Comunidade de Achada Grande Frente passa a beneficiar de consultas psicológicas gratuitas

15-03-2024 13:14

Cidade da Praia, 15 Mar (Inforpress) - O Centro de Atendimento Psicológico (CAP) passa a proporcionar serviços de apoio emocional, diagnóstico e tratamento de problemas de saúde mental à comunidade de Achada Grande Frente, no âmbito de uma parceria com a Equatorial Coca-Cola Bottling Company.

Este é o objectivo de um protocolo assinado na manhã de hoje na fábrica da Praia Negra entre o CAP, do psicólogo Jacob Vicente, e a Equatorial Coca-Cola Bottling Company (ECCB), representante das empresas Cavibel e Ceris.

Orçado em 750 contos, pretende-se com este protocolo melhorar o bem-estar psicológico e emocional das pessoas nas comunidades assistidas, que passarão a ter acesso a consultas de especialidade em saúde mental, de forma totalmente gratuita, o que vai ao encontro do “compromisso do Governo com esta causa vital”, que decretou 2024 como o Ano da Saúde Mental.

Para além de consultas de psicologia, psiquiatria e de neurologia nas sedes da associação, o protocolo beneficia os residentes de Achada Grande Frente com sessões de palestras mensalmente sobre a saúde mental e acções de sensibilização junto da comunidade, bem como diagnóstico dos principais transtornos psicológicos, mediante o seguimento apropriado dos pacientes.

Esta acção foi apresentada à imprensa pelo director-geral da Cavibel e da Ceris como uma iniciativa surgida na sequência de outras desencadeadas na área do apoio à saúde, ressalvando que anualmente têm vindo a Cabo Verde expedições médicas em oftalmologia e laringologia, de entre outras especialidades, para diagnósticos e intervenções cirúrgicas a pessoas necessitadas, apoiadas por esta empresa.

Pedro Cruz disse que este acordo se afigura como “mais um passo” no apoio que a empresa quer dar às comunidades onde está inserida na área da saúde, por ser uma área onde o país “precisa de uma contribuição/ajuda” do sector privado, com a particularidade de estar a dar um passo não só na promoção da saúde fisiológica, mas também da saúde psicológica e mental”.

O responsável do CAP, Jacob Vicente, enalteceu a importância deste protocolo para um bairro como o da Achada Grande Frente, através de uma iniciativa que considera inédita no país entre as empresas, e logo no Ano da Saúde Mental, sublinhando que a psicologia comunitária hoje em dia torna-se fundamental nas comunidades.

Para Jacob Vicente, trata-se de uma forma de se fazer o diagnóstico nas comunidades, com o propósito de identificar as variáveis que concorrem para o surgimento de transtornos mentais e, consequentemente, fazer um plano de intervenção comunitário.

“Os problemas que podem existir em Achada Grande Frente, podem ser completamente diferentes das variáveis que estão no Palmarejo e que causam, também, os mesmos transtornos. Nós temos de começar a trabalhar com variáveis e só depois ter um plano de intervenção específico de cada comunidade. Esta é a grande diferente da assinatura deste protocolo”, especificou

Em representação da comunidade de Achada Grande Frente, Mia Luz, na qualidade da dirigente da Escola de Futebol de Achada Grande Frente (EFAG), destacou a essência do protocolo numa localidade conhecida como esta, alegando que poderá ser determinante para aliviar os casos de transtornos que vêm abalando à população, sobretudo jovem.

SR/AA

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


14-06-2024 0:17
14-06-2024 1:25
13-06-2024 22:05
13-06-2024 19:49
13-06-2024 19:04