Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Vice-PM diz que o Governo cumpriu os compromissos em relação ao aumento salarial e ainda tem crédito (c/áudio)

Cidade da Praia, 16 Out (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, afirmou terça-feira, que o Governo está com crédito em relação ao ajustamento salarial, que poderá ser corrigido no orçamento que vai apresentar no próximo ano.

Olavo Correia, que falava na apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2020, que não prevê qualquer aumento salarial, afirmou que o Governo tem cumprido os compromissos assumidos em sede do Conselho de Concertação Social no que se refere ao aumento salarial.

“Quando olhamos para a inflação acumulada de 2016 a 2019 o valor é de 1,9 por cento (%) e nós demos um aumento salarial para o pessoal de quadro comum de 2,2% que é superior a 1,9% e o de quadro especial teve um aumento superior a 10%”, explicou, indicando que não há espaços para mais aumentos.

“Nós temos ainda um crédito em relação ao ajustamento salarial que poderá ser corrigido no orçamento que iremos apresentar durante o próximo ano. Portanto, aqui estamos a cumprir em relação ao pessoal do quadro comum e estamos a cumprir em relação ao quadro especial”, disse.

O ministro das Finanças adiantou que nos últimos três anos de governação houve um grande aumento da massa salarial em Cabo Verde, tendo o montante passado dos 17 milhões de contos para cerca de 24 milhões de contos previstos para 2020.

Um crescimento de mais de 40% que acaba por colocar um desafio do futuro, mas que, segundo indicou, resultou das respostas aos compromissos assumidos a vários níveis.

“Isto significa um aumento salarial acima dos 10% em termos acumulados. Os dados são dados. Factos são factos”, sustentou.

Ademais, Olavo Correia acrescentou que há que se ter sentido de responsabilidade, porque, frisou, ninguém pode pensar em como o país conseguirá criar melhores condições de vida para todos, aumentando salários de forma discriminada e irresponsável.

“Qualquer um de nós quer um salário melhor, mas o salario é o resultado da produtividade”, afirmou acrescentando que só alguém muito irresponsável iria colocar em cima dos aumentos já concedidos mais aumentos salarias.

“Nós temos de ser responsáveis. O país precisa de uma abordagem voltada para o equilibro entre a compensação e a produtividade. Nós não podemos olhar apenas para salário sem olhar para a produtividade”, anotou.

Orçamento de Estado para 2020, cuja proposta foi entregue esta terça-feira à Assembleia Nacional, tem um montante global de 73 milhões de contos, dois milhões de contos acima do orçamento de 2019 e prevê um crescimento económico entre 4,8 e 5,8% do Produto Interno Bruto (PIB).

MJB/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos