Unicef espanhola exige "soluções urgentes" para crianças refugiadas nas Canárias

20-06-2024 8:09

Madrid, 20 Jun (Inforpress) - A delegação espanhola do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) defendeu hoje "soluções urgentes" para as crianças e jovens que estão a ser atendidos pelos serviços de proteção das ilhas Canárias, assoberbados de trabalho.

"Cada vez chegam mais menores de idade sozinhos e muitos não pedem proteção internacional porque as suas necessidades não são identificadas, apesar de muitos virem de países com uma alta taxa de reconhecimento", diz o Unicef na véspera do Dia Mundial do Refugiado, que se celebra na quinta-feira.

Uma das razões para esta situação é "a saturação insustentável do sistema de proteção nas Ilhas Canárias, com mais de 5.600 crianças não acompanhadas", acrescenta o Fundo num comunicado citado pela agência espanhola de notícia, a Efe.

No texto, a delegação espanhola do Unicef exige que sejam encontradas fórmulas para a transferência obrigatória de menores para o resto da península, uma iniciativa em que o governo central está atualmente a trabalhar em conjunto com o governo das Canárias e para a qual procura agora apoio parlamentar.

A Unicef sublinhou também a necessidade de "um maior investimento" e de "instrumentos eficazes" para a aplicação deste tipo de medidas.

Para além das Ilhas Canárias, a Unicef Espanha exigiu também "soluções urgentes" para que todas as crianças e adolescentes refugiados, que representam mais de 40% da população mundial deslocada, tenham os mesmos direitos e oportunidades que os outros jovens, lamentando que o sistema de gestão dos pedidos e de acolhimento dos requerentes de proteção internacional "ainda não seja capaz de dar resposta à nova realidade do asilo em Espanha".

Inforpress/Lusa

Fim

Notícias Recentes


15-07-2024 14:09
15-07-2024 14:01
15-07-2024 13:41
15-07-2024 13:25
15-07-2024 13:19