São Vicente: “Herança” de Osga Filmes estreia no Mindelo abordando questões que impactam a vida familiar

14-03-2024 17:54

Mindelo, 14 Mar (Inforpress) - O filme Herança, da produtora Osga Filmes, estreia na terça e quarta-feira no Mindelo, lançando olhares sobre assuntos vividos no seio familiar como ‘bullying’, traumas emocionais e ainda reflexões sobre a monoparentalidade e o suicídio.  

Dirigido por Helder Doca, Herança, que é a sexta curta-metragem dessa produtora, foi filmado em 2020. À Inforpress, o realizador explicou que a sua estreia só acontece neste mês de Março porque a equipa teve que debelar questões como falta de financiamento e disponibilidade dos actores e de técnicos.

“Herança passa-se entre uma família, um pai, uma filha e um neto, e, basicamente, aborda muitos assuntos. Mas um dos assuntos principais que leva à cena é o ‘bullyng’ que há muito tempo é recorrente, mas que é muito falado hoje em dia. Fala também de possíveis causas que podem fragilizar um indivíduo qualquer ao ponto de permiti-lo sofrer, continuar a sofrer ou ser vitima de bulling”, explicou Helder Doca.

Segundo o realizador, a curta-metragem aborda a herança emocional que os filhos recebem dos pais e as consequências que isso representa nas suas vidas.

A mesma, acrescentou, traz para a cena outras questões, algumas de forma leve, outras mais escancaradas com o objectivo de levantar questionamentos para levar o espectador à reflexão e à procura das próprias respostas.

“O filme começa com um suicido. Apesar de que logo no início não parecer óbvio, é um tema que tentamos abordar e que está patente lá. A ideia desse suicídio remete a questões, sendo que quando uma pessoa comete este acto tem várias consequências à volta dele. Também exploramos algumas coisas como uma família emocionalmente disfuncional e outra questão, que não são ditas directamente, mas, que é a vivência de uma família monoparental”, descortinou.

O facto de o filme estrear-se no dia do pai, 19 de Março, e no ano em que o Governo declarou o Ano da Saúde Mental é para Helder Doca uma feliz coincidência porque se trata de uma produção que aborda não só a questão da monoparentalidade, mas também de outros problemas emocionais que podem afectar a saúde mental.

“Herança tem uma carga um pouco pesada, mas uma criança a partir dos nove anos pode assisti-lo porque não há violência nele. Apenas há temas que são coisas que temos que começar a falar desde cedo. Não temos lições nenhumas a dar, mas temos que questionar coisas para que as pessoas comecem a reflectir”, sintetizou a mesma fonte.

Participaram no filme cerca de 30 actores, dos quais muitos nomes ligados ao teatro e cinema mindelense como Milanka Vera-Cruz, Rank Gonçalves e Diego Martins, que são as três personagens principais.

Da ficha técnica constam Helder Doca, como realizador, Emilia Wojcienchowska, como assistente de realização, Didier Tédesco, que partilha as responsabilidades de produção com Mara Costa e Nuno Martins, Edosn Silva e Helder Doca, responsáveis pelas fotografias, Silvano Oliveira e Edson Silva, nas imagens, David Medina, Neu Lopes e César Benrós, responsáveis pelo som, Nuno Tavares, Neu Lopes e Helder Doca, pela música, e a montagem e o grafismo foi de Neu Lopes.

CD/CP

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


14-06-2024 10:01
14-06-2024 9:54
14-06-2024 9:45
14-06-2024 0:17
14-06-2024 1:25