Cabo Verde desce quatro posições no Índice Global de Paridade em 2024

13-06-2024 13:42

Cidade da Praia, 13 Jun (Inforpress) – Cabo Verde desce quatro posições no Índice Global de Paridade 2024, mas consolidou-se como país referência na promoção da igualdade e equidade de género na região subsaariana, mantendo-se no 6.º lugar e a 41.ª posição no ranking global.

De acordo com uma divulgação do Índice Global de Paridade 2024, uma análise do Fórum Económico Mundial que compara o estado actual e evolução da paridade de género em quatro dimensões-chave (Participação Económica e Oportunidades, nível educacional, Saúde e Sobrevivência e Empoderamento Político), divulgada hoje pelo ICIEG, Cabo Verde é sexto país mais paritário na África Subsaariana.

Ainda a mesma fonte, a consolidação de Cabo Verde como país referência na promoção da igualdade e equidade de género na região subsaariana, deve-se a posição mantida no 6º lugar e o alcance da 41ª posição no ranking global, com 0,755 pontos (avaliação de 0 a 1, representando 0 – zero - a não paridade e 1 – um - a paridade total).

Mesmo assim, tendo em consideração o lugar conseguido no ano anterior, o país desceu quatro posições, do 37.º lugar para o 41.º, resultado dos avanços conseguidos por alguns países, visto alguns terem realizado eleições e melhorado, assim, o índice da participação política.

Cabo Verde conseguiu no empoderamento político um score de 0,310, chegando a 46.ª posição, contra o score de 0,334, do ano passado, que colocava o país na posição 40ª.

O nível educacional, que em 2023 alcançou o score de 0,981, atingiu 0,985 colocando o país na 93.ª posição.

O pilar da saúde e sobrevivência manteve o score de 0,980, colocando o país nos lugares cimeiros, 1.º lugar, como tem sido nos últimos anos, enquanto que na participação e oportunidades económicas houve um decréscimo de duas posições, que levou o país a descer para a 34ª posição, com um score de 0,746.

Criada em 2006, é o índice mais antigo que, este ano abrangeu 146 países, acompanha e avalia o progresso alcançado pelos países com o intuito de colmatar os fossos de género ao longo do tempo.

Para que um país seja incluído neste índice, que abrange 146 países, deve reportar um mínimo de 12 dos 14 indicadores.

PC/AA

Inforpress/Fim

 

Notícias Recentes


15-07-2024 14:38
15-07-2024 14:09
15-07-2024 14:01
15-07-2024 13:41
15-07-2024 13:25