Santa Cruz: Casa do Empreendedor da US reúne especialistas para reflectir e debater o agronegócio e o turismo sustentável

31-01-2024 0:28

Pedra Badejo, 28 Jan (Inforpress) – A Casa do Empreendedor da Universidade de Santiago (US) promoveu hoje, em Santa Cruz, uma conferência para reflectir sobre o “papel que o agronegócio e as indústrias criativas têm no desenvolvimento do turismo sustentável”.

Em declarações à imprensa, o presidente da Casa do Empreendedor, José Luís Mascarenhas, explicou que o evento teve como intuito equacionar qual o papel que Santa Cruz poderá desempenhar nesse “desafiante processo de desenvolvimento de Cabo Verde” a nível do turismo sustentável.

Segundo este responsável, para induzir o desenvolvimento do turismo sustentável é preciso ter duas revoluções, a revolução verde e a revolução criativa e é neste sentido que a Universidade de Santiago reuniu no município de Santa Cruz, interior de Santiago, vários especialistas na área, com a presença do ministro da Agricultura e Ambiente.

“Santa Cruz é um concelho forte, visto como um celeiro de Cabo Verde, mas o que se quer é que não seja só o celeiro em potência, mas sim que seja efectivamente um celeiro e que consiga chegar à cadeia de valor do turismo”, sustentou, destacando a um dos focos da conferência.

De acordo com o responsável, existem “grandes desafios” a nível de regularidade, qualidade e acessibilidade aos destinos turísticos nas ilhas do Sal e da Boa Vista e que são estas questões que estiveram sobre a mesa, para se perceber como os operadores poderão estar na linha da frente, nas relações intersectoriais do turismo da hotelaria e assim poderem ser fornecedores privilegiados.

Por seu turno, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, parabenizou a Universidade de Santiago, promotora do evento, realçando que o tema tem tudo a ver com a economia verde e com a cultura, ou seja, sublinhou, tudo o que faz com que estas áreas sejam áreas catalisadoras do desenvolvimento do turismo ou das regiões enquanto destino atrativos para o sector.

Segundo o ministro, esta conferência serviu para enquadrar os diversos temas que foram discutidos e, sobretudo, explicar o que é que a nível do sector bancário está a ser feito para maior valorização da agricultura dentro deste contexto do desenvolvimento do turismo e, acima de tudo, potenciar e promover a reflexão necessária num quadro de articulação.

“O Governo não só planeia, mas executa políticas públicas e é importante que possa também refletir, discutir políticas públicas com outros sectores públicos, os municípios, os vários institutos existentes e com as organizações da sociedade civil, com as empresas, com a academia, tudo numa lógica de complementaridade de sinergia, de modo a se poder ganhar maior consenso à volta das políticas públicas importantes para o desenvolvimento sustentável do país”, considerou.

Para este governante, Santa Cruz é um município com “bastante potencial”, não só a nível do sector primário, mas também a nível do turismo, e esta conferência permitiu realçar as potencialidades e as oportunidades existentes.

A conferência, segundo o ministro, permitiu fazer, igualmente, uma análise muito clara daquilo que são as fraquezas existentes, de modo a se poder harmonizar tudo aquilo que constitui os interesses das várias partes envolvidas.

Já o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva, evidenciou que o município  pretende apostar cada vez mais na produção agrícola, com a ambição de transformar Santa Cruz num polo de agronegócio na ilha de Santiago e, quiçá, de Cabo Verde, justificando que o município possui potencialidades a nível da agricultura, mas também da pecuária e da pesca, gozando em tempos do título de ser o maior exportador nestas áreas.

Entretanto, destacou que o desafio agora é, sobretudo, para o turismo e que para isso é necessário apostar cada vez mais forte na produção nacional, de forma a garantir o mercado nacional, promover o município, e encontrar uma marca para o sector do turismo.

Para o autarca, já que se reconhece ou se fala do turismo como sendo um motor de desenvolvimento económico, é preciso saber que “nenhum motor funciona sem combustível”, considerando assim que para o município, a agricultura, pecuária e pesca se posicionam como um verdadeiro “combustível” para o desenvolvimento do turismo de Santiago e particularmente de Santa Cruz.

Esta conferência, a terceira realizada em Santa Cruz, insere-se no âmbito do programa US Comunidades promovida pela Universidade de Santiago e segundo o presidente da Casa do Empreendedor, visa não só visitar o município que acolhe a US Comunidades, mas também dar o contributo nas várias áreas do saber da universidade.

Também, destacou que o programa tem como foco descobrir aquilo que o concelho tem de bom para oferecer ao país e proporcionar momentos de reflexões como uma forma de dar o seu contributo.

Como conferencistas, estiveram presente Francisco Sanches, administrador do Instituto do Turismo de Cabo Verde (ITCV), Sandra Mascarenhas, do Instituto do Património Cultural (IPC), Érico Teixeira, em representação do Hotel Pestana Trópico, Manuel Amado, PCA da Empresa Monte Negro e Gil Moreira.

No final foi feita a abertura da primeira edição da Feira das Economias Criativas, a decorrer à frente do Paços do Concelho.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Notícias Recentes


20-06-2024 14:52
20-06-2024 14:45
20-06-2024 14:42
20-06-2024 14:40
20-06-2024 14:33