Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

UE diz que “ameaças” contra liberdade de expressão e de imprensa não condizem com democracia e liberdade de “todos”

Cidade da Praia, 02 Mai (Inforpress) – A alta representante da União Europeia (EU) disse hoje que a liberdade de expressão e de imprensa estão “ameaçadas” e considerou que os ataques contra os meios de comunicação social e jornalistas é contra a democracia e a liberdade de “todos”.

Federica Mogherini fez estas considerações no seu discurso alusivo ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que se assinala a 03 de Maio, tendo, na ocasião, prestado homenagem a todos os jornalistas que, na Europa e no mundo, perderam a vida no exercício da sua profissão.

“Apelamos a todos os Estados para que condenem a violência contra os jornalistas, tomem medidas para reforçar a sua segurança, com especial atenção para as mulheres jornalistas, e levem a julgamento os autores ou instigadores deste tipo de violência”, acentuou.

A União Europeia (UE), afirmou, assenta nos valores da democracia, dos direitos humanos e do Estado de direito, na liberdade e pluralismo dos meios de comunicação social, consagrado na Carta dos Direitos Fundamentais.

Segundo a representante da UE para Política Externa e Segurança, a liberdade de imprensa desempenha um papel crucial na promoção da boa governação, da transparência e da responsabilização, pelo que ressalvou que, a independência do jornalismo é essencial para responsabilizar os Estados e monitorizar os processos democráticos.

“Os meios de comunicação social livres, diversos e independentes, quer seja em linha ou não, são pilares de uma sociedade aberta e pluralista e têm a enorme responsabilidade de assegurar que o público dispõe de informações corretas e verificadas”, asseverou.

Segundo Federica Mogherini, na UE a liberdade de expressão está integrada em todas as políticas e programas de desenvolvimento da comunidade e conduz com a legislação, as políticas e os instrumentos que foram concebidos para reforçar a liberdade dos meios de comunicação social em toda a União e melhorar a transparência, a credibilidade e a diversidade da informação em linha.

Na sua mensagem alusiva à data, garantiu que a União Europeia continuará a financiar projectos específicos em países terceiros visando a melhoria da qualidade do jornalismo, o acesso às informações públicas e, por consequente, o reforço da liberdade de expressão.

“Condenaremos sistematicamente a violência contra os jornalistas e rejeitaremos, em contactos bilaterais com países terceiros e nas instâncias multilaterais e regionais, qualquer legislação, regulamentação ou pressão política que limite a liberdade de expressão, e tomaremos medidas concretas para prevenir e dar resposta aos ataques contra jornalistas”, realçou.

Em mais um dia Mundial da Liberdade de Imprensa, reiterou a determinação da UE em continuar a proteger e a promover a liberdade de opinião e de expressão enquanto direitos que podem ser exercidos por todas as pessoas e em todos os lugares, com base nos princípios da igualdade, da não discriminação e da universalidade, através de quaisquer meios de comunicação, na UE ou além das nossas fronteiras.

PC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos