UE: Pandemia é “oportunidade única” para repensar a indústria

Lisboa, 23 Fev (Inforpress) – O ministro português Pedro Siza Vieira admitiu hoje que “a recuperação económica vai ser mais demorada” do que o esperado, mas sublinhou que a pandemia de covid-19 é “uma oportunidade única para repensar a realidade industrial” da UE.

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital de Portugal, que discursava na abertura da quarta edição dos Dias da Indústria da União Europeia (UE), lembrou que “a pandemia trouxe impactos profundos e muito assimétricos em diferentes países e sectores económicos”.

“A recuperação vai ser mais demorada do que desejávamos e do que prevíamos nos últimos meses”, afirmou Siza Vieira.

O ministro garantiu, contudo, que a presidência portuguesa do Conselho da UE está comprometida em “ajudar a combater a crise e apoiar a recuperação”, tendo por base três prioridades principais – “promover uma recuperação europeia através da dupla transição digital e ecológica, implementar o Pilar Social da UE, um elemento-chave para garantir a transição justa e inclusiva, e reforçar a autonomia estratégia da UE no mundo”.

Segundo Siza Vieira, os 27 Estados-membros do bloco comunitário estão a “construir um consenso em torno da estratégia europeia da reindustrialização”, dado que, “nas últimas décadas, a liderança da indústria europeia tem sido desafiada” pelo “desenvolvimento de outras regiões mundiais e de novas tecnologias.

Por isso, “é necessário garantir uma autonomia estratégica europeia que mantenha esta liderança” no ecossistema industrial, defendeu.

“No futuro, a indústria vai ter de se adaptar a um novo paradigma, enquanto mantém a sua liderança”, apontou o ministro, acrescentando que a reindustrialização deve ter em consideração a descarbonização e a eficiência energética.

Para Siza Vieira, é importante que a UE se concentre no desenvolvimento de tecnologias e de processos para a produção industrial, de modo a ser “produtora de tecnologia e não uma seguidora e compradora de tecnologias produzidas por outros”.

Segundo o ministro, a Comissão Europeia irá lançar, “nos próximos meses”, uma actualização da estratégia industrial europeia que deve ser discutida pelos 27.

Siza Vieira defende que esta actualização “deve reflectir a importância do mercado único europeu, a coesão e as pequenas e médias empresas (PME), que são a ‘espinha dorsal’ da economia europeia”.

Sobre as PME, o político garante que serão “uma questão transversal essencial” da presidência portuguesa do Conselho da UE, dado que “nenhuma estratégia industrial europeia pode ter sucesso sem a participação das PME na transformação industrial”, defendeu.

“Apoiamos, por isso, a criação de alianças estratégicas industriais dado que podem contribuir de forma significativa para este processo de inovação e ajudar a integrar as PME nos ecossistemas industrial”, concluiu.

O ministro Siza Vieira discursou na quarta edição dos Dias da Indústrias, o principal evento anual da UE sobre a indústria, organizado pela Comissão Europeia.

Esta edição, que decorre pela primeira vez em formato digital devido à pandemia de covid-19, incidirá sobre a aceleração da dupla transição ecológica e digital e as alterações do panorama competitivo global.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos