Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

União Africana não é contra a existência dos ACP – ex-secretariado UNECA

Cidade da Praia, 16 Out (Inforpress) – O ex-secretariado executivo da Comissão Económica da ONU para a África afirmou hoje que a União Africana não é contra a existência dos ACP (África, Caraíbas e Pacífico), mas que pautam por um acordo continente a continente.

Carlos Lopes fez estas afirmações em declarações à imprensa, no final de um debate sobre “África na era da integração comercial. Será este o novo Pan-Africanismo?”, organizado na Cidade da Praia, pelo Instituto Pedro Pires para a Liderança, no âmbito da IV edição do Annual Lectures.

“A União Africana não é contra a existência dos ACP, mas acha que os ACP têm determinadas áreas que se devem ocupar, como por exemplo a da questão de ajuda ao desenvolvimento”, disse o economista e professor guineense.

Carlos Lopes ajuntou que a organização africana não tem nenhuma pretensão em se ocupar disso, mas que para determinados domínios como comércio, paz e segurança, migrações, mudanças climáticas, em particular, devem existir um acordo continente a continente.

“Para isso, precisa de um instrumento próprio que não pode ser subordinado a um instrumento dos ACP”, salientou o actual professor na Universidade do Cabo, na África do Sul, e professor visitante da Sciences Po, em Paris.

Segundo o site PALOP-TL EU, no passado dia 28 de Setembro, a União Europeia e 79 países de África, Caraíbas e Pacífico iniciaram negociações sobre o futuro da sua cooperação após 2020.

A ambição é transformar a parceria de hoje em um moderno quadro político voltado para alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Este acordo significará que a UE e os ACP trabalharão em conjunto para alcançar os ODS, tais como as mudanças climáticas, a migração, a paz e segurança.

Para alcançar o impacto pretendido, a futura parceria pretende adaptar-se às novas realidades da União Europeia, África, Caraíbas e Pacífico, considerando as especificidades geográficas de cada um.

AM/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos