Desastre da assistência marca momento de sofrimento da nossa história que deve ser conhecido pelas gerações vindouras – sociólogo

20-02-2024 1:08

Cidade da Praia, 20 Fev (Inforpress) – O sociólogo Henrique Varela considerou hoje que o Desastre da Assistência, ocorrido há 75 anos, marca o momento de sofrimento na história do país que deve ser visto como momento de reflexão, estudado e conhecido pelas gerações vindouras.

Henrique Varela fez estas afirmações em entrevista à Inforpress, a propósito dos 75 anos do Desastre de Assistência, ocorrido a 20 de Fevereiro, em 1949 na Cidade da Praia, e que ceifou a vida a centenas de pessoas que aguardavam pela distribuição de refeições quentes.

“O desastre é marcado como um momento de sofrimento da nossa história, que deve ser visto como momento de reflexão para agirmos, por exemplo, na base do desenvolvimento de políticas públicas, do espírito de solidariedade e fraternidade uns para com os outros”, afirmou.

Segundo o especialista, este trágico acontecimento deve ser mais estudado a nível da história do nosso país, porque marca um período que os cabo-verdianos sofreram muito devido à fome que assolava o país.

Setenta e cinco anos após o referido desastre enaltece o nível de desenvolvimento que Cabo Verde conquistou, os ganhos alcançados a nível da implementação das políticas públicas e promoção de melhores condições de vida dos cabo-verdianos, salientando que a problemática da fome já está ultrapassada em Cabo Verde podendo haver alguma situação de vulnerabilidade alimentar.

“O que podemos tirar deste trágico acontecimento é a lição da empatia, solidariedade porque isso nos faz colocar no lugar do outro e, psicologicamente, quando começamos a ver o sofrimento e fragilidade do outro tornamo-nos mais solidários e a sociedade precisa desses gestos”, disse.

Defendeu, neste sentido, a necessidade da implementação das políticas públicas que, a seu ver, são uma parte fundamental para o funcionamento e desenvolvimento de uma sociedade que influenciam a maneira como os recursos estão alocados para fins específicos com foco na melhoria da qualidade de vida da população.

“A implementação dessas políticas públicas afecta directamente a vida das pessoas e este dia nos remete para a reflexão e para tomarmos consciência de que as verdadeiras políticas públicas duradouras e direccionadas para a melhor qualidade de vida de um grupo esquecido pelo tempo e isso pode ainda nos remeter para que as políticas públicas possam ser usadas na resolução de situações que afectam todos os cabo-verdianos”, concluiu.

O Desastre da Assistência aconteceu a 20 de Fevereiro de 1949, precisamente no sítio onde fica situada, hoje, a sede da empresa Cabo Verde Telecom, na Várzea.

De acordo com a história, a queda do muro do edifício dos Serviços Cabo-Verdianos de Assistência deu-se por volta do meio-dia, matando de imediato mais de 200 pessoas que aguardavam pela distribuição de refeições quentes.

Esta tragédia está fortemente associada ao período de seca que as ilhas de Cabo Verde atravessavam e, no caso de Santiago, milhares de famintos vinham do interior para a capital em busca de algo para comer, sobretudo mulheres e crianças.

Calcula-se que mais de três mil pessoas reuniam-se diariamente nesse espaço, na Várzea, para receber alimentos. Relatos apontam que inúmeros mortos foram sepultados em valas comuns no Cemitério da Várzea, embrulhados em lençóis, por falta de caixões.

CM/HF

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


14-06-2024 0:17
14-06-2024 1:25
13-06-2024 22:05
13-06-2024 19:49
13-06-2024 19:04