UCID critica estado de abandono e estagnação da ilha do Sal e pede medidas urgentes

08-03-2024 14:19

Cidade da Praia, 08 Mar (Inforpress) – O deputado e presidente da UCID criticou hoje “a inércia e o silêncio dos Governos local e central perante a estagnação e estado de abandono da ilha do Sal” e pediu medidas urgentes e adequadas para resolver esta situação.

João Santos Luís fez estas afirmações durante a declaração política da União Cabo-verdiana e Independente e Democrática (UCID) proferida esta manhã no último dia da primeira sessão parlamentar deste mês, indicando que “alguns dos principais pontos de atracção turística da ilha encontram-se completamente abandonados pelos poderes local e central”, criticou.

Segundo o deputado, os dados sobre o turismo relativos ao ano de 2023, demonstram que a ilha do Sal continua na liderança com mais de 50% de entradas de turistas em Cabo Verde, frisando, no entanto, que há a necessidade de serem reforçadas as medidas de política para a consolidação dos dados.

“O sector do turismo contribui com cerca de 25% para o produto interno bruto (PIB) do país. Se o Governo fizer uma aposta séria na qualificação turística, a procura será de longe superior e a contribuição deste sector para o público internacional. Falar da qualificação da oferta turística significa esforçar-se mais no sentido de congregar vários sectores para a obtenção deste objectivo”, salientou.

Criticou o estado actual da salina de Pedra de Lume que, referiu, devido a interesses instalados, encontra-se completamente desenquadrada propositadamente do património nacional ou municipal, realçando que o silêncio das autoridades locais e centrais, inclusive o Ministro do Turismo, evidencia o estado de abandono inércia e descaso.

Destacou as potencialidades existentes no município de Santa Maria com condições de ser uma excelente cidade turística, mas apresenta problemas de iluminação pública, a população reivindica por maiores cuidados da saúde e necessidade de alargar o horário de atendimento no centro de saúde que, adiantou, fecha as portas às 15 horas.

O deputado da UCID pediu igualmente medidas e soluções adequadas para cuidar dos aspectos como a prostituição, drogas e crianças nas ruas a pedir dinheiro aos turistas, o assédio dos vendedores ambulantes, a venda do património à destruição ambiental e as construções ilegais da ilha.

Em termos de infra-estruturas de drenagem de águas pluviais, estas, de acordo com o deputado, são completamente inexistentes, razão porque defendeu a necessidade de se pensar melhor no momento da construção de vias de acesso, vias pedonais e praças.

“Constata-se a necessidade de uma sentina pública, principalmente ao longo da via pedonal existente, principalmente na área do pontão, onde as necessidades fisiológicas são feitas ali mesmo. Os mercados construídos ou improvisados para as vendedoras de roupa não reúnem as mínimas condições nem de higiene nem de espaço para guardar os pertences de um dia para o outro”, apontou.

Apelou ainda à adopção de medidas para melhorar os sectores da pesca, agricultura, habitação e água exortando o Governo e a Câmara Municipal do Sal a cumprirem as promessas feitas a população da ilha do Sal.

Ainda segundo João Santos Luís, os empresários do sector comercial sediados quase todos eles na zona industrial da localidade de Palmeira clamam pela melhoria dos acessos, iluminação pública e plano de recolha de lixo, tendo considerado ser um autêntico descaso por parte do poder local em não fazer intervenção nos acessos da zona industrial de Palmeira.

Exortou, por outro lado, os poderes central e local no sentido de melhorarem a oferta turística do Sal, melhorarem o sistema de transporte doméstico, os serviços de saúde na Ilha, restaurar o pontão de Santa Maria e o património municipal de Pedra de Lume.

Por seu turno, o deputado do PAICV, Démis Almeida afirmou que o seu partido subscreve na íntegra a declaração política da UCID, considerando que a ilha do Sal, que é a capital do turismo cabo-verdiano e um dos maiores motores da economia nacional, não tem tido a devida atenção do Governo nem da Câmara Municipal do Sal.

Segundo o deputado, os investimentos são muito modestos e os problemas são graves, pelo que critica o Governo de não ter nenhum investimento relevante para o crescimento e o desenvolvimento do turismo na ilha do Sal.

A ministra dos Assuntos Parlamentares, Janine Lélis, em reacção à declaração política da UICD e declarações do PAICV, afirmou que o Governo tem uma visão para o sector do turismo e esta visão se assenta no crescimento sustentável do sector.

Lembrou que foram aprovadas grandes opções do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do turismo 2018-2030 e o master plano de turismo para cada ilha e o programa operacional do turismo.

“Em relação a ilha do Sal, gostaria de realçar que este programa vai permitir o restauro e a melhoria da estrada Espargos/Palmeira, orçado em 20 milhões de euros, o restauro e a melhoria do Pontão de Santa Maria em três milhões de euros, requalificação da praia de Santa Maria e aquisição dos equipamentos já está em curso o centro de saúde, requalificação das ruas de Santa Maria e Espargos isso em resposta àquilo que foi dito no domínio da requalificação do domínio turístico”, declarou.

A governante afiançou, neste sentido, que o Governo está comprometido em continuar a trabalhar em prol do desenvolvimento dos sectores de intervenção na referida ilha.

CM/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


14-06-2024 0:17
14-06-2024 1:25
13-06-2024 22:05
13-06-2024 19:49
13-06-2024 19:04