Boa Vista: Câmara justifica dificuldades de executar programa de desenvolvimento da ilha com crise global e descaso do Governo (c/áudio)

01-03-2024 12:18

Sal Rei, 01 Mar (Inforpress) – A Câmara Municipal da Boa Vista admitiu hoje dificuldades em executar o seu programa de desenvolvimento da ilha, justificando com a crise económica global e acusa o Governo de descaso na resolução dos desafios da Boa Vista.

Estas observações foram feitas pela vereadora da Cultura da Câmara Municipal da Boa Vista, Nádia Santos, durante a apresentação do relatório de actividades da autarquia referente ao ano de 2023, documento que esteve em apreciação durante a primeira sessão deste ano da assembleia municipal, que termina hoje.

Conforme a autarca, “do relatório de actividades da câmara de 2023 consta um balanço minucioso que espelha as actividades desenvolvidas pelo município, retratando com fidelidade o desempenho da câmara municipal em 2023 e os consequentes impactos das decisões e acções na vida dos munícipes e da ilha”.

“Não tem sido fácil executar o programa de desenvolvimento da ilha, tendo em conta o contexto de crise que o mundo está a viver e o quadro económico de Cabo Verde, a braços com dificuldades de vária ordem, no quadro das tradicionais funções do Estado, como a segurança, a saúde, a economia, os transportes, o emprego e rendimentos e o combate às desigualdades sociais”, afirmou.

Conforme a mesma, “Boa Vista tem enfrentado sérias dificuldades em fazer ouvir a sua voz e os seus principais desafios sobretudo junto do Governo que considera o maior parceiro do desenvolvimento local em Cabo Verde”, pelo que verificou que, “as necessidades de financiamento de projectos estruturantes no processo de desenvolvimento da Boa Vista, nos domínios da saúde, da infra-estruturação, nos transportes, no saneamento e ambiente e na urbanização continuam sem resposta satisfatória do Governo, com consequências gravosas na vida colectiva municipal, qualidade de vida da população e na alavancagem da economia local”.

Esse quadro exigiu, segundo indicou Nádia Santos, “uma postura de comprometimento e empenhamento da equipa camararia que pauta a sua actuação pela superação de instrumentos que obstaculizaram a implementação e fortalecimento das politicas públicas traçadas em 2023”.

Assim sendo analisou que, “fiel ao compromisso político plasmado na plataforma eleitoral e no plano de actividades 2023, a gestão camarária implementou um conjunto de acções, elencadas no relatório que demostra o engajamento e determinação como via de garantir e conduzir o concelho ao desenvolvimento que efectivamente merece”.

A autarca garantiu que a equipa camararia continuará com o compromisso de trabalhar em prol do desenvolvimento da Boa Vista, e vai redobrar os esforços, interna e externamente para mobilizar mais recursos, continuar a dialogar com parceiros  com fito de convencê-los da importância em colaborar  e apoiar no processo de desenvolvimento da Boa Vista, com vista à assinatura de mais protocolos de cooperação e de geminação que possam desenvolver acções em 2024  de modo a multiplicar as obras e acções de desenvolvimento do Município.

“Vamos continuar engajados na defesa dos interesses da nossa ilha. Aproveitamos esta oportunidade para apelar a todos os boa-vistenses no sentido de juntarmos esforços a favor da ilha”, concluiu, alertando que, o Governo precisa cumprir com a ilha, daí que frisou ser o dever da equipa da câmara municipal exigir que tal aconteça.

VD/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


17-06-2024 11:43
17-06-2024 11:35
17-06-2024 11:22
17-06-2024 11:11
17-06-2024 10:59