Boa Vista: PAICV e MpD com posições divergentes sobre relatório de actividades da câmara em 2023 (c/áudio)

01-03-2024 8:13

Sal Rei, 29 Fev – A bancada do MpD (oposição) na Assembleia Municipal da Boa Vista fez apreciação negativa do relatório de actividades da câmara, em 2023, “um calhamaço de nada”, e o PAICV, que lidera a autarquia, considera que “espelha todas realizações”. 

Estas apreciações foram feitas à imprensa pelos eleitos municipais das bancadas do Movimento para a Democracia (MpD) e do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), sobre o relatório de actividades da Câmara Municipal da Boa Vista do ano 2023, apreciado na primeira sessão ordinária do ano da Assembleia Municipal.

 Segundo o deputado do MpD Vicente Silva, a bancada municipal do partido fez uma apreciação de acordo com o relatório apresentado com os projectos que a câmara designou durante o mandato para o ano 2023 considerando-o “um calhamaço de nada”.

 “A câmara vangloria com o cancelamento e ficamos preocupados porque queremos pequenas obras que fazem sim diferença, mas já estamos à espera há quase quatro anos do mandato que a câmara realizasse realmente obras estruturantes para Boa Vista”, observou, considerando que, a edilidade “não tem capacidade de fazer”, ainda que o relatório espelha isso, e uma equipa camararia que coloca a culpa nos outros. 

Conforme o eleito municipal MpD, a legislação é clara em que o domínio municipal é da câmara, e no caso do presidente Cláudio Mendonça.

Para Vicente Silva, durante a sessão da Assembleia Municipal pareceu que se estava na Assembleia Nacional, justificado pela falta de argumentos do presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça, e da bancada do PAICV, que se refugiaram em acusações e culpar o Governo pela não realização das obras e projetos municipais.

“O objectivo da apreciação da bancada do MpD é precisamente fazer e demonstrar a equipa camarária a necessidade de concentrar na Boa Vista e uscar parceiros para trazer trabalho e serviços para a ilha”, disse, alertando que se tem constatado “grande números de viagens do edil boa-vistense”, mas que “não vê trabalho palpável” para a ilha”.

Segundo o deputado do MpD, no relatório consta um gráfico que indica 55 por cento (%) de obras em Sal Rei, pelo que questiona por obras e noutros povoados, em zonas como o Rabil onde verificam que há lugares em que as pessoas ainda andam em áreas sem calcetamento, e, assim sendo, consideram que há possibilidade de distribuir calcetamento equitativamente para outros povoados.

Por seu lado, a eleita municipal da bancada do PAICV Gilda Marques observou que o relatório de actividades “espelha todas as actividades das realizações” e com enfoque no ano de 2023.

“Não tem sido fácil realizar obras quando há um Governo que não apoia a actual gestão camarária, mas acredito que a câmara esta a fazer o seu trabalhão que não tem sido fácil”, criticou a mesma fonte.

Gilda Marques considerou ainda que com os recursos que a edilidade dispõe de momento tem conseguido dar respostas a muitas situações principalmente as famílias que pedem constantemente intervenções urgentes.

“É neste sentido que este plano relata um pouco daquilo que tem sido as atividades realizadas”, concretizou a eleita do partido que suporta a câmara.

Segundo Gilda Marques, a actual gestão camarária tem “rosto humano” e se preocupa com a população, com as condições de fragilidade que as famílias estão a viver na Boa Vista, pelo que demonstrou confiança de que continuarão alinhados na máxima de que é possível colocar Boa Vista “num ritmo de crescimento desejado”.

VD/AA

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


19-06-2024 19:52
19-06-2024 19:42
19-06-2024 19:30
19-06-2024 19:17
19-06-2024 19:02