Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

UNTC-CS exige que governo cumpra o compromisso da redução da idade de reforma dos marítimos

 

Cidade da Praia, 11 Jan (Inforpress) – A secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos – Central Sindical (UNTC-CS) exigiu hoje que o Governo assuma o compromisso em matéria de redução da idade de reforma dos marítimos de 65 para 60 anos.

Joaquina Almeida falava em conferência de imprensa para apresentar os resultados da reunião que manteve esta quarta-feira, 10, com a comissão executiva da Instituto Nacional de Providencia Social (INPS), onde o assunto foi abordado.

Conforme lembrou, esse assunto vem da década de 90 e foi abordado na última reunião do Conselho de Concertação Social, realizada em Dezembro último, tendo o Governo comprometido em resolver essa questão o quanto antes.

“Os marítimos já estão 23 anos a esperar. Não se pode passar a vida a deliberar e a não cumprir, em especial num órgão tripartido da importância do Conselho de Concertação Social”, disse a sindicalista.

Do encontro com o INSP, realizado esta quarta-feira, adiantou que ficou o compromisso de até finais do primeiro semestre deste ano, o instituto apresentar o resultado de um estudo sobre todos os aspectos ligados à profissão dos marítimos e que será socializado com os parceiros sociais para definitivamente resolver a questão.

Neste sentido, declarou-se esperançada de que até finais de 2018 a questão da redução da idade de reforma dos marítimos seja uma realidade, por forma a dignificar aqueles que labutam “arduamente, enfrentando intempéries”, assim como já aconteceu com os professores e os policias.

“Laboram em ambiente hostis, sujeitos a insolação, tempestades, vibrações, ondulações, isolamento, excessiva carga horária de trabalho, envelhecimento precoce em condições precárias de higiene e segurança”, denunciou Joaquina Almeida, avisando que a central sindical vai lutar de forma “firme e incansável” pelo igual tratamento aos marítimos.

Por outro lado, alertou a Inspecção-geral do Trabalho (IGT) e o próprio INPS a fiscalizarem os armadores, que, conforme afirmou, tem feito descontos nos salários dos trabalhadores e não enviem para a Providencia Social, criando problemas de diversas ordens aos marítimos e seus familiares.

“A classe tem vindo a denunciar esses abusos e neste quesito a lei é clara: havendo incumprimento por parte dos armadores , as instituições inspectivas podem sancionar nos termos da lei”, salientou, afirmando que os marítimos, apesar de “abandonados e esquecidos” ao longo dos tempos, “têm contribuindo, grandemente”, pelo desenvolvimento do país.

MJB/JMV

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos