Porto Novo: Bancada do PAICV alerta para a perda de população no município

03-03-2024 13:30

Porto Novo, 03 Mar (Inforpress) – A bancada do PAICV (oposição) na Assembleia Municipal do Porto Novo manifestou, sábado, 02, “preocupação” face à perda de população por parte deste município, com incidência nos jovens que continuam a deixar o concelho.

Osvaldo Fortes, que fazia o balanço das actividades da câmara municipal referente a 2023, cujo relatório foi discutido em sessão da Assembleia Municipal do Porto Novo, disse que os investimentos realizados no ano transacto no município “não tiveram impacto” na melhoria das condições de vida dos porto-novenses.

Daí, a seu ver, a saída dos jovens em direcção a outras ilhas ou à emigração, já que no concelho “não há oportunidades” para esta camada social, avançou o líder da bancada do PAICV, que deu “nota suficiente” ao desempenho do executivo camarário em 2023.

Por seu lado, o deputado da UCID (oposição) na Assembleia Municipal do Porto Novo, José Graça, deu “nota negativa” à equipa camarária, considerando que o valor investido em 2023, à volta de 500 mil contos, poderia ter “maior efeito” na melhoria das condições de vida das populações.

O representante da bancada do MpD, que suporta a câmara municipal, Jorge Fonseca, por seu lado, considerou “extremamente positivo” o balanço das actividades camarárias no ano transacto, enaltecendo o impacto das acções concretizadas na vida dos munícipes, designadamente a nível do abastecimento de água, habituação e requalificação urbana.

Para o presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Aníbal Fonseca, está-se perante um município com “grande potencial de desenvolvimento”, mas com o “tecido social desafiante”, e com uma economia que está “numa fase em que não consegue ainda responder aos grandes desafios”, como sejam os de criação de emprego e de rendimentos para as famílias.

Conforme o autarca, a sua câmara municipal “investiu muito” no domínio social, com enfoque na infância, na terceira idade, no apoio às mulheres chefes de família, na educação, na saúde e na juventude.

Conforme o relatório da autarquia referente a 2023, foram investidos neste período “mais de 500 mil contos”, nos vários domínios, com uma taxa de realização de “quase 90 por cento (%), facto que demonstra, acrescenta, que a equipa camarária “cumpriu quase na totalidade” o seu programa das atividades.

JM/AA

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


19-06-2024 19:52
19-06-2024 19:42
19-06-2024 19:30
19-06-2024 19:17
19-06-2024 19:02