Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Vice-PM anuncia negociações com o Banco Mundial para financiar um “amplo” programa habitacional

Cidade da Praia, 07 Jan. (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, anunciou hoje que o Governo está a negociar com o Banco Mundial o financiamento de um programa amplo de promoção habitacional em Cabo Verde.

“Estamos a ultimar o processo negocial com o banco mundial, que não está inscrito no orçamento ainda, mas que uma vez fechado o processo negocial vai ser inscrito para garantir que pessoas menos possidentes, famílias mais pobres, do cadastro 01 e 02 possam ter acesso a habitação”, disse.

O programa deve arrancar aqui na Cidade da Praia e depois vai ser aumentado o envelope para abranger todas as ilhas de Cabo Verde. 

Olavo Correia salientou que o problema habitacional em Cabo Verde “é um problema “crónico e crítico, um problema social fundamental” para as famílias cabo-verdianas.

Neste sentido garantiu que o Governo está “empenhado e engajado” em mobilizar recursos para a criação de um quadro de sustentabilidade para a solução do problema habitacional em Cabo Verde para as famílias menos possidentes, mas também para as famílias com mais posse através de instrumentos vários que irão ser criados para o efeito.

De acordo com dados avançados em Outubro de 2021 pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, o défice habitacional abrange cerca de 11 mil famílias em Cabo Verde.

Para além do défice salientou que há outro grande problema da habitação que tem que ver com a segurança habitacional que atinge cerca de 62.600 famílias.

“Isto em termos de necessidade de investimentos se colocarmos investir em cada casa para reabilitar com mínimo de 500 a 800 contos teríamos de ter pelos menos 30 milhões ou 50 milhões de contos para investir e esse valor tem de ser mobilizado”, disse.

Ulisses Correia e Silva afirmou que há muitas famílias que se debatem com essa situação porque não têm rendimento suficiente para fazer intervenção nas suas casas, exigindo, por isso, um esforço da parte do Estado, do poder público e das famílias.

Assim, para além do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA) em implementação, o Governo vai avançar com esse novo programa a ser financiado pelo Banco Mundial.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos