Papa diz que populações estão exaustas devido à guerra que é sempre inútil

18-02-2024 13:50

Cidade do Vaticano, 18 Fev (Inforpress) - O Papa Francisco disse hoje que “em todos os lugares onde ocorrem combates as populações estão exaustas, cansadas da guerra, que é sempre inútil”, mencionando, entre outras, as situações do Sudão e de Cabo Delgado, em Moçambique.

“Em todos os locais onde há combates, as populações estão exaustas, cansadas da guerra, que é sempre inútil, inconclusiva e só traz morte e destruição, e nunca a solução para o problema”, afirmou Francisco, no Vaticano, após a oração do Angelus.

O Papa referiu-se à província moçambicana de Cabo Delgado, onde “volta a reinar a violência contra pessoas desarmadas, a destruição de infraestruturas, a insegurança”, recordando que “há poucos dias foi incendiada a missão católica de Nossa Senhora de África”.

“Rezemos para que a paz regresse a esta região atormentada e não esqueçamos os muitos conflitos que ensanguentam África e muitas partes do mundo, a Europa, a Palestina, a Ucrânia”, adiantou.

Francisco lembrou também que “10 meses se passaram desde o início do conflito armado no Sudão”, que provocou uma situação humana gravíssima.

“Peço, mais uma vez, às partes em conflito que parem com esta guerra, que tanto prejudica o povo e o futuro do país. Rezemos para que sejam rapidamente encontrados caminhos de paz para construir o futuro do amado Sudão”, salientou.

Aos milhares de fiéis concentrados na Praça de São Pedro, o Papa pediu para que não se esqueçam de que “a guerra é sempre uma derrota, sempre” e apelou à oração.

“Rezemos sem nos cansarmos, porque a oração é eficaz e peçamos ao Senhor o dom de mentes e corações dedicados à paz”, acrescentou.

A província de Cabo Delgado enfrenta há seis anos alguns ataques reivindicados pelo Estado Islâmico, o que levou a uma resposta militar desde julho de 2021, com apoio do Ruanda e da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral, libertando distritos junto aos projetos do gás.

Depois de um período de relativa estabilidade, novos ataques e movimentações foram registados em Cabo Delgado, nas últimas semanas, embora localmente as autoridades suspeitem que a movimentação esteja ligada a perseguição imposta pelas Forças de Defesa e Segurança nos distritos de Macomia, Quissanga e Muidumbe, entre os mais afetados.

A guerra no Sudão, que começou em abril de 2023 entre o Exército e os paramilitares, já causou mais de 13 mil mortos e provocou a maior crise de deslocados do mundo da atualidade, de acordo com a ONU.

Inforpress/Lusa

Fim

Notícias Recentes


20-06-2024 22:21
20-06-2024 21:52
20-06-2024 21:37
20-06-2024 21:14
20-06-2024 20:57