Ver Noticias

Futebol/Campeonato CV: Sanjoanenses querem sair da competição com uma vitória frente à Ultramarina

Santa Catarina: Vereador responsável pela Protecção Civil considera “legítima” a greve dos bombeiros

Porto Novo/Chã de Norte: Escassez de água para agricultura e péssimo estado da estrada de acesso preocupa agricultores

São João 2024: Porto Novo palco de vários eventos culturais no âmbito das festividades do santo padroeiro

Paul/Festa do Município: Presidente do Vitória Sport Clube do Paul diz que clube “resgata valores nos jovens”

Brava: Autarca refuta acusações do PAICV contra vereadora Ivone Cardoso (c/áudio)

Nova Sintra, 13 Jun (Inforpress) - O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, refuta as acusações do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) contra a vereadora Ivone Cardoso e acusa a oposição de querer “denegrir” a sua imagem alegando “ilegalidades”.

Francisco Tavares, que falava à Inforpress, salientou que o PAICV (oposição) na tentativa de atingir a sua gestão e também da vereadora, isso por ela ter uma avaliação da população “muito positiva”, quer fazer de tudo para manchar a sua imagem.

Os eleitos municipais do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) acusaram esta quarta-feira a vereadora Ivone Delgado Cardoso da prática de uma “situação inusitada” na câmara municipal ao exercer, neste momento, as funções de vereadora a tempo inteiro e de responsável dos Correios de Cabo Verde.

Entretanto, o edil garantiu que tem como provar “categoricamente” que a vereadora em questão não está a usufruir de nada a mais do que a lei permite e assegurou que a vereadora está a meio tempo e não a tempo inteiro como “mentirosamente aquele pequeno grupo que está a dirigir o PAICV tem afirmado”.

“Ivone Cardoso a partir de um determinado momento passou a ser uma vereadora a meio tempo, de acordo com o que a lei estipula, embora, deveria ser aprovado pela Assembleia Municipal, contudo, não houve sessões na assembleia e também tínhamos outro vereador a meio tempo e então a remuneração da Ivone passou a ser de meio tempo, isso a partir do momento que começou a exercer funções numa empresa pública”, explicou.

No entanto, frisou que é de estranhar que o PAICV acuse a gestão camarária deste facto, sabendo que no último mandato da oposição na câmara municipal, tinham quatro vereadores a meio tempo com remuneração na autarquia e também na função pública.

Neste sentido, admitiu que a lei autarca cabo-verdiana prevê situações deste tipo, no entanto, disse saber que no PAICV na Brava existem pessoas “sensatas” que sabem que para fazer a política com credibilidade não devem faltar com a verdade.

“Mas infelizmente aqueles grupinhos da oposição neste município, ultimamente estão a eleger a inverdade, falsidade e a suspeição, sem provas para tentar acusar a autarquia e a sua equipa camarária. Neste momento estamos focados em realizar uma excelente festa de São João e também do Dia do Município da Brava”, finalizou.

DM/ZS

Inforpress/Fim

Ler mais

Direcção Nacional das Receitas do Estado apreendeu em 2023 mais de 41 mil contos em divisas não declaradas

Cidade da Praia, 13 Jun (Inforpress) – A Direcção Nacional das Receitas do Estado (DNRE), através da Delegação Aduaneira do Aeroporto da Praia, efetivou 17 apreensões de divisas não declaradas (euro e dólar), em 2023, totalizando um montante de 41.172.103,49 ECV.

Em comunicado, o Governo, através do Ministério das Finanças, explicou que as apreensões decorreram no âmbito do exercício da sua competência de controlo, sendo que as divisas apreendidas tinham como destino, sobretudo, Lisboa e Dacar.

A mesma fonte avançou que este valor superou as apreensões realizadas em 2022, que atingiram os 9.242.049,63 ECV.

“Tais apreensões de divisas justificam-se pelo facto de não terem sido cumpridos os procedimentos legais, em conformidade com o número um do artigo 11 da Lei no 120/VIII/2016, de 24 de Março, que estabelece a obrigatoriedade de apresentação do formulário “Declaração de Divisas”, explicou a mesma fonte.

Ou seja, clarificou, sempre que os passageiros, nacionais ou estrangeiros, entrem ou saiam do território cabo-verdiano com o montante igual ou superior a 1.000.000$00 (um milhão de escudos), ou equivalente em moeda estrangeira tem essa obrigação.

Trata-se de uma acção, conforme adiantou o Governo, também alinhada às medidas que vêm sendo implementadas para detectar os movimentos físicos de dinheiro líquido, incluindo o sistema de declarações, estabelecidas pelo Grupo de Acção Financeira sobre o branqueamento de capitais (GAFI), organismo intergovernamental.

Isto, visando conceber e promover, a nível internacional, estratégias contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo.

ET/AA

Inforpress/Fim

Ler mais
Metereologia

Vídeos

Santa Catarina: Vereador responsável pela Protecção Civil considera “legítima” a greve dos bombeiros

Assomada, 13 Jun (Inforpress) - O vereador de Saneamento e Protecção Civil da Câmara Municipal de Santa Catarina reconheceu hoje a legitimidade da greve dos Bombeiros Municipais, realçando que todos querem que os seus direitos sejam salvaguardados.

Vladimir Brito fez estas afirmações à imprensa, à margem da greve dos bombeiros iniciada quarta-feira, por tempo indeterminado, dizendo que a equipa tem estado a assumir os seus compromissos, mas, de acordo com as suas possibilidades, e que a questão do não aumento salarial não depende somente da autarquia.

“Consideramos legítimas porque todos nós queremos que os nossos direitos sejam salvaguardados”, disse, realçando que a questão do aumento salarial não depende somente da câmara municipal, relembrando que a autarquia trabalha com orçamento para um ano económico.

Segundo o autarca, desde Janeiro de 2024 os únicos corpos de bombeiros que tiveram aumento salarial foram os de Santa Catarina, na ordem dos 40 por cento (%), e que quanto a reivindicação do subsídio e pagamento com efeito retroativo a 2020 é de uma só pessoa, mas que a câmara não tem este processo no seu poder.

Realçou que para isso é preciso fazer reclamação e exposição, assim como feito com os outros processos.

Vladimir Brito reconheceu ainda que têm de fazer a recomposição do salário do comandante dos Bombeiros, mas pede mais um pouco de compreensão, justificando que o Estatuto dos Bombeiros tem leis que têm que ser aprovadas e legislações que têm que ser retificadas, um assunto que “não cabe a equipa camarária decidir”, evidenciando que neste aspecto têm estado no processo de negociações.

Quanto aos equipamentos individuais para os bombeiros, considerou como uma “reivindicação justa”, evidenciando até que nesta greve se encontra um bombeiro que sofreu queimadura num incêndio, afirmando que a autarquia vai assumir as suas responsabilidades no que tange aos equipamentos, mas não adiantou um período certo.

Vladimir Brito recorreu ao Decreto Lei 61/2020 que institui a questão dos Bombeiros Municipais e a questão da Protecção Civil, realçando que o município não tem bombeiros, mas sim bombeiros voluntários, ou seja, o município não tem quadro de bombeiros.

Outra preocupação que este autarca diz reconhecer como “justa” é no que tange às viaturas, mas relembrou que algumas se encontram inoperacionais por causa dos próprios bombeiros que não os preservaram.

No que concerne à alimentação da corporação, o vereador avançou que a autarquia tem feito o possível para que o pessoal que se encontra na incorporação não sofra. 

Igualmente, admitiu que as casas de banho do local onde se encontram instalados já deveriam estar prontas, garantindo que a equipa camarária nunca negou e nem vai negar nenhum direito aos Bombeiros.

Para finalizar, adiantou que a autarquia está juntamente com o Serviço Nacional da Protecção Civil a trabalhar para dar uma resposta aos Bombeiros, ressaltando também que vão trabalhar para reforçar os seus conhecimentos com mais formações. 

VF/MC//CP

Inforpress/Fim

Ler mais

São João 2024: Porto Novo palco de vários eventos culturais no âmbito das festividades do santo padroeiro

Porto Novo, 13 Jun (Inforpress) – Porto Novo recebe, a partir de 17 de Junho, e durante quatro dias, vários eventos culturais enquadrados nas festividades de São João neste município, destacando-se a morna fest, uma feira de livros e apresentação de obras literárias.

O cartaz dos eventos divulgado pela Câmara Municipal do Porto Novo traz uma feira de livros e a apresentação da compilação das revistas SOCA (Sociedade Cabo-verdiana de Autores), uma exposição de artesanato, a apresentação da obra literária de Mana Guta e o desfile de São João dos mais pequenos.

O morna fest, que se realiza a 20 de Junho, vai contar este ano com Nancy Vieira, Bau, Betânia Almeida, Leontina Fortes, Anita, Domingos e Mário Marta.

O programa traz ainda espectáculos com artistas locais, com a actuação da escola municipal de música, uma oportunidade de mostrar ao público porto-novense o trabalho desenvolvido por esta escola, aberta oficialmente em Dezembro.  

O violinista Ney Évora e os cantores Ilídio da Luz, Tuna Pinto e Ariana Barbosa vão ainda abrilhantar espectáculos na aldeia cultural, onde vão actuar ainda o Fana Silva e o Josimar e a sua banda.

O programa cultural das festas de São João inclui ainda a apresentação do catálogo de São João, uma conversa sobre o papel da juventude na preservação da identidade cultural das festas de São João e o desfile dos grupos de romaria.

JM/CP

Inforpress/Fim

Ler mais

Subscreva na nossa Newsletter

Receba as notícias mais recentes diretamente na sua caixa de entrada. Assine nossa newsletter e mantenha-se informado!"

: 0 / 280

Futebol/Campeonato CV: Sanjoanenses querem sair da competição com uma vitória frente à Ultramarina

Porto Novo, 13 Jun (Inforpress) - O presidente do Clube de Futebol Sanjoanenses, Pedro Cruz, disse hoje que a sua equipa quer sair do Campeonato de Cabo Verde com uma vitória frente à Ultramarina, jogo calendarizado para sábado no Estádio Municipal do Porto Novo.

Neste desafio, que encerra a participação dos Sanjoanenses no campeonato nacional, os azuis da Ribeira das Patas vão competir em nome do “prestigio” desta instituição desportiva e, também, para dignificar o futebol em Santo Antão Sul, declarou à Inforpress o presidente do clube.

“Esperamos sair do campeonato com uma vitória, em nome do nosso prestígio. A equipa está moralizada e acredito que vamos conseguir”, notou Pedro Cruz, para quem o grupo C, ao qual pertence os Sanjoanenses foi o mais competitivo da prova.

Mesmo assim, avançou, os bicampeões regionais em Santo Antão Sul praticam um bom futebol e, apesar de um único ponto conquistado até agora, prestigiou a região de Santo Antão Sul.

Nesta derradeira jornada da primeira fase do campeonato nacional, grupo C, os Sanjoanenses recebem a Ultramarina e o Derby recebe o Boavista.

A equipa do Boa Vista lidera o grupo com 15 pontos, seguido pelo Derby, com dez pontos, e Ultramarina, com três pontos, estando os Sanjoanenses na última posição, com um ponto. 

JM/CP

Inforpress/Fim

Ler mais

Presidente da AN da Costa do Marfim propõe acções concertadas para ultrapassar os desafios da África 

Cidade da Praia, 13 Jun (Inforpress) - O presidente da Assembleia Nacional (AN) da Costa do Marfim propôs hoje o reforço da parceria e implementação de acções concertadas e imediatas para superar os desafios e construir um futuro mais justo, durável e pacífico para os povos.

Durante a sua intervenção na sessão solene especial de boas-vindas, Adama Bictogo lembrou que o continente africano continua a ser confrontado com crises, desafios e enormes problemas a nível de segurança, mudanças climáticas e de estabilidade que necessitam e requer a colaboração acrescentada e acções concertadas de todos.

Segundo avançou, a desregulação climática, a crise energética e a mudança climática são desafios globais e que afectam particularmente os países africanos, e merecem uma especial atenção também a nível políticas ambientais ambiciosas que possam encorajar as iniciativas locais de transição e de resiliência climática.

Por outro lado, o presidente do parlamento da Costa do Marfim propôs um trabalho em conjunto para reforçar as instituições democráticas, promover uma boa governança e garantir a segurança das fronteiras, e através da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), agir e trabalhar para o retorno à ordem constitucional nos Estados que estão em conflitos armados.

“É a hora dos países da nossa sub-região deixar de lado suas divergências e concentrarmos naquilo que nos uniu, oferecendo às nossas populações a possibilidade de superar os desafios e de construir um futuro mais justo, mais durável e mais pacífico para os nossos povos e a nossa solidariedade regional deve ser o fundamento da nossa estabilidade e da nossa prosperidade”, precisou.

Adama Bictogo defendeu ainda o reforço a nível económico, social e político para fazer face aos desafios comuns a nível da CEDEAO, sobretudo na promoção da integração regional.

Segundo disse, a nova ordem geográfica e económica imposta pela guerra na Ucrânia e pelo conflito Israel-Palestina, a inflação financeira galopante, interpela os países da sub-região a reforçar as relações sul-sul, sendo que África é capaz de subir ao mais alto nível.

