Fogo: “Discriminação das câmaras do PAICV é uma triste realidade” – deputados

31-01-2024 17:12

São Filipe, 31 Jan (Inforpress) – A discriminação das câmaras municipais de São Filipe e Mosteiros, lideradas pelo PAICV, pelo poder central é uma “triste realidade”, consideram os deputados do PAICV (oposição), eleitos pelo círculo eleitoral do Fogo.

Em conferencia de imprensa hoje, em São Filipe, para o balanço da visita de trabalho ao círculo, os parlamentares do PAICV justificaram a discriminação com a “demasiada burocracia e morosidade” no desbloqueio de verbas para as câmaras de São Filipe e dos Mosteiros, que muitas vezes, chegam a esperar “mais de seis meses” depois de justificadas as vergas consignadas.

“Existe uma estratégia e intencionalidade clara para prejudicar os municípios com estes atrasos e há forte tentativa de apropriação da requalificação urbana e do asfalto de determinados troços de estradas, quer na cidade de São Filipe, quer nos Mosteiros”, declarou a deputada Eva Ortet, na qualidade de porta-voz dos parlamentares do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para o círculo do Fogo.

Segundo a mesma, o caso mais crítico neste momento é a asfaltagem da estrada que vai de Fajãzinha a Mosteiros Trás, onde a câmara concebeu o projecto e já mobilizou 70 por cento (%) do financiamento e vem o Governo reivindicar a paternidade do projecto, acrescentando que está claro que estas obras são frutos da dinâmica que as câmaras de São Filipe e dos Mosteiros têm empreendido.

Segundo os parlamentares do PAICV, os dois municípios têm apresentado iniciativas próprias, com projectos próprios e importantes para os seus concelhos e para a ilha do Fogo, sublinhando que “é impressionante a quantidade de projectos nestes dois municípios e visível a capacidade de buscar recursos noutras fontes”.

Os deputados do PAICV alistaram um conjunto de projectos concluídos e em cursos nos dois municípios liderados pelo PAICV, abrangendo diversos sectores.

“O que notamos é que há uma mudança do discurso, pois se antes havia o discurso de que não se fazia nada e que as câmaras não estavam a trabalhar, o discurso mudou e agora as obras que aparecem são do Governo central porque cofinanciam as mesmas”, declarou a parlamentar.

A mesma fonte mencionou ainda a asfaltagem das vias urbanas dos Mosteiros, numa extensão de pouco mais de seis quilómetros, em curso neste momento, “havendo rumores” de que o Governo poderá embargar o processo de asfaltagem por ser estrada nacional.

Eva Ortet lembrou que toda a extensão da estrada de Queimada Guincho, por exemplo, recebeu obras de requalificação da parte da câmara e que na altura o Governo não mandou embargar as obras e por isso não acredita que irá fazê-lo agora por causa da colocação de asfalto e não de calçada.

JR/AA

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


13-06-2024 16:46
13-06-2024 16:42
13-06-2024 16:45
13-06-2024 15:45
13-06-2024 14:44