissionais tenham todas as condições para que cada um possa dar o máximo daquilo que tem a dar, sobretudo no sector em que a humanização, os cuidados, as fragilidades impõem que os mesmos tenham as melhores condições para trabalhar.
Os sete sindicatos que representam os profissionais de saúde, designadamente, o  SINTCAP, SISCAP, SINTAP, SINMED, SINDEF, SLTSA, SICOTAP tinham aventado uma possibilidade de greve no ano passado caso o Ministério da Saúde não apresentasse nenhuma garantia de resoluções das reivindicações da classe.
Constam do referido caderno reivindicativo dos profissionais da saúde, de entre outras, questões como a necessidade de regulamentação da carreira médica, a regulamentação da carreira dos enfermeiros, a criação de um estatuto especial para os técnicos desse Ministério, também a aprovação do Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) do Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP), e a necessidade de uma nova grelha salarial.
ET/JMV
Inforpress/Fim
 

19-04-2024 15:39

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) - O Sindicato da Indústria, Serviços, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP) denunciou hoje, aquilo que considera ser “abusos e violação de normas laborais”, que põem em causa os princípios e direitos dos trabalhadores da Sonerf.

Em conferência de imprensa, realizada em frente às instalações da Sociedade Nacional de Engenharia Rural e Florestal (Sonerf), em Achada São Filipe, na cidade da Praia, o vice-presidente, Francisco Furtado, acusou o presidente da instituição e o ministro da Agricultura e Ambiente de violar um conjunto de normas e direitos adquiridos dos trabalhadores.

Trata-se, segundo adiantou, de um momento oportuno para os trabalhadores manifestarem os seus sentimentos de tristeza e descontentamentos e repudiar a inércia desses responsáveis, perante uma ausência total de informações solicitadas, por parte dos colaboradores e do sindicato representante, em relação a resolução das reivindicações laborais.

De entre as reivindicações está o atraso de pagamento de vencimento, não publicação e implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) ou Plano de Carreiras, Funções e Remunerações (PCFR), atraso nos envios dos descontos ao Instituto Nacional de Prevenção Social, situação essa, que tem vindo a criar alguns constrangimentos aos mesmos.

“O incumprimento de procedimentos administrativo por parte do ministério, perante a falta de resposta de uma nota enviada pelo SISCAP em Janeiro deste ano, solicitando as informações necessárias sobre a sustentabilidade económica da empresa e da existência ou não de um processo negocial, de fusão entre a Sonerf e a Água de Rega e ou extensão da Sonerf, na sequência de alguns rumores que têm vindo a circular diante dos trabalhadores”, apontou.

Francisco Furtado avançou que perante essa possibilidade, o sindicato exige que os pendentes sejam imediatamente regulados, sendo que “a situação é particularmente difícil e os trabalhadores já não acreditam no presidente e no ministro”.

Segundo explicou, o processo de implementação do PCCS e do estatuto da empresa são dossiês que estão ainda em banho-maria, situação essa que tem levado os trabalhadores a enfrentar enormes dificuldades financeiras já que a situação se arrasta desde 2017.

O sindicalista não descarta a hipótese de partirem para outras formas de luta caso a situação não se resolva.

Em representação dos trabalhadores, José Eduardo Tavares disse que os funcionários se sentem “discriminados e desmotivados” com a actual situação da empresa e as “violações cometidas pelo presidente”.

"Neste momento estão de mãos amarradas. Há um mês e 19 dias que não recebemos o salário e ninguém nos diz nada e nem sabemos quando é que vamos receber, enquanto isso somos todos chefes de famílias com filhos nas creches e escolas com responsabilidades a cumprir no final de cada mês junto à banca", referiu.

AV/CP

Inforpress/Fim

19-04-2024 15:00

Porto Novo, 19 Abr (Inforpress) – A paróquia de São João Baptista, no Porto Novo, renovou hoje o apelo aos paroquianos, benfeitores e devotos do santo padroeiro a apoiarem na construção da igreja matriz desta paróquia, cujas obras têm início ainda no decurso deste ano.

Esta paróquia informou que a antiga igreja paroquial já está a ser demolida e no sítio vai ser erguida a nova igreja matriz, pelo que a paróquia “continua a contar com a ajuda” da comunidade paroquial, amigos e benfeitores.

A antiga igreja paroquial do Porto Novo, construída em 1977, foi encerrada em finais de 2023, devido ao seu estado avançado de deterioração.

Esta paróquia tem estado a apelar também às instituições porto-novenses a apoiarem a campanha de mobilização de recursos financeiros para a construção da igreja matriz da paróquia de São João Baptista, no Porto Novo, que terá a capacidade para receber 700 pessoas.

O bispo da Diocese do Mindelo, na sua recente visita a Porto Novo, em Março, abordou com os paroquianos a construção da igreja matriz, pedindo o envolvimento dos porto-novenses residentes em Cabo Verde e na diáspora à volta deste projecto.

Também, a paróquia conta com a participação de um grupo de “embaixadores de boa vontade” cuja missão é procurar “apoios e parcerias” para a construção do edifício.

JM/HF

Inforpress/Fim

19-04-2024 14:36

São Filipe, 19 Abr (Inforpress) – A via que liga o Largo de Cruz dos Passos a Santa Filomena, interditada desde Agosto de 2023, na sequência dos estragos provocados pelas chuvas, vai ser reaberta ao trânsito a partir do fim de semana.

O presidente das Estradas de Cabo Verde (ECV), Eduardo Lopes, que se encontra na ilha do Fogo, disse, após visitar as obras, que a asfaltagem desta via será concluída hoje ou no sábado, 20, podendo assim reabrir para circulação de viaturas e pessoas.

Eduardo Lopes reconheceu que o troço Cruz dos Passos/Santa Filomena é a via principal e de maior movimentação de viaturas, mas sublinhou que assim que o processo de asfaltagem for concluído a via estará transitável.

Este troço de maior circulação de viaturas e de pessoas foi atingido pela força das águas por duas vezes, que provocou “estragos substanciais” e está fechado ao trânsito há mais de nove meses.

Com a conclusão da asfaltagem do troço, assegurou, a empresa vai proceder à sinalização horizontal e vertical, quer nesta via como a de acesso ao porto de Vale dos Cavaleiros e as outras vias reabilitadas no centro histórico e na parte alta da cidade de São Filipe.

Com a conclusão dos trabalhos na via de Santa Filomena, o Largo de Cruz dos Passos será devolvido à população depois da sua reabilitação e requalificação.

O presidente da câmara de São Filipe, Nuías Silva, anunciado para o dia 25 de Abril a inauguração da via, no quadro das festas do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe.

Além de visitar a via de Cruz dos Passos/Santa Filomena, a missão das Estradas de Cabo Verde efectuou uma visita ao troço de estrada de Piorno a Campanas de Cima, que segundo informações avançadas pela empresa será concluído no decurso do mês de Maio.

JR/AA

Inforpress/Fim

19-04-2024 14:29

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) – O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses realiza, a 16 e 17 de Maio, na Praia, o I Congresso Nacional e a 7ª reunião da Rede de Serviços Médico-legais e Forenses dos países de língua portuguesa.

De acordo com informações avançadas à imprensa, pretende-se, com este congresso, proporcionar um fórum para profissionais, pesquisadores e estudantes um fórum para discutirem e compartilharem conhecimentos, descobertas e avanços na área da Medicina Legal e Ciências Forenses.

Este evento tem ainda, como objectivo primordial, promover a partilha das boas práticas, a excelência profissional, o avanço científico e o desenvolvimento contínuo na área de Medicina Legal e Ciências Forenses, contribuindo assim para uma melhor prestação de serviços à justiça e à sociedade.

Pretende-se ainda, “permitir que os profissionais da área se actualizem sobre as últimas pesquisas, tecnologias e práticas em medicina legal e ciências forenses”, oferecer uma plataforma para a troca de experiências e melhores práticas entre os participantes e a promoção do aprendizado mútuo e o aprimoramento das habilidades profissionais.

“O Congresso contará com a participação de renomados profissionais nacionais e internacionais das diversas áreas forenses, que abordarão temas relevantes para a área, desde questões técnicas e científicas, até discussões sobre as práticas e desafios enfrentados no cotidiano da medicina legal e ciências forenses”, lê-se na nota de imprensa.

A presidente do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, Ineida Cabral Sena, assumiu desde Outubro de 2023 a presidência desta rede.

A médica legista vem “demonstrando o reconhecimento do país no cenário internacional e a contribuição significativa dos seus profissionais para o avanço e fortalecimento da cooperação entre os países de língua portuguesa no campo da Medicina Legal e Ciências Forenses.