Adama Bictogo partilha da mesma opinião de que a instalação de uma linha aérea e marítima entre Abidjan e Praia poderá também ser um factor de aceleração de todas as componentes económicas e comerciais e levar ao reforço das relações entre os dois povos e países.

O presidente da Assembleia Nacional da Costa do Marfim, chefia uma delegação que se encontra em Cabo Verde numa visita de dois dias.

Durante o encontro desta manhã, os dois parlamentares assinaram um protocolo de cooperação e à tarde está prevista uma visita ao Núcleo Operacional para a Sociedade de Informação (NOSI).

AV/CP

Inforpress/Fim

Ler mais

Porto Novo/Chã de Norte: Escassez de água para agricultura e péssimo estado da estrada de acesso preocupa agricultores

Porto Novo, 13 Jun (Inforpress) – Os agricultores em Chã de Norte, no interior do município do Porto Novo, em Santo Antão, manifestaram hoje a sua preocupação face aos problemas por que passam, neste momento, sendo de destacar a escassez de água.

O porta-voz dos agricultores, Dinelson Lima, disse à Inforpress que os 61 lavradores locais estão a enfrentar “uma situação difícil” devido a escassez de água para a irrigação, explicando que os 140 metros cúbicos de água que o furo local disponibiliza, diariamente, já não atende à demanda.

Este agricultor pediu ao Ministério da Agricultura e Ambiente para avançar com a execução de um segundo furo em Chã de Norte para aumentar a disponibilidade de água para a agricultura nesse vale.

Devido à escassez de água, a agricultura em Chã de Norte pode estar comprometida, segundo Dinelson Lima, explicando que o intervalo de rega para os mais de 60 agricultores é de 11 dias, um período demasiado longo para as culturas, que, às vezes, se perdem por falta de água.

Uma outra preocupação dos agricultores e da comunidade, no geral, se prende com a situação da estrada de acesso à Chã de Norte, cujo estado dificulta o escoamento dos produtos.

Aliás, os moradores já alertaram às autoridades competentes para a necessidade de proceder à requalificação da estrada, que está a constituir-se num “perigo” para a vida das pessoas.  

Dinelson Lima confirmou que a estrada está em “péssima situação” e que o risco de acidentes nessa via é “muito elevado”, razão pela qual o Governo deveria priorizar a requalificação da mesma “antes que aconteça o pior”.

A Inforpress apurou junto da delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente no Porto Novo que este município vai beneficiar de um programa de perfuração, que contemplará a execução de dez furos.

JM/CP

Inforpress/Fim

Ler mais

Medvedev defende "causar o máximo dano" aos EUA e aliados

Madrid, 13 Jun (Inforpress) – O ex-presidente russo Dimitri Medvedev defendeu hoje "causar o máximo dano" aos EUA e seus aliados pelas sanções contra Moscovo, incluindo entrega de armas "aos inimigos do mundo ocidental" e recurso a notícias falsas.

"Novas sanções norte-americanas. Em breve haverá sanções europeias. É necessário responder? Parece que não, uma vez que já somam dezenas de milhares. Aprendemos a viver e a desenvolver-nos apesar das sanções", escreveu Dimitri Medvedev numa mensagem publicada na sua conta no canal Telegram, citada pela Europa Press.

O antigo presidente da Rússia e actual vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, ressalvou contudo que, "por outro lado, é necessário (responder)".

Medvedev denunciou que Washington e os seus aliados declararam uma "guerra sem regras" a Moscovo, sublinhando que "é necessário tentar causar todos os dias o máximo de dano aos países que impuseram estas restrições" à Rússia e seus cidadãos, insistindo em impor "danos onde se possam causar danos".

Medvedev defendeu a imposição de "danos às suas economias, instituições e governantes" e "danos ao bem-estar dos seus cidadãos e à sua confiança no futuro".

"Para isso devemos procurar as vulnerabilidades chave das suas economias e aplicar-lhes golpes em todas as áreas. Causar danos em todas as partes, paralisar as empresas e agências governamentais", acrescentou.

"Receiam que entreguemos armas aos inimigos do mundo ocidental? Devemos dar-lhes todo o tipo de armas, excepto armas nucleares, por enquanto" defendeu, continuando: "Receiam a anarquia e uma explosão do crime nas principais cidades? Devemos ajudar a desorganizar os seus governos locais".

"Queixam-se da nossa utilização de notícias falsas? Vamos transformar as suas vidas num pesadelo louco em que já não sejam capazes de distinguir a ficção mais clara da realidade do dia-a-dia", disse.

Inforpress/Lusa

Fim

Ler mais

Galeria de imagens