Vendedeiras de peixe do Porto da Praia exigem melhores condições e abertura do novo mercado

 

Cidade da Praia, 02 Out (Inforpress) – A abertura do mercado de comercialização de peixe no Porto da Praia continua a ser alvo das críticas das vendedeiras que exercem neste momento a sua actividade ao lado desta infra-estrutura, concluída há mais de um ano.

“O novo mercado de peixe está pronto há mais de um ano e continuamos a vender no espaço ao lado, debaixo do sol ardente e sem condições”, queixa-se a porta-voz de um grupo de peixeiras, Maria Semedo “Tufuca”, durante a visita dos deputados do PAICV de Santiago Sul ao Cais de Pesca da Praia para se inteirarem do funcionamento da infra-estrutura, os avanços e constrangimentos.

Para além do mercado de peixe, Tufuca lamentou a falta de gelo para conservar o pescado, espaço para armazenamento de peixe que chega da Cidade Velha, Porto Mosquito, Tarrafal, Ribeira da Barca e outras localidades da ilha de Santiago.

“Temos estado a vender o pescado num espaço sem condições higiénicas porque não nos deixam entrar no novo mercado de peixe. Temos estado vender o peixe exposto ao sol e à poeira, o que não é bom para saúde das pessoas”, desabafou Tufuca aos jornalistas.

O deputado do PAICV Felisberto Vieira, por sua vez, disse que “esta situação que está a prejudicar os vários chefes de famílias que dependem da actividade piscatória não pode continuar e prometeu que o seu partido vai pressionar o governo e a Câmara Municipal da Praia para abrir esta infra-estrutura económica o mais rápido possível”.

“É incompreensível que o novo mercado, uma infra-estrutura extremamente importante, financiado pelo Governo japonês para desenvolver e modernizar o sector da pesca, se mantenha fechado depois de mais de um ano concluído”, criticou Felisberto Vieira.

O governo do MpD prometeu mais rendimento para as famílias e mais felicidade para os cabo-verdianos, por isso, deve cumprir as promessas, salientou o deputado.

Os deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), eleitos pelo círculo eleitoral de Santiago Sul, têm agendado visitas ao círculo de 2 a 7 de Outubro, priorizando sectores da pesca, da saúde, da educação e da agricultura.

JL/CP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos