Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Vice-presidente brasileiro afasta possibilidade de destituição de Bolsonaro

São Paulo, 08 Set (Inforpress) – O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, disse hoje que não há condições políticas para a abertura de um processo de destituição contra o Presidente do país, Jair Bolsonaro, que na véspera discursou em dois protestos e ameaçou membros do sector judiciário.

“Não vejo que haja clima para o ‘impeachment’ [destituição] do Presidente, tanto na população, como um todo, como dentro do próprio Congresso”, disse Mourão.

“Acho que o Governo tem uma maioria confortável de mais de 200 deputados lá dentro. Não é a maioria para aprovar grandes projectos, mas é uma maioria capaz de impedir que algum processo prospere contra a pessoa do Presidente da República”, acrescentou em declarações aos jornalistas, pouco antes de partir para a Amazónia com chefes de missões diplomáticas estrangeiras.

Questionado sobre os protestos convocados por Bolsonaro na terça-feira, o vice-presidente evitou fazer comentários sobre os discursos do Presidente, mas destacou que os actos reuniram uma parcela expressiva da população.

“Ontem [terça-feira], você viu uma quantidade enorme, estive aqui na manifestação de Brasília, em torno de 150 mil pessoas estavam ali reunidas, acredito que no Rio de Janeiro e São Paulo chegou também ao redor deste número”, declarou Mourão.

“Então, é uma manifestação expressiva, deixo de comentar deixo de comentar discursos que foram feitos porque é uma questão ética minha, não é o caso de eu comentar”, acrescentou.

Bolsonaro causou indignação da oposição, de partidos políticos de centro-direita e segmentos da opinião pública na véspera ao convocar manifestações de rua e desafiar a justiça brasileira, assegurando que “não mais cumprirá” decisões do juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e que “nunca será preso”.

O chefe de Estado brasileiro ameaçou ainda outros juízes brasileiros, em dois discursos que fez para milhares de apoiantes nas cidades de Brasília e São Paulo, e frisou que aquela manifestação popular representa um ultimato aos três poderes.

Bolsonaro é actualmente alvo de quatro inquéritos no STF e um na Justiça Eleitoral pelos seus ataques ao sistema eleitoral, por divulgar um documento sigiloso, por defender a difusão de mensagens antidemocráticas, por uma suposta ingerência na Polícia Federal e por alegada prevaricação na compra de vacinas contra a covid-19.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos