Cooperação


21-02-2024 18:20

Cidade da Praia, 21 Fev (Inforpress) – O Ministério da Cultura e a produtora musical Harmonia assinaram hoje um protocolo de cooperação de incentivo, no valor de 1.500 contos, para financiar o Kriol Jazz Festival (KJF), por um período de três anos.

O acto foi rubricado pelo ministro da Cultura, Abraão Vicente e o director da Harmonia, José da Silva, esta tarde, tendo o Governo aumentado a verba de um milhão de escudos para um milhão e quinhentos escudos para apoiar na realização do Kriol Jazz Festival.

Ao usar da palavra, José da Silva congratulou-se com o reforço da parceria entre o Ministério da Cultura e a produtora Harmonia e o aumento da verba este ano, afirmando que a mesma irá permitir uma melhor organização do evento.

“Estamos muito felizes com a assinatura deste protocolo, uma parceria que teve início no ano passado e correu muito bem. Então, desta vez assinamos um protocolo de três anos, ficamos mais satisfeitos porque é isso que queremos, porque o protocolo de três anos irá nos ajudar a perenizar o festival cada vez mais e poder trabalhar com mais antecedência”, declarou.
Prometeu que a organização do

evento irá tentar fazer o máximo possível para agradar o Ministério da Cultura, o público da Praia, sempre fazendo um festival de grande nível como tem vindo a fazer até agora.

“Agradecemos também porque aumentou o valor. No ano passado era mil contos, passou para 1.500 contos e pensamos realmente que o senhor ministro entende que o festival precisa cada vez de mais meios, para poder melhorar o cartaz e podermos trazer artistas de grande renome”, realçou.

Por seu turno o ministro Abraão Vicente destacou a importância do Kriol Jazz Festival que tem representado a internacionalização da cultura cabo-verdiana, mostrando-se igualmente satisfeito com a assinatura do referido protocolo.

“A ideia é dar tranquilidade. E quanto ao valor, não temos que todos os anos começar com o novo processo de negociação. Creio que o cartaz é já bastante conhecido, podemos ver a qualidade quando temos o Steve Coleman ou Salif Keita e que vão consolidar o seu percurso num palco de consagração”, salientou.

Segundo o governante, o Kriol Jazz festival é uma marca territorial que nasceu na Cidade da Praia, tendo ressalvado que a extensão do evento para a ilha do Sal é uma forma de chamar os municípios para a verdadeira necessidade de diversificação de cartaz a nível nacional

“O contributo do Kriol Jazz Festival é absolutamente incrível e crucial para a Praia manter o seu título de cidade criativa da Unesco e para que Cabo Verde continue a ser reconhecido a nível mundial pela sua diversidade e riqueza cultural”, destacou.

A 13.ª edição do Kriol Jazz Festival acontece nos dias 4, 5 e 6 de Abril na Praia e a abertura está a cargo dos artistas Jorge Pardo & Armando Orbón (Espanha) e do cabo-verdiano Soren Araújo, que se apresenta em trio acompanhado do guitarrista santantonense Pelada e do percussionista santiaguense Ndu.

No dia 5, sobe ao palco o artista cabo-verdiano Tibau Tavares, acompanhado da Munganga Band (Áustria), que em conjunto já pisaram vários palcos internacionais e que trazem pela primeira vez o show ao país.

A abertura do último dia do festival (dia 6) está a cargo da banda cabo-verdiana Pret e Bronk e da artista Jenifer Solidade, que vai actuar pela primeira vez no KJF.

Esta edição do KJF está orçada em 28 mil contos, sendo que a Câmara Municipal contribuiu com 10 mil contos. A organização ainda conta com o apoio do Fundo do Turismo e do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

CM/JMV
Inforpress/Fim

21-02-2024 17:51

Ribeira Grande, 21 Fev (Inforpress) – A família Coutinho, emigrada há mais de 40 anos na Europa, vai realizar no próximo mês de Março mais um evento sociocultural em Pinhão e Monte Joana, Costa Leste, Santo Antão.

Trata-se, segundo uma nota enviada à Inforpress, da segunda fase do projecto “Inspiração Pinhão”, que será agora alargada à localidade de Monte Joana, no concelho de Ribeira Grande.

“Dois anos após o primeiro evento, que contou com entrega de diplomas, material escolar, organização de uma exposição de pintura dos alunos e um cocktail, o projecto solidário levado a cabo por Pedro Coutinho, residente no Luxemburgo, volta a repetir-se”, lê-se no documento.

Pedro Coutinho mentor do projecto, conforme a nota faz-se acompanhar pelo artista plástico Nelson Neves, que vai organizar oficinas de pintura com os alunos.

Este evento conta com o apoio da Federação das Associações Cabo-verdianas do Luxemburgo e da Associação de Pais de Alunos da Escola Primária de Pétange (Lux).

LFS/HF

Inforpress/Fim

21-02-2024 14:39

Cidade da Praia, 21 Fev (Inforpress) - O bastonário da Ordem dos Médicos de Cabo Verde (OMCV) disse hoje que o protocolo de cooperação existente com Portugal para transferência de doentes precisa ser reformatado, com vista a redução do período de espera dos doentes.

Danielson Veiga falava à imprensa no final de um encontro que manteve hoje com o Provedor de Justiça, José Carlos Delgado, na cidade da Praia.

Segundo disse, a reunião baseou-se fundamentalmente no levantamento de questões relacionadas com “a dignidade e a justiça” dos cidadãos, mas também com a montagem de um plano de protocolo de cooperação entre as duas entidades.

“Durante este encontro abordamos vários assuntos relacionados com a junta médica e a transferência de doentes, tanto interno como externo, sobre os serviços do Hospital Agostinho Neto, que tem a ver com a morosidade das consultas e dos procedimentos cirúrgicos”, apontou.

Em cima da mesa, prosseguiu, estiveram a conversar também sobre a carreira médica, a formação, capacitação, especialização dos médicos, a parceria público-privada e todo o seu benefício para o sistema de saúde, que disse estar ainda em atraso, de entre várias outras preocupações como a questão do INPS, a digitalização dos serviços da saúde, e a inscrição dos médicos na Ordem.

“Em relação a transferência de doentes tanto nacionais como também externos concluímos que em Cabo Verde ainda nós praticamente transferimos doentes para Portugal, com quem existe um protocolo”, afirmou, avançando que quando se trata de doentes oncológicos estes às vezes ficam “mais de seis meses à espera” de uma vaga para serem deslocados.

Danielson Veiga disse entender que a junta faz a sua parte, defendendo, por isso, que este protocolo de cooperação existente com Portugal precisa ser reformatado, discutido, ouvindo opiniões também de técnicos portugueses para se tentar criar um programa “mais justo” para um doente à espera de uma oportunidade de sobrevivência.

“Sabemos que a ministra da Saúde tem anunciado a possibilidade de transferência de doentes para Senegal, para Marrocos e Egipto, por exemplo, e eu penso que a ideia não é má, mas sabemos que de certeza esses países não vão querer receber os nossos doentes de borla”, alertou.

Entretanto, o bastonário sugeriu que se pense mais na formação e capacitação com vista ao aumento de mais especialista para que o doente tenha tratamento próprio aqui em Cabo Verde.

“É possível, já temos seis hospitais, dois centrais e quatro regionais, mas o número suficiente de especialistas não temos. Em Cabo Verde temos quase 60 por cento (%) de médicos que são clínicos gerais que não têm uma especialidade”, revelou, considerando que a maior prenda que se pode oferecer a um médico clínico geral é uma especialidade para prestar cuidados especializados a um doente.

Quanto à transferência interna de doentes, o bastonário manifestou preocupação com a “grave situaçãoW dos transportes tanto terrestre, aéreo como marítimos na deslocação de doentes para cuidados, afirmando que até serem transferidos estes às vezes podem correr riscos de vida, até porque, ressaltou, não há ainda um serviço de atendimento pré-hospitalar.

Por seu lado o Provedor de Justiça, José Carlos Delgado, sublinhou que a intenção do encontro foi trabalhar para possível estabelecimento de um protocolo em data a ser indicada, de forma a haver uma assessoria técnica especializada na Ordem dos Médicos, tendo em conta as queixas que tem recebido em matéria da saúde, visando a melhoria dos cuidados.

ET/AA

Inforpress/Fim 

21-02-2024 14:09

Cidade da Praia, 21 Fev (Inforpress) - Pelo menos 56 milhões de dólares americanos é o montante disponibilizado pela Agência de Redução de Ameaças da Defesa dos EUA (DTRA) para a construção do novo complexo laboratorial do Centro Pan-Africano de Vacinas Veterinárias da União Africana.

A informação, confirmada em Adis Abeba pela Comissária da UA Josefa Correia Sacko, foi avançada à Inforpress pela assessoria da diplomata.

A diplomata que avançou estes dados durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra do novo complexo laboratorial de classe mundial, disse que isto vai garantir que todas as actividades sejam devidamente implementadas de acordo com as melhores práticas em matéria de biossegurança e biosseguridade, bem como, estar adequada às normas internacionais.

“Hoje é, portanto, um dia especial na história do AU-PANVAC, pois estamos a avançar com o lançamento do novo complexo laboratorial, que irá aumentar a capacidade do centro para apoiar o controlo das doenças animais”, sublinhou, adiantando que as novas instalações permitirão realizar as suas actividades de acordo com as normas internacionais e as melhores práticas.

Aquela responsável, garantiu que as actuais instalações existentes não permitem que o AU-PANVAC cumpra adequadamente o seu mandato devido ao aumento constante da procura de serviços por parte dos Estados membros, no controlo de qualidade dos lotes de vacinas, o apoio técnico, a formação e o número de conjunto de diagnóstico a produzir.

No seu entender a produção pecuária em África enfrenta muitos desafios devido o imperativo que estas doenças afectam animais, também serem uma ameaça para a saúde pública, os meios de subsistência e a segurança alimentar em África .

“No contexto africano, a vacinação é a escolha mais adequada para o controlo e a erradicação das doenças animais. É, por isso, muito importante que as vacinas administradas aos animais para o controlo das doenças sejam de elevada qualidade”, assegurou a Comissária da UA.

O AU-PANVAC, na sigla em inglês, é um gabinete técnico especializado sob a alçada do Departamento de Agricultura, Desenvolvimento Rural, Economia Azul e Ambiente Sustentável (ARBE) da Comissão da União Africana, sediada na Etiópia.

Tem o mandato de produzir e distribuir reagentes biológicos essenciais para a vigilância e o diagnóstico de doenças animais, assegura a preparação e resposta de emergência a eventuais surtos de peste bovina e outras doenças animais em África, presta também formação regular aos Estados-Membros e transfere novas tecnologias de produção de vacinas.

SR/CP

Inforpress/Fim

20-02-2024 19:29

Espargos, 20 Fev (Inforpress)- A diretora Executiva do Millennium Challenge Corporation (MCC), Alice Albright, tomou pulso hoje na ilha do Sal aos projetos financiados no âmbito dos dois últimos compactos Cabo Verde.

Alice Albright, que se encontra em Cabo Verde para uma visita de trabalho de quatro dias, percorreu alguns pontos da ilha do Sal, para se inteirar dos projectos financiados no âmbito dos dois compactos anteriores e estabelecer contactos com autoridades locais ligadas ao sector do turismo e energias renováveis.

Nesta primeira visita depois do país ter sido selecionado para um terceiro compacto dos Estados Unidos da América, no âmbito do programa de ajuda pública ao desenvolvimento, do MCC, desta vez para fins de integração económica regional, Alice Albright afirmou que os últimos pactos foram bem-sucedidos e que o país soube gerir a sua economia com muito sucesso e investiu no seu povo”.

“Cabo Verde tem uma democracia muito estável, muito empenhada na transparência e no Estado de direito, que soube gerir a sua economia e que investiu com muito sucesso no seu povo. Assim, em Dezembro, o nosso conselho analisou todos os diferentes factores, e ficou muito impressionado com esse histórico contínuo de sucesso aqui neste país”, explicou.

“Então, Cabo Verde foi selecionado para aquilo que chamamos de pacto regional, que é um dos mais novos programas do MCC, e que embora esteja numa fase inicial dos trabalhos, mas a intenção do pacto é ajudar o país selecionado a integrar-se ainda mais a nível regional e utilizar isso como forma de continuar a promover o crescimento económico”, disse Albright.

A mesma fonte afirmou ainda que a agência que dirige está optimista em relação a esse novo compacto que Cabo Verde beneficia e “pensam ser mais um capítulo muito importante na relação muito forte que os Estados Unidos da América (EUA) têm tido com Cabo Verde”.

No Sal, a diretora iniciou a sua visita pela organização não governamental Associação Chã de Matias, que tem implementado um projecto de ensino da língua inglesa, financiado pela embaixada dos EUA, para logo de seguida ser recebido pelo presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes.

Numa outra visita, desta feita ao ministro dos Transportes e Turismo, Carlos Santos, na sede do seu ministério, a equipa do MCC pode se inteirar daquilo que são as visões para o crescimento e o desenvolvimento do sector do turismo, seguindo-se depois para a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Santa Maria, que é também um dos projetos financiados pela agência no que se refere a tratamento de águas residuais e energias renováveis.

A visita da equipa do MCC terminou em Palha Verde, no empreendimento agrícola “Milot Hidroponics”.

Esta é a terceira vez que Cabo Verde é selecionado para um financiamento do MCC, sendo que nas duas primeiras ocasiões, em 2005 e 2012, foram contemplados um conjunto de investimentos em infraestruturas portuárias e abastecimento de água e saneamento, num total de 176 milhões de dólares.

NA/JMV
Inforpress/fim

20-02-2024 15:59

Pedra Badejo, 20 Fev (Inforpress) – As câmaras municipais de Santa Cruz e Longueau (França) assinaram hoje um protocolo de geminação e cooperação que visa reforçar as parcerias existentes e promover a troca de experiências em diversos sectores.

Em declarações à imprensa, durante a cerimónia da assinatura do protocolo de geminação e cooperação, o presidente da Câmara Municipal de Longueau, Pascal Ourdouillé, afiançou que este acordo serve para “reforçar e explorar” os laços que existiam ainda que de forma informal.

Segundo este autarca, a relação com a Câmara Municipal de Santa Cruz surgiu através da comunidade cabo-verdiana que reside na vila de Amiens, situada mesmo ao lado da cidade de Longueau, estes apresentaram-lhe o seu homólogo de Santa Cruz e, nos encontros realizados, descobriram algumas particularidades entre si, desenvolvendo assim uma certa afinidade. 

Sendo assim, avançou que o município de Longueau entendeu que a cidade de Santa Cruz precisava dele e decidiram fazer uma geminação para ver no que podem apoiar este município do interior de Santiago.

Por seu turno, o presidente da autarquia santacruzense, Carlos Silva, reforçou que os dois municípios já possuem um relacionamento de afinidade, que hoje foi formalizado com este protocolo que visa abarcar todas as áreas, desde a parte social, económica, ambiental, educação, cultural, desportivo, mas sobretudo, com uma aposta forte na formação profissional e no intercâmbio entre técnicos dos municípios.

Questionado sobre as áreas prioritárias para dar o pontapé de saída na implementação do protocolo, o edil anunciou que o foco será para a formação profissional, mas também outras actividades que envolvem a camada juvenil, dentre eles intercâmbios de diversos âmbitos, incluindo intercâmbios desportivos.

Igualmente, destacou a intenção de também actuar na área social, anunciando um projecto de ligação de água domiciliárias nas zonas mais altas, projecto este que será lançado no próximo dia 22 de Março, Dia Mundial da Água.

Carlos Silva aproveitou para enaltecer o envolvimento da diáspora santacruzense na França, particularmente na Vila de Amiens, evidenciando que este protocolo foi muito motivado pelo envolvimento de associações de cabo-verdianos nessa Vila, assim como da Embaixada de Cabo Verde em França.

O protocolo prevê ainda o compartilhamento de experiências nos campos da mobilidade internacional, acesso à água e saneamento, assim como a gestão de resíduos, entre outros aspectos.

MC/HF

Inforpress/Fim

20-02-2024 13:03

Porto Novo, 20 Fev (Inforpress) – A câmara do Porto Novo e o Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA) vão reforçar a parceria com vista a “ter cada vez menos crianças em situação de vulnerabilidade” neste município santantonense.

Uma nota da autarquia porto-novense, a que a Inforpress teve acesso hoje, indica que a ideia de reforçar a parceria entre as duas instituições surgiu num encontro na segunda-feira, 19, entre o presidente da autarquia porto-novense, Aníbal Fonseca, e a presidente do ICCA, Zaida Freitas, no quadro de uma visita a Santo Antão.

“A reunião ainda teve como objectivo reforçar a parceria existente entre as partes. A finalidade é ter cada vez menos crianças em situação de vulnerabilidade”, sublinhou a mesma fonte, adiantando que o encontro se debruçou ainda sobre as acções que têm concretizadas no município do Porto Novo no quadro da parceria entre as duas instituições.

Além do ICCA, a câmara do Porto Novo tem estado a trabalhar com outras organizações que promovem os direitos e a proteção das crianças no neste concelho, de acordo ainda com a nota, destacando a formação para as famílias, o atendimento personalizado, o reforço alimentar e o transporte escolar como sendo algumas das acções que têm sido realizadas.

Conforme constatou a Inforpress, a problemática das crianças na rua tem sido uma preocupação das instituições que trabalham na protecção das crianças que têm alertado para o aumento deste fenómeno, embora a situação não seja ainda “alarmante”.  

JM/AA

Inforpress/Fim

19-02-2024 20:25

Cidade da Praia, 19 Fev (Inforpress) – A cooperação luxemburguesa vai disponibilizar, ainda este ano, 5,2 milhões de euros (572 mil contos) para o eixo emprego e empregabilidade do Programa Indicativo de Cooperação “Desenvolvimento-Clima-Energia” Cabo Verde – Luxemburgo (2021-2025).

O montante foi avançado hoje pelo encarregado de negócios da Embaixada do Grão-Ducado de Luxemburgo em Cabo Verde, Thomas Barbancey, na abertura da reunião do Comité de Pilotagem, durante a qual foram feitas as apresentações dos resultados do ano 2023 e do Plano Operacional Anual de 2024 do Projecto de Apoio ao Desenvolvimento da Finança Inclusiva e do Programa Emprego e Empregabilidade.

O Programa Emprego e Empregabilidade, implementado pela Agência Lux Development, visa o aumento do número de emprego em Cabo Verde, dedicando especial atenção aos jovens NEET, ou seja, jovens que não se encontram a trabalhar, não estudam e não frequentam qualquer tipo de formação.

Thomas Barbancey adiantou que este ano, seguindo a lógica do reforço das capacidades, decidiu-se delegar a maior parte do financiamento do projecto às entidades parceiras para implementação das diferentes actividades.

“Neste sentido, do orçamento de cinco milhões e 200 mil euros para 2024, quatro milhões e meio serão inteiramente administrados pelas entidades nacionais, ou seja, pela Direcção-Geral do Emprego, pelo IEEP, pelo Fundo de Promoção do Emprego e Formação, pela Pró-empresa e pela Direcção-Geral da Inclusão, na mesma linha que foi feito em 2023”, explicou.

O diplomata luxemburguês, olhando para 2023, frisou que através do Fundo de Promoção Emprego e Formação foi possível beneficiar mais de 3000 mil pessoas com formação profissional de qualidade e certificada.
Contudo, disse esperar que com a anunciada entrada em funcionamento da contribuição do sector produtivo, o fundo seja ainda mais bem consolidado em 2024.

Thomas Barbancey demonstrou-se igualmente satisfeito com a implementação do Projecto de Apoio ao Desenvolvimento da Finança Inclusiva (PADFI), implementado pela ONG luxemburguesa ADA, com o objectivo de apoiar o aumento da inclusão financeira das populações vulneráveis em Cabo Verde,  através da dinamização e consolidação das micro-finanças.

“O ano que passou foi de progressos nas realizações desse projecto. Algo que acompanha a dinâmica do sector que viu um aumento na ordem dos 17% da carteira de clientes só em 2023. Um dado especialmente motivador, se levarmos em conta que se trata de um sector recentemente integrado no sistema financeiro, isto é submetido a uma supervisão exigente do banco central.  Estamos hoje perante um sector que se consolida e dá provas de sua robustez e resiliência”, argumentou.

De entre as acções previstas para 2024 o projecto PADFI dará continuidade ao estudo em curso para criação de um mecanismo de refinanciamento que caso seja operacionalizado será fulcral para assegurar que as Instituições de Micro-finanças não deixem  de servir novos clientes por falta de financiamento.

