Deputados do PAICV por Santiago Norte acusam o Governo de “desprezar” os jovens e de “não cumprir os compromissos"

15-02-2024 20:52

João Teves, 15 Fev (Inforpress) – Os deputados do PAICV (oposição), eleitos pelo Círculo Eleitoral de Santiago Norte, acusaram hoje o Governo de “desprezo” pela camada jovem e de “não cumprir os compromissos assumidos com os cabo-verdianos”.

Estas acusações foram feitas pelo deputado do PAICV por Santiago Norte António Fernandes, em São Lourenço dos Órgãos, após uma visita realizada pelos eleitos do círculo eleitoral a este município e a São Salvador do Mundo, dois dos municípios que integram a Região Santiago Norte, tendo como foco a recolha de subsídios para o próximo debate parlamentar.

Nesta visita, o deputado explicou que o foco foi analisar o ponto da situação das comunidades e de algumas infraestruturas outrora instaladas na região, onde concluiu que existe um “desânimo por parte da juventude”, que, segundo sublinhou, se encontra espelhado no êxodo rural massivo por parte dos jovens quer para a cidade da Praia, quer para o exterior.

Sobre o êxodo rural dos jovens, o deputado do PAICV, na oposição desde 2016, imputou ao Governo esta responsabilidade, justificando que a forma como o Governo do MpD (poder) tem vindo a governar tem sido pautado por um certo “desprezo” para com a juventude de Santiago Norte.

Neste sentido, aproveitou para elencar algumas situações concretas, onde, no quadro da formação e qualificação para a juventude, António Fernandes, lamentou o estado em que se encontra a Escola de Ciências Agrárias e Ambientais (ECAA), em São Lourenço dos Órgãos, que hoje está de portas fechadas, mas também o Centro de Transformação Alimentar São Jorge dos Órgãos, financiado por Luxemburgo e que se encontra no mesmo estado.

“O que verificamos é a saída daquilo que é mais importante para a região e os municípios”, disse, considerando que a política do Governo do MpD para a juventude está “absolutamente falhada”.

Ainda, no mesmo quadro de acusações, este deputado falou do sector da agricultura, sublinhando que os agricultores também não recebem nenhum incentivo por parte do Governo.

A crítica é extensível ao sector a habitação, onde, disse, nem o Governo e nem as câmaras municipais conseguiram ainda dar resposta a esta problemática e nem a ligação de água domiciliar nos municípios em questão.
“Vê-se claramente que a política de governação do Executivo nesses casos concretos, agricultura, sector da juventude, habitação, é um autêntico falhanço”, considerou, apontando também alguns sectores no município de São Lourenço que estão a “regredir”, elencando o encerramento do caixa multibanco em João Teves, abandono da residência dos funcionários do INIDA, encerramento do posto revendedor de combustível nos arredores do Mercado, entre outras questões.

Diante deste cenário, António Fernandes apela ao Governo para “cumprir” os compromissos com os cabo-verdianos, sobretudo na “política de reintegração para a redução de assimetrias, mesmo dentro dos concelhos e a criação de políticas para dar suporte à juventude”.

Para finalizar, deixou algumas questões ao Governo sobre a situação da região norte da ilha de Santiago.

“Qual é a vocação que o Governo atribui a São Lourenço dos Órgãos, São Salvador do Mundo e a região Santiago Norte? A região não merece nada? Não merece incentivo para criar algo especial para que a região possa colocar o pé na escada do desenvolvimento no contexto nacional?”, questionou.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Notícias Recentes


19-06-2024 20:22
19-06-2024 19:52
19-06-2024 19:42
19-06-2024 19:30
19-06-2024 19:17