Forças de segurança dispersam com gás lacrimogéneo manifestação frente ao parlamento senegalês

05-02-2024 12:29

Dacar, 05 Fev (Inforpress) – As forças de segurança senegalesas estão a utilizar gás lacrimogéneo para dispersar uma manifestação diante da Assembleia Nacional em Dacar, que hoje irá discutir um projecto de alteração constitucional para justificar o adiamento das eleições por seis meses.

A oposição tinha apelado à realização da manifestação, que está agora a ser dispersada pelas forças de segurança, que dispararam duas granadas de gás lacrimogéneo para afastar um grupo de várias dezenas de pessoas que se juntavam.

Os manifestantes recusaram-se a obedecer às ordens das autoridades e retiraram-se para mais longe, gritando "Macky Sall ditador", o nome do Presidente senegalês.

O acesso à Internet móvel foi cortado esta manhã em Dacar, no contexto da crise política desencadeada pelo anúncio do adiamento das eleições presidenciais de 25 de Fevereiro.

Muitos utilizadores em Dacar queixaram-se também de não poder aceder aos dados móveis nos seus telemóveis desde esta manhã.

A decisão anunciada no passado sábado pelo Presidente Macky Sall de adiar as eleições presidenciais, numa decisão inédita desde a independência do país, provocou protestos e uma forte repressão das forças de segurança das primeiras manifestações este domingo no país vizinho da Guiné-Bissau.

O sindicato dos trabalhadores da Sonatel, o principal operador telefónico senegalês, antecipou este domingo a possibilidade de vir a ser ordenado um possível apagão dos dados móveis, afirmando num comunicado que "desaprova qualquer ideia do Estado do Senegal de cortar ou restringir a Internet".

O Governo senegalês tinha já suspendido a Internet de dados móveis em Junho de 2023, no quadro de fortes tensões populares.

Inforpress/Lusa

Fim

Notícias Recentes


21-06-2024 22:18
21-06-2024 20:26
21-06-2024 20:23
21-06-2024 20:12
21-06-2024 19:35