Segundo o representante da cooperação luxemburguesa o projecto continuará a trabalhar directamente com as Instituições de Micro-finanças para que possam continuar a sua gestão, aumentar a sua carteira de clientes e a diversificar os produtos oferecidos.

“Esperamos que o plano proposto satisfaça, na medida do possível, as necessidades de apoio ao reforço do ecossistema das micro-finanas, incluindo a supervisão, a governação e a qualidade da oferta”, disse.

A reunião do Comité de Pilotagem Conjunto do Eixo Emprego e Empregabilidade do Programa Indicativo de Cooperação “Desenvolvimento-Clima-Energia” Cabo Verde – Luxemburgo (2021-2025) foi presidida pelo Vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, que agradeceu a parceria de Luxemburgo e outros parceiros no sector importante que é o emprego e a empregabilidade.

MJB/JMV

19-02-2024 18:32

Mindelo, 19 Fev (Inforpress) – A Fundação Calouste Gulbenkian tem aberta, até 03 de Março, candidaturas para a segunda edição do concurso para o apoio ao desenvolvimento de carreiras científicas em ciências da saúde nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

De acordo com informações divulgadas pela fundação, o concurso é dirigido a investigadores com idade inferior ou igual a 40 anos, que tenham concluído o seu doutoramento na área das ciências da saúde, há menos de cinco anos, e que pretendam iniciar ou prosseguir uma carreira científica nesses países.

“Na primeira fase do concurso, o apoio a conceder consiste na atribuição de uma bolsa mensal de 1700 euros ao candidato seleccionado para a realização de um estágio científico de seis meses em instituições científicas em Portugal”, destaca a fundação.

Na segunda fase do concurso, o apoio consiste na atribuição de um subsídio com o montante máximo de 165 mil euros por candidatura escolhida, num período de três anos.

“O subsídio será atribuído à instituição de acolhimento do investigador, num dos PALOP, e terá de ser aplicado no projecto de investigação em saúde seleccionado”, acrescenta.

Conforme a Fundação Calouste Gulbenkian, poderão ser aceites candidaturas de investigadores que se encontrem em fase de conclusão de doutoramento, desde que a tese final seja submetida até ao dia 30 de Junho de 2024 (mediante comprovativo assinado pelo orientador da tese).

Também referiu que serão particularmente valorizadas as candidaturas de investigadores que estejam a estudar ou a residir no exterior e que pretendam voltar ao seu país de origem.

As candidaturas à primeira fase deste concurso encerram a 03 de Março de 2024 e os resultados serão divulgados e comunicados aos candidatos até 31 de Março de 2024.  

Já o período de candidatura à segunda fase do concurso será comunicado até 31 de Agosto de 2024, prevendo-se que decorra entre Novembro e Dezembro de 2024 e que o processo de selecção subsequente decorra até 31 de Janeiro 2025.

CD/HF

Inforpress/Fim

19-02-2024 17:24

Cidade da Praia, 19 Fev (Inforpress) – Uma delegação do Millennium Challenge Corporation (MCC), chefiada pela directora-executiva, Alice Albright, inicia hoje uma visita de quatro dias a Cabo Verde.

Segundo nota de imprensa do gabinete de imagem e comunicação do Governo, o objectivo principal da visita da delegação americana é discutir com o Governo o processo de desenvolvimento do primeiro Compacto Regional para Cabo Verde, aprovado em Dezembro último pela Administração do MCC.

É terceira vez que Cabo Verde é seleccionado para um financiamento do MCC, sendo que nas duas primeiras ocasiões, em 2005 e 2012, foram contemplados um conjunto de investimentos em infra-estruturas portuárias e abastecimento de água e saneamento, num total de 176 milhões de dólares.

O primeiro dia de visita da delegação do MCC ao país terá início na ilha do Sal, com o objectivo de se inteirar dos projectos financiados no âmbito dos dois compactos anteriores, estabelecer contactos com autoridades locais e entidades ligadas ao sector do turismo e energias renováveis.

Na quarta-feira, 21, a delegação do MCC tem prevista uma visita ao Tech Park, no Parque Tecnológico de Cabo Verde (cidade da Praia), enquanto que na quinta-feira, 22, reunir-se-á, no Palácio do Governo, com o vice-primeiro ministro, Olavo Correia.

Após este encontro está previsto, às 10h45, uma conferência de imprensa conjunta, na sala de conferências do Palácio do Governo.

Às 11h30, Alice Albright fará uma visita de cortesia ao Presidente da República e no período da tarde efectuará visitas a alguns projectos e serviços, designadamente, à Cabeólica e ao Porto da Praia.

PC/HF

Inforpress/Fim

19-02-2024 12:11

Cidade da Praia, 19 Fev (Inforpress) – O Presidente da República, que participou na 37ª cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Africana, defendeu um sistema de governação multinível em África e uma reforma para a União Africana.

Em declarações à RFI, em Adis-Abeba (Etiópia), José Maria Neves falou dos conflitos e das questões de segurança no continente e que marcaram a agenda dos líderes africanos, considerando que em diferentes regiões existe um esforço, com intervenção de mediadores, para resolver esses conflitos.

No caso da Líbia, salientou, o Presidente do Congo, Sassou Nguesso, está a trabalhar a questão, tendo apresentado um relatório que indica perspectivas de uma conciliação nacional entre as duas partes em conflito.

Referiu ainda sobre os problemas existentes entre a Etiópia e a Somália, a que adiantou haver esforços para diálogo, assinalando que o próprio primeiro-ministro da Etiópia se disponibilizou para se encontrar com o Presidente da Somália, procurando compromissos e solução para os problemas existentes entre os dois países.

Quanto aos conflitos que dominam a região Africana, José Maria Neves é de opinião que se deve fazer esforços no sentido de revalorizar, estrategicamente, a CEDEAO, apontando que talvez isso possa acontecer com a reforma da União Africana.

Como defensor da reforma da União Africana, o Presidente da República pede uma redistribuição do trabalho e estabelecimento de um sistema de governação multinível em África, com responsabilidades bem definidas, ao nível da União Africana, ao nível das organizações sub-regionais e dos Estados para se evitarem as sobreposições e as interpretações diferenciadas, relativamente aos problemas existentes.

“Claro que tudo isto deve ser feito em estreita articulação com os Estados, as organizações sub-regionais e a União Africana”, reforçou, sublinhando que as questões de segurança devem ficar com a União Africana e as organizações sub-regionais ocupar-se da integração económica.

Realçou que no caso da crise política do Senegal quem deve acompanhar a situação deve ser a União Africana e considerou que a participação de África no G20, de que já é membro, exige uma “profunda adequação organizacional”.

No caso da apresentação de candidatura da Angola para a presidência rotativa da União Africana, em 2025, confirmou o apoio de Cabo Verde.

“Apoiamos e vemos com bons olhos, Angola é uma grande potência em África e tem uma experiência positiva na busca da paz, podendo dar um contributo importante no processo de pacificação em África”, finalizou José Maria Neves à Radio France Internacional (RFI).

 PC/AA

Inforpress/Fim

19-02-2024 11:28

Cidade da Praia, 19 Fev (Inforpress) – A Câmara de Comércio de Sotavento (CCS) recebeu da embaixada de Cuba em Cabo Verde um convite para participar na 40ª edição da Feira Internacional de Havana (FIHAV), previsto para 05 a 09 de Novembro desde ano.

A informação foi avançada à Inforpress pelo presidente da CCS, Marcos Rodrigues, que adiantou que a instituição que dirige vai reunir-se esta semana para analisar esta oportunidade.

Segundo disse, o convite da Câmara de Comércio da República de Cuba foi entregue pelas mãos do embaixador de Cuba em Cabo Verde, Turcios López, durante um encontro que manteve na última sexta-feira com o vice-presidente do conselho directivo, Alexandre Nuno Pires.

O encontro serviu também para explorar oportunidades de parceria entre os empresários cubanos e cabo-verdianos, tendo sido identificados interesses nos domínios da saúde como biotecnologia, indústria farmacêutica e a nível da cultura nomeadamente na área da música e gastronomia enquanto produto turístico de alto valor.

A Feira Internacional de Havana (FIHAV) é a feira multissectorial mais importante que se realiza em Cuba e uma das mais representativas do Caribe e da América Latina.

O evento terá lugar de 05 a 09 de Novembro de 2024 e será uma oportunidade para intercâmbio entre empresários e actores de todos os sectores chave da economia cubana.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Exibindo 1 para 12 de 60