A Medicina Legal é uma disciplina que combina conhecimentos médicos e jurídicos para fornecer esclarecimentos nos processos judiciais, mediante a abordagem de uma ampla gama de questões, desde investigações sobre mortes até avaliações de agressões físicas e crimes sexuais envolvendo pessoas vivas.

Na área da tanatologia forense, os peritos médico-legais desempenham um papel fundamental na investigação de mortes violentas ou suspeitas de violência, conduzindo autópsias médico-legais para elucidar os factos.

SR/HF

Inforpress/Fim

19-04-2024 14:02

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) - A ministra da Justiça anunciou hoje, na cidade da Praia que o Governo está a estudar a possibilidade de criação de um ateliê na Cadeia Central da Praia para ajudar na reinserção dos reclusos.

Joana Rosa fez este anúncio no acto de abertura da II edição da feira de capacitação artesanal realizada na Cadeia Central da Praia.

A ideia, segundo a mesma fonte, é criar um espaço com condições e divisórias para as áreas de olaria, cabedal, pintura e todas as outras artes, para que os reclusos possam sentir-se ocupados e produzir para o seu sustento.

E, neste caso, apontou Joana Rosa, a feira em marcha visa trabalhar a reinserção social dos reclusos e fazer com que aprendem a arte, conviverem e terem a arte como uma profissão futura, com foco em impulsionar não só a cultura artesã cabo-verdiana na Cadeia Central da Praia, mas também despertar o interesse e envolvimento dos reclusos artesãos.

A feira de capacitação em artesanato exibe em stands dez oficinas e consultoria sobre orientação profissional de jovens artesãos, em áreas

diversas usando materiais produzidos regionalmente.

A mesma enquadra-se nas actividades culturais desenvolvidas na Cadeia Central da Praia como forma de capacitação dos reclusos e aquisição/acréscimo de conhecimentos, referiu também a ministra da Justiça, para quem o objectivo é criar espaços de formação profissional em várias áreas em função da apetência de cada recluso.

De igual modo adiantou que a intenção também é mostrar à sociedade que as pessoas que estão presas “merecem um olhar diferente”.

“E trabalhar os reclusos pressupõe trabalhar as famílias e as comunidades para que possam sentir-se também seguras e terem a noção do papel que cada um tem na reintegração social”, esclareceu Joana Rosa.

Por outro lado, a porta-voz dos artesãos, Leila Alves, disse que a iniciativa representa um “sentido de partilha e empatia e com responsabilidade” em partilhar os seus conhecimentos com os reclusos, no sentido de motivá-los a exercerem esta área.

“Este contacto serve para os reclusos entenderem como é que este trabalho está no mercado, os materiais disponíveis e como podem criar um projecto a base da produção de arte”, finalizou a ministra.

Esta actividade vai na sua II edição com o propósito de reunir o profissionalismo, conectividade, capacitação e partilha num só lugar para estimular o envolvimento e a prática do artesanato no seio prisional.

OS/AA

Inforpress/Fim

19-04-2024 13:30

Mindelo, 19 Abr (Inforpress) - A secretária de Estado de Inclusão Social disse hoje à Inforpress que os jardins que estavam sob a responsabilidade do Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento e que foram municipalizados conheceram melhorias, mas ainda precisam de ajustes.

Lídia Lima fez esta afirmação ao visitar o jardim infantil Amílcar Cabral, em São Vicente, que integra o grupo de quatro jardins municipalizados da Câmara Municipal de São Vicente, e que contam com o apoio do Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social.

Segundo a governante, quando o Governo transferiu esses jardins para a gestão da câmara, o objectivo era descentralizar os serviços e fazer com que essas estruturas sociais tivessem um “melhor acompanhamento” por parte dos serviços do município, que podem detectar as falhas e os constrangimentos e fazer a correção de forma imediata.

“Estando a câmara municipal com essa responsabilidade de fazer o seu acompanhamento e a sua gestão, acredito que, com certeza, tiveram grandes melhorias em termos de funcionamento. Há alguns ajustes que devem ser feitos, nomeadamente na questão dos funcionários, mas, entretanto, a parte física desses estabelecimentos melhorou consideravelmente”, considerou.

Conforme a mesma fonte, a própria câmara fez obras de intervenção, os jardins “melhoraram em espaço físico e estão mais confortáveis, com um ambiente mais agradável e mais fresco”.

Também destacou “melhorias consideráveis” em relação ao próprio funcionamento, à alimentação e a outros tipos de actividades que são feitas nesses jardins.

No entanto, Lídia Lima reconheceu que há necessidade de ajustes em relação aos funcionários dessas instituições que pretendem ir para a reforma para que tenham uma “aposentação tranquila” e “sem grandes constrangimentos”.

“Ajustes do tempo de trabalho, do início das suas funções, e, como a gestão passou para a câmara municipal, agora nós temos de verificar bem essas situações, como é que têm de ser resolvidas, para que os funcionários também saiam para a reforma com a dignidade que existe para qualquer cidadão que trabalhou”, assegurou.

Aliás, lembrou, a visita a estas instituições é para fazer o acompanhamento, ver como é que as coisas estão a funcionar, quais são os desafios, o que precisam melhorar e colaborar com a câmara de São Vicente na perspectiva de oferecer o “melhor serviço às crianças e criar melhores condições aos funcionários”.

Além desses jardins, a secretária de Estado de Inclusão Social pretende visitar os centros de dia geridos pelo Espaço Jovem, nas zonas de Ribeira Bote e Pedra Rolada, e ainda uma creche.

A ideia, explicou, é ver como é que estão a funcionar e que melhorias necessitam porque são instituições que acolhem crianças e adolescentes ocupando-os durante o dia com estudos, com actividades culturais e lúdicas.

CD/AA

Inforpress/Fim 

19-04-2024 13:29

Cidade da Praia, 19 Abr (Inforpress) – Líderes das associações de pessoas portadoras de deficiência participam hoje numa formação em liderança e advocacia para reforçar conhecimentos na matéria, no âmbito do projecto de Ratificação do Protocolo Africano sobre Deficiência.

Promovida pela Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde (Adevic), com a parceria da União Africana dos Cegos, sediada em Nairobi – Quénia, participam nesta acção de formação um grupo de dez pessoas que, no final, estarão preparados para ajudar na implementação desse documento considerado importante para a classe.

“Pretendemos, com esta acção de formação, igualmente realizada noutros países africanos, sensibilizar as autoridades cabo-verdianas no sentido de assinarem e ratificarem o documento, de muita importância para nós, que é a carta sobre o direito das pessoas com deficiência em África”, explicou o presidente da Adevic, Marciano Monteiro.

Segundo o responsável, trata-se de uma formação contínua de preparação de várias pessoas, porque quanto maior for o número de indivíduos capacitados a esse nível, maior será a amplitude no sentido de sensibilização das autoridades cabo-verdianas com vista à assinatura e ratificação deste documento.

“Assinar e ratificar esta carta, que traz um conjunto de direitos em relação às pessoas com deficiência, vai ser um comprometimento do país no sentido de fazer cumprir as normas que só favorecem as pessoas nestas condições”, manifestou a mesma fonte, salientando que a classe está a lutar visando a igualdade de oportunidades.

Marciano Monteiro conclui esclarecendo que quando se fala das autoridades cabo-verdianas no sentido da ratificação dessa carta, não se está a pensar apenas no Parlamento, Governo, mas na sociedade em geral.

“Nas empresas, fornecedores e prestadores de serviços, por exemplo, porque nós, as pessoas com deficiência, sentimo-nos muito lesados, marginalizados e precisamos também ser atendidos como qualquer outro indivíduo ou cidadão deste país”, exteriorizou.

SC/HF

Inforpress/Fim

19-04-2024 13:00

Cidade das Pombas, 19 Abr (Inforpress) – O município do Paul, Santo Antão, atingiu no ano de 2023 o menor índice de gravidez na adolescência dos últimos cinco anos, segundo a enfermeira da Saúde Reprodutiva do Paul, Edna Ramos.

 

Em declarações à Inforpress, Edna Ramos apontou que em 2023 o município do Paul atingiu uma taxa de 2,7 por cento (%), um valor que a mesma fonte considerou “bastante reduzida” em relação a media nacional que ronda em torno dos 20, 19 e 18 %.

“São dados de louvar porque se trata de um problema de saúde publica. O concelho do Paul registou um indicador plausível que temos conseguido nestes últimos anos, reduzir consideravelmente a taxa de gravidez na adolescência o que consideramos um grande ganho para o município”, enalteceu a enfermeira.

Conforme Edna Ramos, a gravidez na adolescência é um problema social e intersectorial e que não é só responsabilidade da saúde ou das escolas.

No entanto, a mesma fonte enalteceu a “grande parceria” com a Escola Secundaria António Januário Leite no combate à problemática da gravidez na adolescência.

“A escola é a nossa grande aliada na prevenção e redução da gravidez na adolescência, trabalhamos como uma ponte de mão dupla, na qual abordamos vários temas relacionados a esta problemática”, salientou, precisando que também na Delegacia de Saúde do Paul existe o atendimento específico do adolescente.

Durante o atendimento ao adolescente, a enfermeira da Saúde Reprodutiva disse que “aproveitam” para “fortalecer e consciencializar” os adolescentes sobre a problemática da gravidez na adolescência e também enfatizam a questão da sexualidade segura, infecções sexualmente transmissíveis e principalmente nas meninas reforçam a questão da autoestima e cuidados.

“A autoestima e fortalecimento emocional é fundamental de modo que os adolescentes estejam consciencializados sobre a responsabilidade sexual e temos uma dinâmica no trabalho na qual, os recebemos não para os julgar e sim para orienta-los, educar e transmitir-lhes informações e conhecimento para poderem tomar as melhores decisões nas suas vidas sexual reprodutiva”, acentuou.

Edna Ramos declarou ainda que quando deparam com uma gravidez na adolescência é feito o “devido encaminhamento e sensibilização” junto da adolescente para que “jamais abandone os estudos”.

Também conforme a enfermeira a adolescente gravida recebe apoio psicológico na delegacia e tem todo um acompanhamento multidisciplinar na mesma.

“A adolescência não é a melhor hora para engravidar, é uma idade para estudar, descobrir coisas novas, um período de desafios e transformações, por isso há certas coisas como a gravidez que devem prostergar para o futuro”, finalizou a enfermeira da Saúde Reprodutiva do Paul.

LFS/AA

Inforpress/Fim

19-04-2024 12:16

Nova Sintra, 19 Abr (Inforpress) – A dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap), Maria Nova Montrond,

anunciou hoje que o sindicato terá um representante na ilha Brava no mês de Maio.

A mesma fonte indicou que uma reunião efectuada com trabalhadores da Câmara Municipal da Brava resultou em 30 associados do Sintap.

Neste sentido, continuou, já se encontra programada uma missão à ilha para nomear um representante do Sintap, tendo em conta que foi também realizado um encontro com os funcionários da empresa Agua Brava e que culminou num “bom número de sócios”.

Maria Nova Montrond informou ainda que no ano passado foi realizada a sexta conferência, na ilha de São Vicente, em que ela foi eleita dirigente sindical e também salientou que o Sintap se tornou um sindicato a nível nacional para trabalhadores da Administração Pública.

“A minha missão na ilha Brava também é neste âmbito, ou seja, é alargar a nossa intervenção em todas as ilhas de Cabo Verde. Queremos apresentar e atender as necessidades de todos os trabalhadores públicos e privados, defendendo sempre os seus direitos laborais”, sublinhou.

Esta responsável avançou que depois de um encontro com 39 funcionários da autarquia, foram constatadas várias necessidades para com estes trabalhadores.

“Pessoas que não estão com os seus direitos adquiridos neste momento e nós estamos a trabalhar neste sentido, também reparamos que não conhecem a lista de transição Plano de Carreiras, Funções e Remunerações (PCFR), que foi uma ferramenta que o Governo aprovou no mês de Março de 2023, através da nova lei de emprego de publico”, precisou a sindicalista.

Nesta situação, frisou que a autarquia como um serviço descentralizado do Estado e Administração Pública já deveriam ter conhecido a sua lista de transição, no entanto, afirmou, de acordo com a informação dos funcionários, até ao momento não tiveram conhecimento e ainda nem possuem todos os seus direitos.

 “Em 2024, através do Orçamento do Estado, o salário mínimo é de 16.000$00 e na Câmara da Municipal da Brava existem pessoas que estão a receber menos, por isso, penso que a lei tem que ser posta em vigor”, finalizou Maria Nova Montrond.

 

DM/AA

Inforpress/Fim

Exibindo 1 para 12 de 60