Santa Catarina: Acrides partilha no livro “Os puzzles que se cruzam” metodologia utilizada na sua intervenção (c/áudio)

07-03-2024 19:31

Assomada, 07 Mar (Inforpress) – A presidente da Associação de Crianças Desfavorecidas (Acrides) disse hoje, em Assomada, que a ONG quis com o livro “Os puzzles que se cruzam” partilhar a sua metodologia utilizada ao longo dos seus 26 anos de existência.

“O foco [do livro “Os puzzles que se cruzam”] é partilhar a metodologia utilizada para a nossa intervenção. Tenho por mim que sozinha eu não consigo nada, e tenho que ter outras pessoas para se encaixarem as ideias e os projectos da Acrides. Valorizo muito a parceria e tudo o que é fazer para o bem do outro e Acrides é mesmo isso: somos para as crianças, somos para o trabalho em rede, trabalho em parceria, e trabalho na complementaridade”, afirmou Lourença Tavares.

Esta activista social falava à imprensa em Assomada, Santa Catarina (Santiago), momentos antes do lançamento do livro “Os puzzles que se cruzam”, no âmbito da comemoração dos 26 anos de acção dessa organização não-governamental (ONG), assinalado hoje, cuja apresentação esteve a cargo de Hermínia Curado e Henrique Varela.

“Estou satisfeita com o livro, porque as pessoas que encaixaram no puzzle revelaram o que realmente sentiram para a construção e a vitória que foi a Acrides na vida das crianças e de famílias que precisaram de nós na altura”, exteriorizou, acrescentando que co-autores do livro “Os puzzles que se cruzam” foram os “verdadeiros puzzles” para o sucesso da Acrides durante os seus 26 anos de intervenção.

Questionada se o livro vai ter continuidade, Lourença Tavares, que coordenou o livro, admitiu essa possibilidade, tendo em conta que acredita que Acrides “não vai terminar”.

Sobre a sua sucessão à frente da Acrides, anunciou que está a preparar uma equipa que vai substituí-la à frente desta organização sem fins lucrativos, sem, no entanto, avançar a data que vai deixar o cargo de presidente dessa associação de direito privado, sem fins lucrativos, que se dedica à promoção e defesa dos direitos e deveres da criança e sua família, fundada em Março de 1998.

“Não somos por todo o tempo, e acredito que a filosofia da Acrides é a construção do homem e nós teremos crianças todo o tempo para fazermos dela homens e mulheres de qualidade e com qualidade”, defendeu Lourença Tavares.

“Vamos encontrar [no livro “Os puzzles que se cruzam] muitas novidades. São Puzzles que se entrelaçam, que se juntam, que trabalham. Esses puzzles somos nós, os homens e as mulheres, as famílias, as nossas crianças e jovens. E então ao entrelaçaram-se, ao encontrarem-se esses puzzles nós estamos a trabalhar e a contribuir para o futuro das nossas crianças e dos nossos jovens”, observou a apresentadora Hermínia Curado.

É que, segundo ela, não obstante as histórias do livro terem sido escritas por várias mãos, tudo leva ao mesmo caminho e objectivo que é “conseguirmos todos juntos fazer aquilo que nós queremos para que as nossas crianças e os nossos jovens sejam amanhã os homens e as mulheres que nós queremos que sejam”.

Por tudo isso, defendeu que vale a pena ler esta obra, para quem é um livro aberto que pode ser dado continuidade com outro tema e outro título.

Acrescentou que “Os puzzles que se cruzam” vai contribuir para a formação das crianças, dos jovens, e sobretudo das famílias, que considerou “importantes”, tendo em conta que a educação começa em casa, depois a escola e a comunidade ajudam.

FM/JMV
Inforpress/Fim
 

Notícias Recentes


18-07-2024 9:22
18-07-2024 9:21
18-07-2024 7:58
18-07-2024 7:55
18-07-2024 7:48