Governo enaltece contribuição da diáspora e parceiros internacionais na protecção económica e social durante pandemia

11-03-2024 14:21

Cidade da Praia, 11 Mar (Inforpress) –  O Governo relembrou hoje a contribuição da diáspora e dos parceiros internacionais na montagem do sistema de protecção económica e sanitária no combate à pandemia da covid-19, enaltecendo o papel determinante das instituições e dos profissionais de saúde.

Durante o discurso de abertura da cerimónia evocativa do quarto aniversário da declaração da pandemia da covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), realizada Cidade da Praia, o primeiro-ministro referiu que, apesar da dúvidas instaurada quanto à capacidade de resposta do sistema nacional, Cabo Verde conseguiu o maior nível de vacinação em África.

Outro ganho, assinalou Ulisses Correia e Silva, foi a realização massiva de testes de PCR (Polymerase Chain Reaction), introdução da vacinação contra HPV-Papiloma Vírus Humano e, mais tarde, a certificação de Cabo Verde como país livre de paludismo.

Segundo o chefe do Executivo “nunca o sistema político e a administração pública” foi tão eficiente quanto nesse período, enfatizando o papel determinante das câmaras municipais como primeira linha de protecção e no reforço das campanhas de sensibilização.

O Serviço Nacional de Protecção Civil, Polícia Nacional, Forças Armadas, Cruz Vermelha, Igrejas e Organizações Não Governamentais desempenharam, igualmente, um importante papel no combate com acções preventivas e hospitalares de atendimento aos doentes.

O chefe do Governo realçou a contribuição da diáspora ao País, tendo enviado na altura o maior número de remessas e investimentos directos, simbolizando a confiança muito embora, sublinhou, estarem a viver em países, que em termos de exposição à doença e morte, em situação “mais grave” que Cabo Verde.

“A diáspora teve este papel importante em momentos que alguns indicadores estavam a baixar, investimento directo estrangeiro, investimentos privados e próprios donativos” elencou, assinalando que derivado da quebra substancial da actividade turística, Cabo Verde teve a maior recessão economia de 20,8% em 2020.

Ulisses Correia e Silva relembrou o papel preponderante dos parceiros como Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional, União Europeia, Banco Africano de Desenvolvimento e as instituições nacionais como Instituto Nacional de Previdência Social, BCV e bancos nacionais, na protecção económica e empresarial.

Segundo o chefe do Governo, hoje o País mais que recuperou a economia, como conseguiu repor e relançar a economia de forma vigorosa estando a caminho de atingir um milhão de turistas, nas previsões deste ano, assim como reforçando medidas para reduzir a taxa de desemprego e pobreza extrema.

A coordenadora residente das Nações Unidas em Cabo Verde, Patrícia Portela de Souza, felicitou o Governo pela resposta acertada à pandemia, asseverando que Cabo Verde foi um dos primeiros países a adoptar medidas sócio-económicas e imediatas para estabilizar o sistema de saúde, garantir a segurança alimentar, fornecer cuidados e aumentar a protecção social.

“Foi assegurado o serviço de assistência domiciliária aos mais vulneráveis, aqui refiro-me aos idosos, assim como às pessoas com deficiência. Foi implementado um plano de recuperação educacional e foram estabelecidas medidas para assegurar a continuação da aprendizagem de crianças e adolescentes” completou, frisando a instalação da plataforma multissectorial de coordenação da resposta.

LT/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


21-06-2024 22:18
21-06-2024 20:26
21-06-2024 20:23
21-06-2024 20:12
21-06-2024 19:35