Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

UCCLA em Macau para dinamizar plataforma entre a China e países de língua portuguesa

 

Macau, China, 12 Jun (Inforpress) – Uma delegação da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) inicia hoje uma visita a Macau, onde vai manter encontros com entidades oficiais e empresariais para dinamizar a plataforma entre a China e o universo lusófono.

A visita de representantes da UCCLA, que decorre até quarta-feira, surge a convite do governo de Macau, antigo enclave português que integra a organização internacional, criada em 1985, e que reúne actualmente mais de 40 cidades dos países de língua portuguesa.

Macau “faz parte da UCCLA desde o princípio e a partir da altura em que a República Popular da China passou a considerar esta Região Administrativa Especial como plataforma de relacionamento com os países de língua oficial portuguesa, obviamente que o interesse – quer de Macau, quer das demais cidades – cresceu na proporção dos objectivos”, afirmou o secretário-geral da UCCLA, Vítor Ramalho.

Neste sentido, “é natural que o governo de Macau tenha feito este convite para a UCCLA vir cá oficialmente”, realçou à Lusa, apontando que, na perspectiva da organização, tal justifica-se com o “objectivo que a Região Administrativa Especial tem de dinamizar, quer o Fórum Macau, quer o fundo criado [pela China] para apoiar os países de língua portuguesa”.

Vítor Ramalho referia-se ao fundo chinês de mil milhões de dólares destinado a investimentos de e para os países lusófonos, criado em 2013, cuja sede foi ‘transferida’ de Pequim para Macau em 01 de Junho, para facilitar a divulgação e o contacto junto dos potenciais interessados.

Neste âmbito, o secretário-geral da UCCLA sustentou ser “do interesse das cidades e dos países” perceber o enquadramento das condições em que as candidaturas ao fundo podem ser apresentadas e, “por intermédio” da sua concretização, “dinamizar as relações de natureza económica e cultural”.

O secretário-geral e o presidente da Mesa da Assembleia-Geral da UCCLA, acompanhados pelo presidente da Associação Empresarial de Luanda, vão ser recebidos pelo chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, e reunir-se com representantes do Fundo e do Fórum Macau, do Instituto de Promoção do Comércio e de Investimento de Macau (IPIM) e do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), que é o correspondente às câmaras municipais e prefeituras em relação às demais cidades da UCCLA.

Estão também agendados encontros com empresários, incluindo com a antiga presidente da Assembleia Legislativa Susana Chou, cujo grupo “tem interesses económicos com o mundo lusófono”, bem como com o Banco da China em Macau, que “manifestou interesse em ter relações de aprofundamento” com a UCCLA.

Lusa/Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos