Fogo: Protecção Civil está minimamente preparada para responder eventuais situações de catástrofe – Edson Alfama

01-03-2024 10:13

São Filipe, 01 Mar (Inforpress) – O Comando Regional do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) está minimamente preparado para responder a eventuais situações de catástrofe que possam ocorrer na Região Fogo/Brava.

O comandante regional do SNPCB, Edson Alfama, abordado pela Inforpress no quadro do Dia Internacional da Protecção Civil, destacou que a instituição tem o mínimo para responder a eventuais situações de catástrofe, notando que, desde 2018, mais de 80 bombeiros voluntários dos serviços municipais de protecção civil e bombeiros das câmaras municipais foram capacitados.

“As câmaras têm um serviço mínimo de bombeiros que funciona no período normal e aos fins de semana”, disse Edson Alfama, salientando que o SNPCB está preparado para casos de catástrofe, principalmente para uma eventual erupção vulcânica dispõe de um “plano especial de operação” para evacuar Chã das Caldeiras, além de planos para outros tipos de incidentes ou catástrofes como inundações, incêndios florestais e acidentes.

Esta instituição tem por objectivo aconselhar as câmaras municipais a actualizarem os seus planos de emergência e no contexto nacional está a elaborar projectos e planos para ajudar os municípios neste processo de actualização dos planos de emergência com os novos desafios e mais adequados às situações de catástrofe.

Segundo o mesmo, neste momento a preocupação maior está relacionada com a necessidade da realização de um trabalho de sensibilização da população, pelas câmaras municipais, sobre as cautela a ter no manejo do fogo de modo a prevenir riscos de incêndio.

Para a ilha Brava o SNPCB está a preparar planos operacionais para eventuais situações de catástrofe, como actividades sísmicas para, em caso de necessidade, proceder à evacuação em massa, parcial ou total, para a ilha do Fogo ou para as restantes ilhas do país o que, segundo Edson Alfama, exige grande preparação das instituições locais, serviços descentralizados, ONG e mesmo as comunidades para enfrentar qualquer evento e, em caso de alerta, saber o que fazer.

O SNPCB apoia as câmaras municipais na implementação dos seus planos municipais através da disponibilização de equipamentos e na elaboração de projectos para que tenham um serviço mais eficiente.

“As câmaras municipais, neste momento, dispõem de equipamentos mínimos de combate a incêndios, ambulâncias para transportes de doentes, bombeiros com preparação mínima de primeiros socorros e pré-hospitalar”, referiu.

No ano passado, através da cooperação portuguesa, uma equipa especializada esteve na ilha para fazer a avaliação das necessidades em termos de formação e de equipamentos, aludiu Edson Alfama, acrescentando que no quadro da geminação entre São Filipe e Ourém está prevista cooperação nesta área e que Mosteiros no âmbito da cooperação descentralizada com Ansião (Portugal) realizou no mês de Novembro de 2023 uma formação e está a preparar um projecto para a aquisição de equipamentos.

Além disso, existe um projecto financiado pela Cooperação Luxemburguesa ligado a alerta precoce e os municípios dos Mosteiros e Brava estão incluídos neste pacote que prevê várias intervenções, desde a protecção ambiental, riscos e desastres até à possibilidade de actualização de planos de emergência.

A Cruz Vermelha de Cabo Verde manifestou a intenção de construir um centro de logística na Região Fogo/Brava, mas também o Governo está a equacionar a possibilidade de ter uma estrutura mais forte para o caso de catástrofes e com apoio internacional devendo a mesma ser edificado na ilha Fogo, no município de São Filipe, por ser o mais seguro.

Edson Alfama defende que existe uma articulação mínima com os serviços municipais, apesar das câmaras, no seu entender, precisarem de se engajar mais na questão da protecção civil.

JR/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


14-06-2024 0:17
14-06-2024 1:25
13-06-2024 22:05
14-06-2024 8:00
13-06-2024 19:49