Ilha do Sal: Direcção do Liceu Olavo Moniz garante medidas adicionais de segurança para pôr cobro à violência na escola

06-02-2024 19:31

Espargos, 06 Fev (Inforpress) - A direcção do Liceu Olavo Moniz, no Sal, garantiu hoje que medidas adicionais de segurança estão a ser tomadas para pôr cobro à violência na escola, de modo a restabelecer a tranquilidade no ambiente escolar.

Luísa Graça, directora da Escola Básica e Secundária Olavo Moniz (EBSOM) falava à imprensa esta tarde, na sequência das ocorrências de violência praticadas por grupos rivais, ditos gangs, nesse agrupamento escolar, com o intuito de esclarecer e informar o que se tem vindo a fazer juntamente

com instituições parceiras e comunidade educativa, para melhorar o ambiente escolar e a segurança dos alunos.

Nesta base, indicou que a instalação de vigilância por câmaras e controlo de portões, a presença de profissionais especializados em segurança, deverão ser, de entre outras, as principais medidas de intervenção a serem implementadas no EBSOM, para fazer face à violência naquele estabelecimento de ensino.

“Este incidente é um caso pontual e não reflecte o espírito ou os valores de nossa escola. Neste momento, é crucial que permaneçamos unidos como uma comunidade, oferecendo apoio uns aos outros e trabalhando em conjunto para enfrentar quaisquer obstáculos que possam surgir no caminho”, exteriorizou.

Sobre os últimos acontecimentos de violência, a responsável conta que o Conselho de Disciplina, sob orientação da Inspeção Geral da Educação, conforme referido pela delegada Márcia Graça, está a investigar as ocorrências vivenciadas, ultimamente no liceu.


“Estamos comprometidos em garantir que todas as situações sejam analisadas minuciosamente e que as medidas apropriadas sejam tomadas para garantir um ambiente seguro e respeitoso para todos os envolvidos”, enfatizou, apontando que o aluno agredido e a sua família receberão todo o suporte necessário, incluindo o acompanhamento psicológico, com início esta quarta-feira.

“Nosso compromisso é fornecer todo o apoio emocional e psicológico indispensável para garantir o bem-estar e a recuperação do aluno”, sublinhou Luísa Graça, que ao mesmo tempo apela ao envolvimento dos pais no combate à violência, pois a situação tem que ser vista, conforme acentuou, através de uma “abordagem sistémica”.

“Ao abordar essas áreas de preocupação e trabalhar em colaboração com todas as partes interessadas, a escola pode continuar a melhorar e oferecer um ambiente de aprendizado positivo e enriquecedor para todos os alunos”, comentou, desejando superar esse “momento difícil”.

Por seu lado, a delegada da Educação local, Márcia Graça, repudiando tais actos de violência, complementou, enunciando que de imediato foram adoptadas medidas de contenção, persuasão e de investigação das ocorrências vivenciadas, destacando o reforço do policiamento de proximidade no âmbito do Projecto Escola Segura.  

“Que já se encontra em efectividade operativa desde o inicio do ano lectivo, mas com os últimos acontecimentos houve um grande reforço, enquanto meio de prevenção, persuasão, mas também como apoio e suporte à segurança e integridade das escolas no Sal”, concretizou.  

Além destas, acrescenta que outras medidas suplementares de reforço de segurança estão também a ser ajustadas, nomeadamente o reforço da sensibilização estudantil, comunitária, socioeducativa e familiar.

“Porque acreditamos que este trabalho deve ser feito em conjunto, pois é da responsabilidade de todos, cada um dentro da sua esfera de competências”, concluiu.

SC/JMV
Inforpress/Fim
 

Notícias Recentes


21-06-2024 8:04
21-06-2024 7:51
20-06-2024 22:21
20-06-2024 21:52
20-06-2024 21:37