Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

UNTC-CS contra o aumento do IVA e do endividamento da dívida pública  

Cidade da Praia, 19 Nov (Inforpress) –A União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde (UNTC-CS) manifestou-se hoje contra o aumento do Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA) e do endividamento da dívida pública alegando que a situação actual do País é “complexa e difícil”. 

A posição foi manifestada pela secretária-geral, Joaquina Almeida, após uma audiência com o Presidente da República, José Maria Neves, para abordar questões sobre a situação económica e social do País e o Orçamento Geral do Estado (OGE) para o ano económico de 2022.  

“Somos contra tudo e mais alguma coisa porque os trabalhadores estão a ser deixados para atrás”, afirmou a sindicalista, que tem uma apreciação negativa sobre o OGE que vai ser debatido no parlamento, no final deste mês.  

A secretária-geral avançou que o encontro serviu para falar sobre a “situação complexa” que vivem os trabalhadores cabo-verdianos, a “subida abrupta” dos impostos, “aumento do custo de vida e o empobrecimento” das famílias.  

“A nossa reivindicação é exigir a reposição ainda que mínima do poder de compra dos trabalhadores e o aumento do salário mínimo nacional”, apontou Joaquina Almeida, que assegurou que essas propostas foram apresentadas no encontro de Concertação Social mas não foram absolvidas.  

Revelou que o Governo não discutiu nem apresentou aos sindicalistas a proposta do aumento do IVA de 15 para 17 por cento (%).  

Joaquina Almeida continua a defender o aumento do salário de 2%, por considerar que a situação do País é difícil e requer o esforço de todos.  

“O Governo sempre descarta e tudo que vem da parte dos trabalhadores não liga, e esqueci que são os trabalhadores que contribuem para o desenvolvimento e produção do País”, referiu a sindicalista, que exige “mais respeito” para com os trabalhadores cabo-verdianos.  

A sustentabilidade do sistema de segurança social é outra questão que preocupa a UNTC-CS e que foi partilhado com o chefe de Estado, José Maria Neves.  

“Pedimos a influência da sua magistratura no sentido de ver o que fazer para os trabalhadores cabo-verdianos”, disse.  

O Orçamento Geral do Estado para 2022 é de 73 mil milhões de escudos, representando uma redução de 2% em relação ao actualmente em vigor.  

Prevê um crescimento até 6%, para fazer a ponte entre a pandemia e a retoma económica, conforme dados apresentados anteriormente pelo vice-primeiro-ministro.  

AV/AA 

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos