Director-geral da Organização Oeste Africana da Saúde satisfeito com indicadores em Cabo Verde (c/áudio)

08-03-2024 18:21

Assomada, 08 Mar (Inforpress) - O director-geral da Organização Oeste Africana da Saúde (OOAS) mostrou-se hoje satisfeito com os indicadores de Saúde de Cabo Verde e comprometeu-se a “tudo fazer” para que continue a ser um “bom exemplo” a nível da CEDEAO.

Melchier Athanase Aissi falava à imprensa à margem da sua visita à Região Sanitária Santiago Norte (RSSN) no âmbito da sua visita de três dias a Cabo Verde, que termina este sábado, onde visitou o Hospital Regional Santa Rita Vieira (HRSRV), em Achada Falcão, Santa Catarina, e as delegacias de saúde de Santa Cruz, São Lourenço dos Órgãos e de São Miguel.

“Estou contente com os indicadores de saúde de Cabo Verde e também do Hospital Regional Santa Rita Vieira em Santiago Norte, sobretudo a nível da mortalidade infantil e materna, são os melhores possíveis a nível da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO)”, congratulou-se, augurando que o país continue o mesmo caminho.

E tendo em conta que, segundo ele, Cabo Verde é um “bom exemplo” no espaço da CEDEAO a nível de indicadores de saúde a vários níveis, pediu às autoridades cabo-verdianas para ajudarem outros países da região, para que estes possam melhorar os seus indicadores, sobretudo no que tange a mortalidade infantil e materna.

Este responsável, que esteve acompanhado da directora nacional da Saúde, Ângela Gomes, e do director da RSSN, João Baptista Semedo, destacou o facto de o HRSRV ter registado apenas duas mortes de bebés pré e pós-parto anual.

“É isso que queremos na CEDEAO, que ninguém falece quando está a dar vida a uma outra pessoa. Infelizmente em outros países [da sub-região africana] temos esta situação e os indicadores não são como os de Cabo Verde e a mesma coisa para outros indicadores de saúde”, defendeu Melchier Athanase Aissi.

Nesse sentido, encorajou Cabo Verde a continuar nessa mesma direcção e comprometeu-se em “tudo fazer” a nível da OASS para apoiar o arquipélago para que continue a ser um “bom exemplo” para outros países da CEDEAO.

Prometeu ainda ajudar Cabo Verde com viaturas apropriadas para que continue a prestar os cuidados primários à população, sobretudo em comunidades como as da região Santiago Norte.

Na ocasião, informou que já felicitou a ministra da Saúde, Filomena Gonçalves, pela certificação de Cabo Verde como um país livre de paludismo, notando que este processo se iniciou há 10 anos com a organização que dirige e que deu “apoio continuado” ao país para que pudesse conseguir tal feito.

“A OASS está satisfeita com este resultado e vai continuar a apoiar Cabo Verde para que não haja retrocesso e para que Cabo Verde continue a ser exemplo para outros países da CEDEAO”, comprometeu-se.

Por sua vez, a directora da Saúde, Ângela Gomes, considerou a visita do director-geral da OOAS “extremamente importante” para o país, sustentando que a mesma demonstra a intenção em reforçar a parceria existente, e também aumenta a disponibilidade em colaborar com Cabo Verde.

“A OOAS é uma organização extremamente forte de ponto de vista a representação a nível da África e tem os seus recursos que coloca disponível e nós vamos procurar financiamento para os nossos programas de saúde”, disse, acrescentando que Cabo Verde tem recebido uma contribuição orçamental “significativa” por parte da OOAS.

Cabo Verde, segundo Ângela Gomes, vai aproveitar a estada do director-geral da OOAS para demonstrar os seus desafios, através dos indicadores.

E ainda mostrar os seus planos estratégicos e o alinhamento das políticas nacionais de saúde com as que são as premissas das maiores organizações que têm implicância na saúde a nível mundial e da OOAS e tirar lições para poder melhorar os investimentos da saúde, através da OOAS.

FM/CP

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


21-06-2024 22:18
21-06-2024 20:26
21-06-2024 20:23
21-06-2024 20:12
21-06-2024 19:35