Ilha do Sal: CV Investment Forum chega ao fim com mais de mil milhões de euros em novos projectos

13-06-2024 22:05

Santa Maria, 13 Jun (Inforpress)- A terceira edição do Cabo Verde Investment Forum chegou hoje ao fim, depois de dois dias de trabalhos, tendo este ano conseguido arrecadar mais de mil milhões de euros em novos projectos destinados a diferentes ilhas.

O evento, que contou com cerca de 300 participantes de várias latitudes, para além de personalidades como os ministros do Turismo de Angola e de Portugal e representantes da agência congénere do Senegal, revelou uma mudança de paradigma no investimento turístico, com uma forte aposta no turismo residencial e no sector da saúde para várias ilhas.

Conforme o vice-primeiro ministro e ministro das Finanças e do Fomento Empresarial, Olavo Correia, há também novidades em termos da captação de investimentos, e o mesmo no que toca ao ecossistema de financiamento.

“Cerca de 1 bilhão de euros, cerca de 300 participantes, centenas de encontros e depois vimos aqui todo o ecossistema financeiro nacional e internacional disponível para financiar bons projectos cabo-verdianos, mas também de estrangeiros que procuram Cabo Verde para investir”, sublinhou.

Para o ministro das Finanças o Fundo Solidário Africano vai injectar cerca de 45 milhões de euros na Pró Garante, como accionista, “para ter mais recursos no ecossistema e poder apoiarmos os microempresários, pequenos e médios empresários cabo-verdianos em termos de novos projectos de investimentos”.

Olavo Correia destacou os jovens e mulheres que apresentaram projectos cabo-verdianos, e que “demonstraram aquilo que estão a fazer a partir do país para o mundo inteiro”.

“Portanto, foi um fórum que permitiu-nos ganhar energia para fazermos aquilo que Cabo Verde precisa, ou seja, escala, velocidade, impacto nos projectos estruturantes transformativos, para que possamos criar oportunidades de emprego e treinamento para os jovens”, continuou.

A mesma fonte frisou que deixou uma mensagem para que toda a equipa que trabalha no Governo “seja um facilitador, não crie complicações, evite burocracias desnecessárias e ajudar para que os empresários possam ganhar em termos de ambição,” e possam fazer mais e melhor para Cabo Verde.

“A nossa obrigação enquanto governantes e enquanto gestores públicos é tudo fazer para que possamos fazer mais, fazer melhor e fazer mais rápido para esta nação que é Cabo Verde”, sustentou.

O vice-primeiro-ministro concluiu afirmando que Cabo Verde tem de ser uma economia diversificada, capaz de criar oportunidades nos mais diversos domínios e de ser também uma economia resiliente aos choques internos e externos.

Para o presidente do Conselho de Administração da Cabo Verde Tradeinvest, José Almada Dias, em termos de volume de investimentos, o fórum termina com novos projectos assinados, avaliados em mais de mil milhões de euros.

“Há aqui ganhos, apesar de termos encurtado o fórum, desta vez foi um dia e meio, mas conseguimos ter um número maior, mais de 30% de reuniões agendadas na plataforma”, frisou.

Segundo a organização, o “CV Investment Fórum” já é uma marca consolidada, e agora o desafio consiste na Internacionalização do evento, estando programados para ainda este ano outros fóruns na diáspora, concretamente em Boston a 02 de Julho, São Paulo, Brasil em meados de Setembro e em Lisboa no mês de Outubro.

No próximo ano, o evento irá expandir-se para o continente africano, começando por Angola e Senegal.

NA/JMV
Inforpress/Fim

Notícias Recentes


15-07-2024 14:09
15-07-2024 14:01
15-07-2024 13:41
15-07-2024 13:25
15-07-2024 13:19