UCID critica actuação da AdS em resolver o problema de tampas de esgoto na cidade da Praia

Cidade da Praia, 03 Jul (Inforpress) – O presidente da UCID, António Monteiro, criticou hoje na Praia, a actuação da empresa Águas de Santiago(AdS) em resolver o problema de tampas de esgoto, que “tem posto em causa” a saúde pública na capital do país.

A crítica foi feita durante uma conferência de imprensa sobre o balanço da visita que os deputados da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) realizaram no último fim de semana na cidade da Praia.

“Aquilo que deparamos no terreno, mais concretamente em Achada Santo António, zona do Brasil, é que quase todas as tampas de esgoto nessa área estão em péssimo estado, com cheiro desagradável. Isto influi na vida das pessoas e prejudica de forma acentuada a saúde pública”, constatou.

António Monteiro criticou a postura da empresa incumbida pela distribuição de água e saneamento na ilha de Santiago, AdS, em tardar a resolver a situação, apesar das taxas cobradas pela entidade para prestação de serviço.

“Entendemos enquanto cidadãos e enquanto políticos, que quando se paga uma taxa a uma instituição, ela deve ter todas a responsabilidade para responder de forma clara as ambições e o serviço que é pago pelos cidadãos”, observou o deputado nacional, para quem é “necessário trocar” todas as tampas de esgoto, em más condições na cidade.

O presidente da UCID disse também que as empresas do Estado têm que cumprir “com rigor” aquilo que está estipulado na lei, neste caso as normas de redes de esgoto em Cabo Verde, visto que qualquer “violação deve ser considerada como descaso”.

“Não cumprindo com aquilo que diz a lei, há uma injustiça relativamente a essas pessoas deste bairro, há um incumprimento da própria lei e, portanto, está-se a fazer o descaso relativamente a esta matéria”, denunciou.

Outra preocupação atestada pelo líder parlamentar da UCID refere-se ao valor “anormal”, que é pago pelos cidadãos para a rede de esgotos, cobrada pela AdS.

Esta contestação incide, segundo António Monteiro, no facto de que na rede de água, o cidadão paga 240 escudos de taxa fixa, que é relativamente a utilização do contador, sendo que, “nos esgotos não há contador, como se aplica uma taxa de 20%”.

“A UCID não consegue entender quando se aplica uma taxa fixa que é a taxa do contador de água, no valor de 240 escudos, quase quatro vezes superior aquilo que se paga nas outras ilhas, nomeadamente no Sal e em São vicente. O mais curioso é que dessa taxa fixa vai se buscar 20% para utilização da rede de esgotos” revelou.

Os deputados da UCID estiveram neste último fim de semana a realizar visitas aos bairros da Praia, para se inteiraram dos problemas na população na capital.

HR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos