Ucrânia: FMI diz que Rússia pode entrar em bancarrota devido a sanções

Washington, 11 Mar (Inforpress) – O Fundo Monetário Internacional (FMI) admitiu hoje a possibilidade de a Rússia entrar em bancarrota devido às sanções económicas impostas pela invasão da Ucrânia e alertou que a economia russa está a contrair e a entrar em recessão.

“A falência da Rússia não é mais um acontecimento improvável”, disse a directora-geral do FMI, Kristalina Georgieva, num encontro ‘online’ com jornalistas sobre as implicações financeiras da guerra na Ucrânia.

Georgieva destacou que o que determinará quão forte será a recessão na Rússia será a duração da guerra e as sanções, bem como a possibilidade de que elas se tornem mais severas e afectem as exportações de energia.

A directora-geral explicou que a delegação do FMI em Moscovo está fechada, que a instituição não tem actualmente nenhuma operação em andamento com a Rússia e que os fundos de reserva que a Rússia tem na organização são praticamente inacessíveis ao país justamente por causa das sanções impostas por outros países.

Sobre uma hipotética expulsão da Rússia do FMI, Georgieva explicou que a única forma prevista pelos estatutos da instituição para expulsar um membro é a violação das suas obrigações financeiras, algo que os russos não fizeram até hoje e que, portanto, é um cenário que o fundo não contempla.

Na quarta-feira, o Conselho Executivo do FMI aprovou o desembolso de 1.400 milhões de dólares (cerca de 1.300 milhões de euros) em ajuda de emergência à Ucrânia e alertou que a guerra causará uma “profunda recessão” no país.

O montante aprovado pelo fundo corresponde ao solicitado pelo governo ucraniano, e servirá para “mitigar o impacto económico” da guerra iniciada pela Rússia, disse o FMI num comunicado onde Georgieva admitiu que a necessidade de financiamento da Ucrânia é “grande, urgente” e pode crescer.

Inforpress/Lusa

Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos