Carnaval/Praia: De homenagens a apelos grupos oficiais prometem surpreender os praienses

08-02-2024 14:47

Cidade da Praia, 08 Fev (Inforpress) – Os cinco grupos oficiais da Praia para o Carnaval de 2024 prometeram hoje surpreender o público com muita folia e alegria, através dos enredos que prestam homenagens e trazem apelos relacionados a figuras e problemáticas sociais.

No dia 13 de Fevereiro, o desfile na Avenida Cidade de Lisboa irá decorrer na seguinte ordem: primeiro o grupo Deusa do Amor Sem Fronteiras, seguindo Vindos de África, Vindos do Mar, Bloco Afro Abel Djassi, e Samba Jó que se sagrou campeão no ano passado.

Para este ano, com o enredo “Santiago Porton di Nôs Ilha - Abraça bo Comunidade sem Máscara”, segundo o presidente do grupo Samba Jô, de Palmarejo, João Teixeira, o objectivo é desfilar para mais uma vitória.

“Estamos a retratar um pouco sobre o racismo entre o povo de Cabo verde, o racismo que existe entre nós”, explicou João Teixeira, prometendo um bom desfile, com muita folia, alegria e muito amor.

De outro lado, em declarações à Inforpress, José Gomes, presidente do grupo mais antigo da cidade da Praia, que no próximo ano completa 40 anos, Vindos de África, leva à Avenida da Cidade de Lisboa "Corda Cabo Verde" para homenagear sobretudo Sportinho um dos fundadores do grupo que participou também no grupo cénico teatral Corda Kauberdi.

"Por outro lado, pretendemos chamar a atenção para despertar o cabo-verdiano em relação à nossa identidade, que está muito aquém daquilo que almejamos, ou seja, despertar o cabo-verdiano para a valorização e preservação de nossa identidade", esclareceu José Gomes, para quem Vindos de África, grupo de Bairro, tem resistido a todos os “descasos” para com o Carnaval da Praia.

Todavia, aquele responsável prometeu levar o melhor ao público na expectativa de que seja atribuído o devido valor ao carnaval da capital cabo-verdiana.

Directamente de Achada Santo António, Bloco Afro Abel Djassi, o grupo criado em homenagem a Amílcar Cabral, irá desfilar com o enredo “Ami é um simples Africano", frase da autoria daquele que foi “um importante líder político e revolucionário da Guiné-Bissau e Cabo Verde”.

O presidente do grupo Bloco Afro Abel Djassi, Gamal Monteiro, asseverou que pretendem superar o desfile do ano anterior, com mais organização e animação.

Ainda de Achada Santo António, o grupo Deusa do Amor sem Fronteiras, irá espelhar as desigualdades sociais daquela comunidade à Avenida Cidade de Lisboa, num enredo denominado “Navegando Contra as Marés da Desigualdade”.

“Escolhemos este tema devido aos vários problemas sociais e desigualdade propositadamente que presenciamos na nossa comunidade de Achada Santo António”, sublinhou Maria da Luz, presidente do grupo, destacando o engajamento da comunidade nos preparativos.

Em Achada Grande Frente, a presidente do grupo Vindos do Mar, Amélia Monteiro, avançou à Inforpress que para este ano escolheram “Litologias do Mar” como enredo, por combinar com a vivência, o quotidiano daquela comunidade piscatória.

 “Mar é fonte de sustentabilidade, principalmente para pessoas da nossa comunidade que vivem praticamente de pesca”, salientou Amélia Monteiro que garante um carnaval cheio de ânimo, brilho e surpresas.

TC/ZS

Inforpress/Fim

Notícias Recentes


20-06-2024 22:21
20-06-2024 21:52
20-06-2024 21:37
20-06-2024 21:14
20-06-2024 20:57