Presidente da República pede "resolução definitiva" do problema dos transportes aéreos (c/áudio)

29-02-2024 18:49

Mindelo, 29 Fev (Inforpress) - O Presidente da República apelou hoje, no Mindelo, a uma resolução definitiva do problema dos transportes aéreos interilhas em Cabo Verde afirmando que uma solução é crucial para a “competitividade da economia e coesão nacional”.

José Maria Neves, que foi questionado sobre a decisão do Governo de retomar os voos domésticos dos Transportes Aéreos de Cabo Verde, considerou que a “situação é critica”, e que é “fundamental” que se resolva o problema a bem da mobilidade de pessoas e bens e para garantir a coesão territorial do País.

“Houve rupturas. Há, neste momento, constrangimentos fortes tanto ao turismo como à mobilidade de bens internamente, que são essenciais para a nossa economia. As medidas que são anunciadas têm sido muito parciais e não nos permitem ter uma ideia global de todo o quadro. É fundamental que o Governo apresente um quadro global, mais estável, que permita a todos terem uma ideia de como as coisas vão ser feitas e também com o que podem contar designadamente para a tomada de decisões a nível de decisões, empresas, de famílias e para o desenvolvimento global do País”, aconselhou o chefe de Estado.

Para o Presidente da República é importante que as medidas sejam tomadas porque o país não pode continuar nesta situação.

“É importante que o Governo adopte medidas, só que não temos todos os elementos, os dados ainda são contraditórios”, lançou a mesma fonte, acrescentando que “há o aluguer, por parte dos TACV, de um avião da Air Senegal que vai fazer ligações nalgumas ilhas, nem todas, e há a Bestfly que diz que vai continuar, mas o Estado também é acionista da Bestfly”, pelo que, acrescentou, “os dados ainda não são muito claro de como as coisas vão acontecer”.

“Temos de perceber bem todos os meandros desta medida, como é que as coisas vão evoluir, como é que as empresas vão funcionar e que investimentos vão ser feitos para podermos ter um quadro mais estável que permita um desenvolvimento adequado deste sector dos transportes”, reforçou.

Questionado se ele foi informado desta decisão, o Presidente da República informou que falou com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, na semana passada, sobre a questão dos transportes e teve conhecimento de “parte dessas informações”, mas ainda não tem “todo o quadro de como é que as negociações foram feitas com a Bestfly e como é que vão continuar a ser feitas”.

Ao ser questionado novamente pelos jornalistas, José Maria Neves confirmou que, no Governo do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), do qual era primeiro-ministro, apresentaram estudos com a ideia de transformar a TACV em quatro empresas, sendo uma de handling, outra internacional, uma interilhas ou regional e outra de manutenção para prestar serviços a todas as áreas.

No entanto, avançou, o novo Governo fez “legitimamente outras opções”.

“Fez-se uma primeira reforma que foi a criação do handling. Lembrem-se que o handling era também TACV, portanto é património da TACV, e hoje vai ser privatizada, E a ideia era criar mais três empresas. Os estudos já estavam feitos”, recordou José Maria Neves, reforçando a necessidade de ter “definitivamente um quadro claro de como as coisas vão se evoluir no futuro”.

CD/CP

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


20-06-2024 15:17
20-06-2024 14:52
20-06-2024 14:45
20-06-2024 14:42
20-06-2024 14:40