Vice-primeiro-ministro diz que não houve redução do orçamento de funcionamento da Presidência da República em 2022

Cidade da Praia, 06 Jun (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro disse hoje que não é verdade que houve redução do orçamento da Presidência da República, adiantando inclusive que houve um acréscimo dos valores para o funcionamento e despesas correntes em 2022 face a 2021.

Olavo Correia, que falava aos jornalistas à margem da cerimónia que marca a entrada em funcionamento do cabo submarino Ellalink, explicou que os cortes registados dizem respeito ao orçamento de investimento, já que ficaram concluída as obras da residência oficial.

“O valor global diminuiu em relação ao 2021 porque nós investimos os últimos anos na construção de uma residência oficial digna para o Presidente da República, porque pensamos que o Presidente da República merece uma residência digna”, disse.

“Nós investimos valores importantes por forma a que o Presidente da Republica tenha uma habitação oficial com dignidade. É óbvio que não podemos continuar todos os anos a edificar ou a renovar infraestruturas. Quando isso terminar haverá uma diminuição”, explicou.

O vice-primeiro-ministro indicou que em 2020 e 2021 o Governo teve de fazer poupança de quase 4 milhões de contos e que todos os órgãos soberania foram impactados por esse esforço de contenção orçamental.

Ainda assim adiantou que em relação às despesas de funcionamento e das despesas correntes houve um aumento no Orçamento da Presidência da Republica de 2022 em relação a 2021.

“Não é verdade que o orçamento tenha diminuído. O valor das despesas de funcionamento e despesas correntes da Presidência aumentou em 2022 em relação ao esforço que fizemos”, disse.

Em relação às viagens adiantou que quase houve uma triplicação do valor.

“De cinco mil contos passaram para mais de 15 mil contos comparado com orçamento anterior. O valor para as viagens, deslocações, estadas em 2022 quase que foram multiplicadas por três”, precisou.

Olavo Correia, que é também ministro das Finanças, adiantou que o executivo está aberto para “num quadro de serenidade e bom relacionamento institucional”, dialogar com os demais órgãos de soberania para encontrarem as melhores absoluções que dignifiquem a imagem e bom nome da República de Cabo verde.

E neste contexto pandémico, de crise climática e da guerra da Ucrânia disse que todos são convocados a um dever de responsabilidade orçamental.
Recorde-se que o Presidente da República, José Maria Neves, esteve ausente na cimeira extraordinária do Acra, que teve lugar no dia 04 de Julho, tendo sublinhado na altura que as razões logísticas e orçamentais são o único impedimento da sua não participação.

“Nos primeiros cem dias da presidência tive a oportunidade de anunciar que o orçamento da Presidência em relação ao ano de 2020 teve um corte de cerca de 93 mil contos”, disse, afirmando que com este corte está sujeito a sérias restrições para o funcionamento do Palácio da República.

Perante este corte, assegurou que a Presidência está a reprogramar todo o trabalho a nível das ilhas e internacional, tendo em conta as fortes restrições orçamentais da Presidência da República.

MJB/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos