Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

VI edição da Feira de Cinzas conta com aproximadamente 150 feirantes e diversidade de produtos

Cidade da Praia, 24 Fev (Inforpress) –  A VI edição da Feira de Cinzas, que decorre hoje no largo do Estádio da Várzea, na Praia, conta com 150 feirantes e com diversidade de produtos que deverão constar na ementa do almoço de Cinzas.

Com o objectivo de expor e vender os produtos tradicionais para a festa de Cinzas, celebrada na quarta-feira, 26, a Câmara Municipal da Praia realiza durante dois dias esta feira de cinza.

Uma das responsáveis pela realização da feira, Maria José informou que este ano inscrevam-se 150 feirantes do Mercado Municipal da Praia, do Mercado de “kotxi Pó”, algumas vendedeiras vindas da ilha Brava, entre outras.

Numa ronda entre os ‘stands’, a Inforpress constatou que todos os ingredientes essenciais para a confecção dos pratos típicos para o almoço de Cinzas estão em abundância, desde peixe seco, couve, mandioca, batata-doce, cenoura, coco, “trotchida” (feita com feijão, ovos e óleo de coco, havendo também abundância de tubérculos e legumes cozidos), xérem, farinha de trigo, mel, entre outros.

Em termos de preço, os produtos não sofreram alterações em comparação com o ano anterior, isso devido ao terceiro ano consecutivo de seca registado no país.

Um quilo de mandioca está a ser vendido a 300 escudos, batata-doce varia de 180 a 200, couve 100 a 120, batata inglesa entre 100 e 120 escudos, cenoura 100 escudos, banana verde 120.

O preço de peixe seco, um dos principais ingredientes para o almoço de Cinzas, varia entre os 800 a 1000 escudos o quilo.

O mel, para acompanhar o cuscuz, está a ser vendido a 300 escudos/litro, a farinha de milho para confeccionar o cuscuz pode ser encontrado por 100 escudos, a farinha para o xérem a 200 escudos, coco entre 160 a 200 escudos por unidade, enquanto a “trotchida” está a ser vendida por 700 escudos.

A procura, segundo algumas vendedeiras ouvidas pela Inforpress, ainda é pouca, mas a esperança é que no período da tarde ou amanhã de manhã seja melhor.

Maria José Tavares é uma das vendedeiras da ilha Brava e todos os anos, por essa altura, desloca-se à cidade da Praia para vender peixe seco.

Este ano, informou, os peixes secos estão em menor quantidade do que nos anos anteriores porque como não havia peixe suficiente na Brava foi difícil salgar com antecedência.

Para os que preferem apenas apreciar o almoço de Cinzas, e não confeccionar, alguns restaurantes da capital oferecem o tradicional almoço, designadamente, As Campanas, Bom Vivant, Brizza, café Sofia, D COncept, Flor de Liz, Hotel Palace Restaurante, Ipanema, Kaza Katxupa, Kebra Cabana, O Poeta Lounge & Food, Osteria N.3.

A quarta-feira de Cinzas marca o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão e ocorre 40 dias antes da Páscoa.

Normalmente, neste dia, segundo a Igreja Católica, os cristãos devem cumprir um dia de jejum (uma refeição plena e duas meias refeições) e absterem-se do consumo de carne ou de caldo de carne.

MF/AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos