Ministro destaca importância da inteligência artificial para eficiência e transparência

02-04-2024 14:08

Cidade da Praia, 02 Abr (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, destacou hoje a importância que a inteligência artificial terá para “sermos eficazes, eficientes e cumprirmos o princípio essencial da transparência” na administração pública cabo-verdiana.

O governante que falava à imprensa momentos antes de presidir à abertura da formação sobre a “Transição digital na gestão da informação em arquivos da administração pública de Cabo Verde”, sublinhou que esta formação será muito útil para preparar o país para a transformação digital.

Na fase em que o mundo está, e no momento em que Cabo Verde está na transição digital realçou que é fundamental a total digitalização, ou seja, a transferência para suportes digitais, daquilo que o país tem aqui como informação histórica, mas também a informação da administração pública cabo-verdiana. 

“Estamos a formar os nossos recursos humanos para que este processo de digitalização seja integralmente compreendido”, precisou o ministro que lembrou que a digitalização não é apenas digitalizar as folhas, mas sim colocar num sistema informático todos os dados de modo a que sejam acessíveis a todo o momento, em qualquer lado, estando em Cabo Verde ou não.

A digitalização, segundo o ministro, é fazer com que a própria inteligência artificial possa usá-los para fornecer respostas rápidas através de sistemas informáticos aos funcionários, aos utentes e a toda a administração pública.

Acrescentou que a grande maioria dos arquivos aqui depositados são do interesse da conservatória e da justiça, de tudo aquilo que tem a ver com os registos de propriedade, os registros nominais, os registros familiares, têm a ver com a história da secretaria até à independência e pós-independência de Cabo Verde.

“É por isso que esta formação ganha grande importância, porque os utentes, mais os utilizadores da parte da administração pública podem ter uma cabal compreensão do seu papel, a partir do momento em que também tenham ferramentas para fazer essa gestão e sempre na perspectiva de serviço ao utente, serviço ao cidadão”, referiu.

No seu entender, uma administração pública cabo-verdiana inteligente, é aquela que tem acesso ao seu histórico, aos processos e, através disso, permite modificar os procedimentos, tornar-se eficiente, corrigir os passos que têm atrasado o país como Estado e como República.

Na mesma linha, considerou que nós, como humanos e instituições públicas, teremos cada vez mais instrumentos digitais, plataformas à nossa disposição para sermos mais eficazes, perdemos menos tempo no trabalho e ter mais tempo com as nossas famílias em qualidade de vida, porque teremos mais condições para decidir rapidamente.

A cerimónia de abertura contou também com a intervenção do embaixador de Portugal em Cabo Verde, Paulo Lourenço, que realçou que é importante reforçar as competências dos dirigentes e técnicos da administração pública nessas áreas sendo que o panorama da administração pública é impulsionado pela transição digital e pela crescente exigência por parte dos cidadãos por serviços mais eficientes e transparentes.

Promovida pela Instituto do Arquivo Nacional de Cabo Verde, em parceria com o Instituto Nacional de Administração de Portugal, com o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, a formação é destinada aos dirigentes e técnicos superiores responsáveis pela gestão do arquivo e ou transição digital das diferentes entidades da administração pública cabo-verdiana.

A formação é composta por oito cursos e tem por objectivo desenvolver e reforçar as competências nas áreas de gestão documental, gestão de dados, transformação digital, protecção de dados de modo a contribuir para uma administração pública aberta, inteligente e moderna.

AV/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


19-04-2024 23:26
19-04-2024 22:50
19-04-2024 22:41
19-04-2024 22:36
19-04-2024 21:23