AME 2024: Artistas de Cabo Verde e Brasil encantam público com diversidade cultural

03-04-2024 8:00

Cidade da Praia, 03 Abr (Inforpress) - A primeira noite de ‘showcases’ do Atlantic Music Expo (AME) 2024 foi marcada por uma exibição de talento, em que artistas de Cabo Verde e Brasil deixaram o público encantado com a rica diversidade cultural apresentada.

A noite ficou igualmente marcada por anúncios de lançamentos de álbuns ainda este ano, como é o caso do grupo da ilha de São Vicente SIZAL, que vem apresentando uma nova abordagem e uma sonoridade à música cabo-verdiana.

Roberto Rock, em nome do grupo, expressou a emoção de estar a participar pela primeira vez no evento, descrevendo a sensação como "inexplicável".

O espetáculo, segundo ele, superou todas as expectativas previamente estabelecidas, sublinhando que há muito que o grupo ansiava por esse momento.

“Quisemos trazer temas em que povo cabo-verdiano se identifiquem, falamos sobre a luta de Amílcar Cabral, falamos sobre racismo sobre resistência do nosso povo”, disse Roberto Rock.

O próximo passo, revelou, é o lançamento do álbum “Caminho de Prata” ainda este ano, em que o grupo retrata toda a força e a resistência do povo cabo-verdiano.

Da cidade da Praia, Sté também fez sua estreia marcante no AME, contribuindo no “resgate” da “rica cultura” de Cabo Verde com seu projecto "Feito na África".

Através deste projecto, Sté busca misturar diversos ritmos africanos para criar uma música “global e inclusiva”, que transcende fronteiras e conecta pessoas de diferentes origens.

“Uma música moderna, mas que tem todos os traços da tradição de Cabo Verde como coladeira, batuku (...)”, vincou, frisando que este projecto visa levar uma mensagem de emancipação mental para o povo cabo-verdiano e para toda a população africana.

Do Brasil, Dendê, cantor, compositor, bandleader, professor e multi-instrumentista, trouxe sua energia ao palco do AME.

Durante a entrevista, destacou a “interação maravilhosa” entre ele e o público, bem como intercâmbio com artistas.

O brasileiro revelou que seria “um prazer” gravar com artistas cabo-verdianos.

Também do Brasil, Camila Reis presenteou o público com temas do seu EP "Canções de uma Mulher Preta", e não escondeu a sua "grande satisfação" por ter a oportunidade de mostrar “um pedaço” do Brasil na maior feira de música transatlântica.

Destacou o “papel fundamental” do intercâmbio entre artistas tendo citado a troca de experiência com o músico cabo-verdiano Manel de Candinho, que desde o início se mostrou disposto a apoiá-la.

Manu Reys, cantor e compositor, da cidade da Praia, por seu lado, trouxe ao AME uma homenagem pessoal (esposa e filho) e uma mensagem de aceitação das perdas.

Com seu álbum "Sol", 90% pronto para lançamento ainda este ano, Manu Reys expressou uma “profunda sensação” de honra ao representar seu país.

A noite, que começou com George Tavares, cantor e compositor, que compõe temas infantis e também do Carnaval praiense, terminou com o DJ Axel numa das discotecas da capital.

Orçado em cerca de 20 mil contos e sob o lema “Sustentabilidade artística”, 26 artistas nacionais e internacionais compõem o cartaz da 10ª edição do Atlantic Music Expo (AME).

Katia Semedo, Quarteto Ano Nobo +1, Zubukilla Spencer, Manu Reys, Ste Mandela, Primitive e Dj Axel da Praia, Gabriela Mendes, Elly Paris, Sizal de São Vicente, Gerson Spencer e Berlock a residir em Portugal, George Tavares do Maio e Dj Sarumawashi de Santo Antão são os artistas nacionais que actuam no AME 2024.

Nove nacionalidade compõem o rol de artistas internacionais, como Giuliano Gabriele da Itália, Ana Setton, Camila Reis e Dend do Brasil, o grupo Browm Rice Family do Japão e Estados Unidos, Luis Caracol e Dj Danykas de Portugal, Klaudio Hoshai de Angola, Jocelyn Balou do Congo, Le-Panda da Quebec Canadá e Insolito Universo da Venezuela.

TC/AA

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


19-04-2024 23:26
19-04-2024 22:50
19-04-2024 22:41
19-04-2024 22:36
19-04-2024 21:23