Projecto CIRAWA tem dimensão “muito grande” sobre questões climáticas na agricultura na África Ocidental – coordenador

28-02-2024 12:25

Porto Novo, 28 Fev (Inforpress) – O coordenador do projecto Estratégias Agroecológicas para uma Agricultura Resiliente na África Ocidental (CIRAWA, sigla em inglês), em Santo Antão, destacou hoje a “grande dimensão” deste projecto no tratamento de questões climáticas na agricultura na África Ocidental.

Ary Lopes, que falava à imprensa a propósito do encontro dos parceiros do projecto CIRAWA, que arrancou hoje em Santo Antão, enalteceu ainda a dimensão científica do projecto, que envolve os 14 parceiros, as universidades, os centros tecnológicos e associações locais.

Trata-se, segundo este responsável, de uma parceria “bem forte” que visa debruçar-se sobre questões climáticas na agricultura na África Ocidental, mais precisamente em Cabo Verde, Senegal, Gâmbia e Gana.

Este encontro dos parceiros do projecto CIRAWA tem como objectivo fazer um ponto de situação do andamento deste projecto, lançado em Cabo Verde há cerca de um ano, e conhecer a realidade de Santo Antão e os desafios que esta ilha enfrenta do ponto de vista climático.

Este projecto envolve 14 parceiros distribuídos por dez países, está a trabalhar com pequenos agricultores na África Ocidental para melhorar a nutrição alimentar, os meios de subsistência e a saúde dos ecossistemas.

CIRAWA, que em Cabo Verde actua nas ilhas de Santo Antão e Maio, tem permitido aos agricultores desenvolverem novas práticas de base agro-geológica que se baseiam no conhecimento local e científico existente para ajudar a criar cadeias de abastecimento alimentar mais resistentes em oito regiões de Cabo Verde, Gana, Senegal e Gâmbia.

Em Cabo Verde, o projecto CIRAWA é coordenado pela Associação para a Defesa do Património de Mértola (Portugal) e tem como parceiras o Ministério da Agricultura e Ambiente, associações locais e as câmaras municipais nas ilhas de intervenção.

Um documento a que a Inforpress teve acesso refere que o sector agrícola em Cabo Verde, que se desenvolve, principalmente, através de explorações familiares de subsistência, é “particularmente vulnerável aos desafios climáticos”, devendo as comunidades locais “trabalharem em conjunto para encontrar soluções climáticas”.

O encontro de parceiros de três dias constitui, segundo a mesma fonte, “uma oportunidade para o projecto expandir a sua rede de parceiros e estreitar os laços com as associações locais e também planear um futuro mais resistente ao clima”.

Durante o encontro em Santo Antão, os parceiros têm agendado visitas de campo para explorar diferentes práticas agroecológicas realizadas pelas associações parceiras do projeto, quais sejam, a Associação dos Jovens Agricultores da Zona Peri-Urbana de Porto Novo e a Associação das Mulheres do Planalto Leste.

Este projecto, com duração de quatro anos, é coordenado pelo Centro Tecnológico CARTIF (Espanha) e reúne um total de 14 parceiros de dez países europeus e africanos.

O CIRAWA recebe uma subvenção total de 6,9 milhões de euros da Comissão Europeia no âmbito do Horizonte Europa, ao abrigo do programa "Abordagens agroecológicas nos sistemas agrícolas africanos" para desenvolver estratégias agroecológicas inovadoras para construir resiliência climática na África Ocidental.

JM/AA

Inforpress/Fim 

Notícias Recentes


19-06-2024 20:22
19-06-2024 19:52
19-06-2024 19:42
19-06-2024 19:30
19-06-2024 19:17