ambiente


15/07/24 14:01

Carcavelos, Lisboa, 15 Jul (Inforpress) - A ministra do Ambiente e Energia disse hoje que os primeiros dois projectos de troca de dívida de Cabo Verde a Portugal são o aumento de uma central fotovoltaica e à dessalinização e tratamento de água.

"Foram estabelecidos dois conjuntos de projectos que vão absorver os 12 milhões de euros até 2025, que são um aumento de uma central solar fotovoltaica na ilha de Santiago, a central de Palmarejo, e várias instalações fotovoltaicas associadas à produção e ao tratamento de água, que é essencial porque qualquer instalação de produção de água dessalinizada consome muita energia", revelou Maria Graça Carvalho.

Em declarações aos jornalistas à margem da sua participação no Eurafrican Forum, que decorre hoje e terça-feira em Carcavelos, nos arredores de Lisboa, a governante acrescentou que "o segundo projecto está associado à energia eólica e armazenagem através de bombagem, para armazenar energia eólica".

Estes são os dois primeiros projectos que vão ser financiados ao abrigo do acordo assinado entre Portugal e Cabo Verde, que reconverte a dívida paga pelo país africano em investimentos climáticos.

"Cada ano que vence a dívida, o valor vai para um fundo ambiental criado por Cabo Verde e os dois países, em conjunto, definem os projectos", explicou a governante.

O fundo climático criado pelo país africano terá 12 milhões de euros de dívida a Portugal, referiu, e insere-se nos compromissos internacionais assumidos por Portugal de financiamento da adaptação às alterações climáticas, no valor de 68,5 milhões de euros até 2025.

Portugal assinou com Cabo Verde e São Tomé e Príncipe um alívio com troca da dívida bilateral por investimentos climáticos no mesmo valor, sendo que o acordo assinado com Cabo Verde prevê 12 milhões de euros e o de São Tomé e Príncipe é de 3,5 milhões de euros.

A ideia, que admite alargar a outros países lusófonos em África, é constituir um fundo internacional, no caso de Cabo Verde, e nacional, no caso de São Tomé e Príncipe, para onde Portugal canalizará o valor que é pago pelos dois países, um procedimento obrigatório para não haver um perdão nem uma reestruturação da dívida, do ponto de vista financeiro, que poderia levar a descidas no ‘rating’ e na avaliação dos investidores sobre a qualidade do crédito dos países.

Inforpress/Lusa

Fim

15/07/24 13:41

Porto Inglês, 15 Jul (Inforpress) - A época balnear arrancou na ilha do Maio com três nadadores-salvadores nas principais praias da ilha, com a possibilidade de reforços desses profissionais ao longo da temporada.

Conforme avançou à Inforpress o vereador do Desporto, Cultura e Juventude, Carlos Tavares, a época balnear arrancou a 01 de Julho com um nadador na praia de Bix Rotcha, um na praia de Ponta Preta e um outro na Praia de Baxona, na Calheta.

“Desde o mês de Junho estamos a preparar este processo, com a identificação dos nadadores-salvadores, os materiais e a identificação das praias de mar a serem fiscalizadas. Durante as atividades de verão podemos reforçar o número de nadadores-salvadores”, avançou.

A preparação da época balnear acontece em parceria com o Instituto Marítimo e Portuário (IMP), que disponibiliza aos nadadores-salvadores os materiais de suporte a salvamento.

Todos os nadadores-salvadores são capacitados e trabalham com um contrato de três meses, segundo a mesma fonte.

RL/AA

Inforpress/Fim

14/07/24 18:14

Porto Novo, 14 Jul (Inforpress) – Uma campanha de limpeza realizada sábado nas praias do Porto Novo, Santo Antão, “superou as expectativas” com a recolha de cerca de duas toneladas de lixo, essencialmente plásticos, informou hoje a Associação Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Terrimar).

Esta associação, que promoveu a campanha de limpeza em parceria com a câmara do Porto Novo, manifestou a sua satisfação com o “sucesso” da iniciativa que aconteceu em plena época de desova das tartarugas marinhas.

Esta organização explicou que a campanha de limpeza das praias permite reduzir a poluição e os resíduos nas praias que têm ameaçado os 'habitats' e, com isso, garante “um ambiente seguro para nidificação e sobrevivência das espécies”.

A campanha de limpeza teve o envolvimento de algumas organizações, entre as quais a associação dos escuteiros, os voluntários do Centro de Juventude do Porto Novo, agentes desportivos e os jovens radicais do Porto Novo, além do delegado do Instituto Marítimo Portuário e algumas empresas.

JM/ZS

Inforpress/Fim 

14/07/24 11:53

Tarrafal, 14 Jul (Inforpress) – A associação Lantuna no Tarrafal e Caretta Caretta em Santa Cruz têm trabalhado na sensibilização das comunidades para a preservação do ambiente, mas também das tartarugas nesta época de desova.

Em declarações à Inforpress a coordenadora do programa de conservação das tartarugas marinhas no município do Tarrafal de Santiago, da associação ambiental Lantuna, Mediana dos Reis, contou que os preparativos para a época da desova das tartarugas iniciaram no passado mês de Junho com a montagem dos viveiros em Ribeira da Prata.

Acrescentou ainda que somente registaram o primeiro ninho nesta praia no passado dia 1 de Julho que foi recolocado no viveiro.

Durante esta época, aquela coordenadora explicou que a equipa tem trabalhado na sensibilização dos moradores desta localidade, mas também de outras zonas próximas e onde também há praias passíveis de terem ninhos de tartarugas, no sentido não só de protegerem a espécie e de manter o ambiente limpo.

Neste quesito da limpeza e sensibilização informou que já realizaram uma campanha de limpeza nas ribeiras, encostas e na beira do mar de Ribeira da Prata. Nesta campanha participaram 35 pessoas dessa comunidade e recolheram 49 sacos de lixo, sendo que na sua maioria os resíduos eram plásticos.

Quanto à sensibilização, avançou que têm trabalhado com as crianças, jovens e toda a comunidade sobre a importância de manter as praias, o mar, as encostas, ribeiras e ladeiras limpas não só nesta época das chuvas, mas o tempo todo, porque acreditam que estas campanhas de limpezas que estão a ser realizadas vão promover mudanças de comportamentos na sociedade.

“É necessário adoptar medidas e comportamentos saudáveis, pois quando se tem uma praia limpa, além de o ambiente estar saudável e agradável para todos, estão a preservar e proteger a vida marinha”, disse aquela ambientalista.

As actividades de sensibilização têm sido feitas com as comunidades de Ribeira da Prata, Trás-os-Montes, Fazenda e o intuito é prosseguir com outras comunidades para que todos possam se envolver nesta causa.

O foco tem sido as tartarugas e a preservação do meio ambiente e a técnica usada são jogos, dinâmicas, para incutir nos presentes informações sobre a poluição marinha, ameaças enfrentadas pelas tartarugas, as espécies de tartarugas que mais procuram as águas de Cabo Verde, entre outras.

Questionada sobre as expectativas para a época, avançou que o que se espera é que ao longo da temporada se tenha mais tartarugas na desova e mais ninhos no viveiro.

Para garantir a segurança, a mesma fonte disse que estão a fazer patrulhas nocturnas com guardas e voluntários, sendo que três desses são portugueses e outros da própria comunidade que têm apoiado na missão.

Outra associação ambiental que está a trabalhar na preservação das tartarugas marinhas em Santiago Norte é a associação Caretta Caretta de Santa Cruz e o membro João Mendes avançou que neste momento somente na praia de Areia Grande já registaram 20 ninhos, com expectativa de se ter muito mais ainda, visto que, a época ainda está a iniciar.

Entretanto, demonstrou a sua “preocupação” com as actividades que vão ser realizadas nos próximos dias na praia, nomeadamente o festival musical, pelo que teme que a iluminação e os resíduos que vão ser deixados no local prejudiquem este processo.

Neste sentido, pede a colaboração de todos, desde as entidades a pessoas individuais em trabalhar no processo de preservação das tartarugas, mas também contribuindo com um meio ambiente mais limpo conservando o lixo nos locais adequados. 

MC/ZS

Inforpress/Fim

14/07/24 10:54

Porto Novo, 14 Jul (Inforpress) – A construção da estrada de acesso ao vale agrícola de Dominguinhas, Porto Novo, Santo Antão, deve ser uma prioridade para o Governo, pediu hoje a associação para o desenvolvimento dessa localidade.

A direcção desta associação entende que o Governo deve priorizar a construção da estrada de acesso a essa zona que, apesar do seu potencial agrícola e turístico, continua encravada para o desalento dos agricultores e da população, em geral.

O líder associativo, Ilaurindo Baptista, é de opinião de que o executivo deve priorizar o desencravamento das zonas com potencial económico e só depois avançar com a requalificação das estradas carroçáveis já existentes.

A associação local dos agricultores tinha, recentemente, alertado para o facto de a classe estar a perder a produção devido a dificuldades no escoamento dos produtos, explicando que os lavradores, sem estrada, não conseguem escoar os excedentes, que acabam por se perder.  

A ministra das Infra-estruturas, Eunice Silva, disse recentemente que está nos planos do Governo a realização dos estudos para a construção da estrada de acesso ao vale agrícola de Dominguinhas. 

A ministra avançou que a estrada para Dominguinhas vai ser a próxima a ser construída no concelho do Porto Novo, estando o Governo a preparar a realização dos estudos para o efeito.

Está na fase de concurso a empreitada para a construção da estrada de acesso à Ribeira Fria e Ribeira dos Bodes, conforme o edital do Governo, que pretende investir cerca de 200 mil contos neste projecto.

JM/ZS

Inforpress/Fim

13/07/24 20:29

Tarrafal, 13 Jul (Inforpress) – Algumas associações ambientais da ilha de Santiago que estiveram presentes na III Conferência da Década do Oceano, realizada na ilha do Sal, encontram-se reunidas para definir estratégias de implementação das recomendações.

Essas associações vão estar reunidas no município do Tarrafal durante dois dias, hoje e domingo, 14, e, em declarações à imprensa, o presidente da Associação Nacional de Pescadores Artesanal de Cabo Verde e membro da organização deste evento, Paulo Varela, explicou que esta actividade se enquadra nas comemorações do Dia Mundial para Conscientização sobre Tubarões e Raias, assinalado a 14 de Julho.

Dentro deste dia e das comemorações, a mesma fonte avançou que aproveitaram para reunir com todas as associações que estiveram presentes na III Conferência da Década do Oceano, realizada no passado mês de Junho, para promover uma reflexão em torno da data, mas também dar passos nas acções que devem ser feitas para melhorar o meio ambiente.

“O mundo está a gritar socorro à volta do clima e no passado mês de Junho, Cabo Verde acolheu a conferência Década dos Oceanos na ilha do Sal, tendo saído quinze recomendações”, expôs, evidenciando que cada associação e cada membro que esteve presente nesta conferência tem a missão de ajudar o país a colocar em prática as recomendações.

“Vamos trabalhar e executar um plano de forma a contribuir que o país e o mundo vivem melhores momentos à volta do clima”, destacou.

Reconheceu, por outro lado, que somente as acções na ilha de Santiago não vão ser suficientes para alcançar o objectivo almejado e, neste sentido, vão trabalhar para encorajar outras associações, grupos e pessoas individuais de outras ilhas a replicar esta iniciativa, como um dos pontos do plano de actividade da rede.

Das associações que se encontram reunidas, o presidente da Associação Cabo-verdiana de Lixo Marinho (ACLIM), Euclides dos Santos, louvou a iniciativa que visa trabalhar para contribuir com a implementação das directrizes estabelecidas na III Conferência da Década dos Oceanos.

Para este ambientalista, o primeiro passo já está a ser dado, que é este encontro, e depois o foco vai passar primeiramente pela educação e sensibilização das pessoas, desde crianças sobre a problemática do ambiente, principalmente na problemática do lixo nos oceanos, reforçando que futuramente caso não forem tomadas medidas corre-se o risco de se ter mais lixo nos oceanos do que peixe para o consumo.

Quem também enalteceu e elogiou a iniciativa foi o membro da associação ambiental de Caretta Caretta, João Mendes, uma associação do município de Santa Cruz, que sublinhou que deste encontro vai sair um programa e um plano de acção cuja implementação vai proporcionar um ambiente “mais sustentável” no futuro.

A Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável, 2021 a 2030, foi proclamada pelas Nações Unidas visando sensibilizar e mobilizar os actores públicos, privados, organizações internacionais e da sociedade civil sobre a importância dos oceanos, de modo a agregar todos os esforços que se traduzam em acções que favoreçam a sua saúde e sustentabilidade.

Da programação, além da elaboração e de projectos consta ainda a plantação de coqueiros, limpeza de praias e a pesagem do lixo, entre outras acções de fito ambiental.

MC/AA

Inforpress/Fim

13/07/24 09:23

Porto Novo, 13 Jul (Inforpress) – A Associação dos Criadores de Gado no Porto Novo, Santo Antão, regozijou-se hoje com o anúncio do Ministério da Agricultura e Ambiente de que este município vai ser contemplado com novos investimentos no sector pecuário.

Trata-se de investimentos de dois mil contos no domínio do abastecimento de água para o gado, que serão implementados até Dezembro próximo na parte baixa do município do Porto Novo, (Ribeira de Tortolho), contemplando 18 criadores.

A associação local de criadores de gado mostrou-se satisfeita com o facto de o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente o Porto Novo, Joel Barros, ter garantido à Inforpress que este ministério vai continuar a investir na resolução do problema de água para o gado na zona baixa do concelho.

Segundo Joel Barros, será uma segunda fase do projecto de fornecimento de água aos criadores de gado na Ribeira de Tortolho, que já tem financiamento assegurado.  

Até agora, o Ministério da Agricultura e Ambiente investiu 28 mil contos na resolução do problema de água para a actividade pecuária na parte baixa do município do Porto Novo, abarcando 55 criadores de gado, número que será alargado ainda no decorrer de 2024 para 73 pastores.

JM/AA

Inforpress/Fim  

12/07/24 08:57

Porto Novo, 12 Jul (Inforpress) – A Associação das Mulheres do Planalto Leste (Amupal), em Santo Antão, manifestou hoje disponibilidade para ser parceira do Ministério da Agricultura e Ambiente na recuperação da zona florestal alvo, recentemente, de vários incêndios.

A presidente da Amupal, Josefa Sousa, disse à Inforpress que a associação que dirige, à semelhança do que se verificou em relação a outros incêndios, está também agora disponível para ajudar na recuperação da zona afectada pelos incêndios.

Estes ocorreram entre finais de Maio e princípios de Junho, consumindo mais de 20 hectares da floresta.

Em outros incêndios ocorridos no Planalto Leste, a Amupal procedeu a intervenções na recuperação de terrenos, construção de socalcos, banquetas e reflorestação, estando agora igualmente na disposição de ser uma parceria do Ministério da Agricultura e Ambiente na recuperação das zonas fustigadas pelos recentes incêndios florestais em Ribeirão Fundo.

A Amupal é uma das parceiras do projecto Estratégias Agroecológicas para uma Agricultura Resiliente na África Ocidental (CIRAWA, na sigla em inglês), lançado há um ano em Santo Antão.

Já produziu mais de um milhar de plantas que vão ser fixadas no perímetro do Planalto Leste assim que caírem as primeiras chuvas em Santo Antão.

O projecto é financiado pela União Europeia ao abrigo do programa Horizon Europe e promovido pela Associação para a Defesa do Património de Mértola (ADPM), em Portugal, abrangendo Cabo Verde, Senegal, Gâmbia e Gana.

JM/AA

Inforpress/Fim 

 

12/07/24 08:53

Porto Novo, 12 Jul (Inforpress) – Os moradores do Planalto Norte, no município do Porto Novo, em Santo Antão, querem que o Governo assuma a requalificação da estrada Campo Redondo – Chã de Norte – Ribeira da Cruz, que está em “péssimo estado”.

O porta-voz dos habitantes, Fidel Neves, disse à Inforpress que a população e os próprios condutores do Planalto Norte “já se cansaram” de pedir à câmara do Porto Novo obras de reabilitação da estrada que, a seu ver, “está praticamente intransitável”.

Por isso, entende que o Governo deveria assumir esta estrada e proceder à sua requalificação tendo em conta a sua importância para uma parcela do território municipal com “forte potencial económico”, sobretudo a nível do turismo, agricultura e pecuária.

“Já pedimos por inúmeras vezes à câmara municipal a reabilitação desta estrada, mas nada foi feito até agora. Achamos que o Governo deveria assumir esta estrada, atribuí-la o estatuto de estrada nacional e proceder à sua requalificação, dada a sua importância para as zonas do Planalto Norte, Aldeia do Norte e Chã de Norte”, disse a mesma fonte.

No caso da Aldeia do Norte e Chã de Norte, os agricultores dizem estar a enfrentar dificuldades no escoamento dos produtos devido ao “mau estado da estrada”, explicou o agricultor Otelindo Ferreira.

As autoridades municipais já pediram também ao Governo para assumir a estrada Campo Redondo – Chã de Norte – Ribeira da Cruz, estimada em cerca de 30 quilómetros.

A Câmara Municipal do Porto Novo inscreveu no seu plano de investimentos para este ano de 2024 cerca de 20 mil contos na reabilitação das estradas municipais.

JM/AA

Inforpress/Fim 

11/07/24 12:14

Calheta, São Miguel, 11 Jul (Inforpress) – A Câmara Municipal de São Miguel, no interior de Santiago, já tem em curso o seu plano de emergência para época das chuvas deste ano, que prioriza intervenções nas zonas de risco.

Em entrevista à Inforpress, a propósito da época das chuvas, a vereadora da Protecção Civil, Ermelinda Lopes Varela, lembrou que desde o início do ano a esta parte foram realizados um conjunto de intervenções e actividades para minimizar os impactos, principalmente nas zonas de risco.

“O nosso plano não é centrado só em épocas das chuvas, ou seja, a sua actuação é antes, durante e depois das chuvas”, explicou a também vereadora do Urbanismo, Ambiente e Saneamento.

De entre os trabalhos já realizados quer dentro do centro urbano como no rural, destacou limpezas, sobretudo, nas valas de drenagem de água, construções de muros de protecção, substituição de tectos/reabilitação de casas, e obras “estruturantes” em várias zonas outrora consideradas de risco, como Brucha e Manguinho.

Segundo a autarca, o plano, que vai até Novembro e orçado em 40 mil contos, por projectar obras “estruturantes” no âmbito do orçamento municipal, vai ser executado conforme a queda das chuvas e os seus impactos.

Ou seja, ajuntou que em casos de chuvas com ocorrência de cheias, inundações e deslizamento de terras, o município através dos vários pelouros e em articulação com parceiros vai intervir para minimizar os estragos a serem causados pelos mesmos.

Em caso de transferências, Ermelinda Varela informou que as famílias vão ser realojadas.

O plano conta com uma equipa multidisciplinar, designadamente dos pelouros de Ambiente, Saneamento e Protecção Civil, das Obras, do Desenvolvimento Social da Câmara Municipal de Santa Catarina.

A equipa camarária liderada por Herménio Fernandes, no âmbito da preparação do ano agrícola, já reuniu com o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no concelho, João Soares.

De entre as medidas a serem tomadas destacam-se a aquisição e venda de sementes, a disponibilização de equipamentos e pulverização para o combate às possíveis pragas que normalmente assolam as plantações.

Em São Miguel, segundo o MAA, os agricultores já estão com a terra preparada e esperam pela queda das primeiras chuvas para as primeiras sementeiras.

FM/ZS

Inforpress/Fim

11/07/24 08:36

Porto Novo, 11 Jul (Inforpress) – A delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente no Porto Novo, Santo Antão, tem em preparação a campanha agrícola no concelho, com a prevenção das pragas no centro das preocupações, informou hoje o delegado.

Joel Barros avançou à Inforpress que todas as atenções dos serviços que dirige se concentram na preparação da campanha agrícola, marcada por visitas dos técnicos às diferentes localidades e pelo levantamento de dados sobre a situação agrícola do município, sobretudo a nível de sequeiro.

Estes serviços estão, também, na fase de preparação do isco para evitar a eclosão das pragas, designadamente dos gafanhotos que, quando chove, constituem a maior preocupação dos camponeses. 

A Inforpress constatou alguma azáfama no campo, com os camponeses a efectuarem sementeiras em pó, como é o caso da zona Norte, onde decorrem as sementeiras da batata comum e do milho, segundo o porta-voz, Maduino Lima.

Também, na Zona Leste, os agricultores preparam-se para a realização das sementeiras em pó do milho e de batatas, acreditando nas previsões meteorológicas que apontam para a queda este ano de muita chuva em todo o território nacional.  

JM/AA

Inforpress/Fim 

11/07/24 08:07

Espargo, 11 Jul (Inforpress) - O biólogo e diretor executivo da ONG Projecto Biodiversidade, Albert Taxonera, considerou, no Sal, que a principal acção para gestão das áreas protegidas na ilha é a sinalização das zonas para que os visitantes possam identifica-las.

O ambientalista falava quarta-feira, 10, no final de mais uma etapa de sinalizações que o projecto realiza na ilha, em parceria com o Governo, desta feita na Reserva Natural da Baía da Murdeira.

“Trata-se da única área protegida 100 por cento (%) marinha e a nível da biodiversidade é um dos principais locais onde se pode ver a baleia de bossa, e durante anos pode-se observar muitas espécies de cetáceos, sendo ainda uma das praias de desova de tartarugas marinhas”, explicou o biólogo.

A mesma fonte lembrou que dentro da baía podem ser encontradas também muitas espécies de corais e de tubarões, pelo que disse que se trata de uma área “muito rica” em biodiversidade.

Este projeto de sinalização é o segundo na ilha do Sal, depois da Reserva Natural da Costa Fragata, no sul da ilha, mas a intenção, conforme com Taxonera, é continuar o mesmo trabalho nas outras reservas naturais da ilha.

“Acreditamos que é muito importante identificar as reservas, porque se dissermos que são muito importantes e o povo ou os turistas que visitam a ilha não conseguem identificar onde ficam essas reservas não faz nenhum sentido”, continuou.

Albert Taxonera referiu ainda que o objectivo da sinalização é informar aos visitantes para que depois, tendo conhecimento que se trata de uma área protegida, serem responsáveis pelas suas ações.

Por seu lado, o vereador da Câmara Municipal do Sal para área do Ambiente, Francisco Correia, disse que se trata de um “gesto pequeno”, mas que tem “uma grande relevância” para a ilha.

“Sal é uma ilha pequena em que cada um deve lutar para proteger as espécies endémicas (…), este é um trabalho que vai sinalizar e delimitar a circulação de veículos bem como informar aos visitantes onde podem ou não circular”, frisou o vereador.

O referido projecto de sinalização das áreas protegidas, da autoria do Ministério da Agricultura e Ambiente, implementado na ilha Sal pela ONG Projeto Biodiversidade, conta com parcerias da Câmara Municipal do Sal, da Turinvest e do Instituto do Turismo de Cabo Verde.

NA/AA

Inforpress/Fim

Showing 1 to 12 of 60