Universidade de Santiago ambiciona levar formação de qualidade à diáspora cabo-verdiana nos Estados Unidos

Cidade da Praia, 08 Fev (Inforpress) – A Universidade de Santiago (US) quer dar um “salto maior” levando o ensino de qualidade à diáspora cabo-verdiana nos Estados Unidos e garantir que muitos não fiquem excluídos do sistema educativo, disse hoje o seu administrador executivo.

José Luís Monteiro fez estas declarações à imprensa, no âmbito de uma visita efectuada por um grupo de 45 estudantes da US, de Licenciatura em Direito e em Gestão de Recursos Humanos, para se inteirar do funcionamento da Agência Multissectorial da Economia (ARME).

Na ocasião, defendeu que uma agência multissectorial da economia tem tudo para dar num contexto como o cabo-verdiano que, apontou, seguindo a tendência universal, está-se a assistir a um esvaziamento do poder do Estado com o mercado cada vez mais forte cumprindo a doutrina, reforçando neste sentido, a necessidade de se reinventar o cada vez mais o papel do Estado.

Segundo este responsável, as iniciativas desse estabelecimento de ensino superior, que comemora o seu 10º aniversário, visam, essencialmente, promover a aproximação entre a US e a comunidade.

“Estamos a trabalhar no sentido de levar a Universidade Santiago para perto da comunidade cabo-verdiana onde ela estiver. Trabalhamos muito desde o início, estamos no nosso 10º aniversário e na comemoração estamos a trabalhar, começamos com a aproximação da nossa diáspora em São Tomé e príncipe”, disse, lembrando que a US conseguiu trazer 20 filhos de cabo-verdianos residentes em São Tomé e Príncipe que já concluíram seus estudos e que, actualmente, desempenham cargos de dirigente naquele território.

Um facto que ajuntou, serve de orgulho para os docentes da instituição, avançando que à semelhança dessa acção, a US pretende estender as suas políticas de promoção de ensino e formação de qualidade a distância abrangendo os Estados Unidos da América, através das plataformas digitais.

Esta iniciativa reforçou, visa proporcionar aos cabo-verdianos residentes nesses pontos do globo a oportunidade de terem acesso ao ensino superior e não ficam excluídos do ensino universitários isto, frisou, num regime e no país onde o acesso a ensino é extremamente caro.

José Luís Monteiro fez saber ainda que a Universidade de Santiago tem projecto forte conhecido como a “US virtual” que permite ter plataformas de ensino online a fim de, a partir de Cabo Verde, estabelecer ligação directa com diáspora e a comunidade cabo-verdiana.

A criação da Universidade de Santiago, com sede no interior da ilha, traduz o esforço de um grupo de cidadãos cabo-verdianos.

Ela foi pensada a partir do pressuposto de que a economia do conhecimento constitui uma das mais credíveis vias da inserção competitiva de Cabo Verde no mundo e um dos mais eficazes mecanismos de desenvolvimento humano.

Para tal, ela estará direccionada para a promoção do ensino superior, tendo em conta as necessidades de quadros qualificados e a elevação do nível educativo, cultural e científico, bem como o fomento da investigação científica, fundamental e aplicada.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos