Carnaval/Sal: Gaviões e Patchê Parloa levam “verdadeiro show” de cores, brilho e animação à avenida 13 Janeiro

14-02-2024 11:26

Espargos, 14 Fev (Inforpress) – Os dois grupos oficiais do carnaval na ilha do Sal, Gaviões e Patchê Parloa deram na noite desta terça-feira, um “verdadeiro show” de cores e brilho por toda a avenida 13 de Janeiro, não obstante as cerca de três horas de atraso.

Mas antes disso, Maravilhas do Universo, grupo de animação, deu o pontapé de saída ao carnaval do Sal por volta das 18 horas, levando à avenida 13 de Janeiro a história da ilha das salinas.

Com cerca de 110 foliões divididos em quatro alas, envolvidos em muito brilho e animação, o grupo que veio da palmeira, mesmo não participando da competição, conquistou o público atento que já se encontrava à sua espera.

Uma satisfação “enorme” conforme descreveu a vice-presidente do grupo Zaida Lima, para quem este segundo ano de desfile do grupo, representa apenas o amor ao carnaval.

Logo de seguida numa fusão das localidades de Alto Santa Cruz e Alto São João a criançada fez a festa, todos vestidos como príncipes e princesas e entraram na folia já que nos grupos oficiais da ilha por ser custoso, acaba por ser quase que impossível segundo explicou a responsável, Vanusa Cardoso.

Pedra de lume na Folia foi o terceiro e último dos grupos de animação a desfilar pela avenida, retratando toda a história das salinas de pedra de lume, num carro alegórico temático, quase que trazendo todo processo de extracção do sal, para a cidade, 120 foliões e quatro alas.

Alcindo Silva, membro da organização, ao final do desfile, mostrou-se satisfeito pelo resultado colocado nas ruas, contando a história ao vivo das salinas de Pedra de Lume, remontando os anos 1805, prometendo trazer o grupo com mais força no próximo ano, desta feita como grupo oficial.

Os dois únicos grupos oficiais no Carnaval deste ano, "Patchê Parloa" e Gaviões, previstos para saírem 19 e 20 horas respectivamente, fizeram o público aguardar ansiosos por toda a extensão da rua de Chã de Matias por cerca de três horas depois da hora marcada, mas mesmo assim não foi motivo para impedir que o público vibrasse com a sua chegada.

O grupo "Patche Parloa" por volta das 22 horas deu, o “ar da sua graça”, depois de não conseguir resolver um problema com o gerador que fez o grupo desfilar apenas ao som da batucada e dos cantares dos foliões.

"Patchê Parloa", que tem histórico de apostar fortemente na música e na batucada, este ano viu-se obrigado a atravessar a avenida um pouco mais calmo, já que esta pequena falha os “esmoreceu”.

Contudo, não deixou de apresentar os seus outros trabalhos que retratavam a cultura chinesa, merecendo ovações por toda a extensão da avenida, que desfilou com os seus dois carros alegóricos e cerca de 400 foliões.

O presidente do grupo, Nuno Lopes, frisou que “apesar dos inconvenientes”, o grémio tem “motivos de sobra para comemorar, especialmente por estar a celebrar o 20º aniversário da sua criação”.

Logo à trás, Gaviões, veio com “toda a força”, espalhando alegria, brilho e animação distribuídos em seis alas, mais de duas centenas de foliões e um carro alegórico, contando a história do café.

Para o presidente José do Rosário, levaram à avenida um trabalho de cerca de um mês, mas mostrou toda a força do grupo que decidiu em cima da hora participar do desfile oficial, que como disse caso contrário “a ilha do Sal, sairia perdendo”.

No final dos desfiles, quase meia-noite, o público não deixou de dar a sua nota, tanto para os grupos de animação, como também para os oficiais, já pressupondo o vencedor entre os dois concorrentes.

Muito brilho, glamour, animação e competitividade foram algumas das palavras deixadas pelo público depois de assistirem aos desfiles que desde o ano passado foram deslocados para a avenida 13 de Janeiro, conhecida como avenida Chã de Matias.

NA/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


21-06-2024 8:04
21-06-2024 7:51
20-06-2024 22:21
20-06-2024 21:52
20-06-2024 21:37