Tutela da Comunicação Social anuncia para Agosto novo modelo de gestão da Inforpress

 

Cidade da Praia, 26 Jun (Inforpress) – A Inforpress vai “provavelmente” conhecer em Agosto deste ano, um novo modelo de gestão, de acordo com aquilo que está configurado pela lei, anunciou hoje o ministro Abraão Vicente, que reconhece “algum atraso” na implementação da separação da Agência da RTC.

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC), Abraão Vicente, tutela da Comunicação Social, respondia esta tarde, no Parlamento, a perguntas do deputado João Baptista Pereira (PAICV-oposição), sobre a efectiva separação das duas empresas (RTC-Inforpress) e a consequente autonomia financeira da Agência Cabo-verdiana de Notícias – Inforpress.

“Como sabe, adotamos o modelo de gestor único devido à conjuntura em que recebemos a própria Inforpress. Com a aprovação pelo Conselho de Ministros, a Inforpress irá conhecer provavelmente em Agosto, um novo modelo de gestão de acordo com aquilo que está configurado pela lei”, precisou.

Quanto à autonomia financeira da Agência, o governante explicou que em relação aos subsídios a verba que financia as duas empresas está orçamentada na rubrica subsídio das empresas públicas não financeiras, dos encargos comuns do Ministério das Finanças, no valor de 83.512 contos e que, para o roçamento de 2017, foi inscrito este mesmo montante após a tomada de decisão da separação das duas empresas.

Este facto, acrescentou Abraão Vicente, inviabilizou a total independência ou separação das duas empresas, dado que as despesas antes da fusão rondavam os 2.900 contos com o encargo anual de 35 mil contos e passaram, com a separação das duas empresas, a 4.530 contos, devido às consequências da reversão e actualização salarial do pessoal afecto à Inforpress.

“Esse processo tem se arrastado e isso apesar de o MCIC, através da Direcção-Geral da Comunicação Social, ter feito um levantamento da acta do Conselho de Ministros e ter apresentado ao Ministério das Finanças a contabilidade completa para que isso fosse feito de imediato”, reconheceu, justificando que a medida foi apresentada a meio da execução orçamental de 2017.

Entretanto, adiantou que na segunda-feira passada teve uma reunião de trabalho com o ministro das Finanças e que esse trabalho (autonomia) está a ser feito, pelo que contam ainda durante o mês de Julho poder fazer a transferência no valor de 4.530 contos.

Referiu também ao estudo aprovado em Conselho de Ministros que aponta para um aumento do subsídio mensal da Inforpress para 5.000 contos, isso contando com a verba de investimento necessário para a total reestruturação da empresa, o que implicará não só as obras de remodelação total do edifício da Inforpress como todos os investimentos necessários em termos de tecnologia e contratação de novo pessoal.

“Em Agosto também conheceremos, para além do plano de reestruturação da Inforpress outras mudanças que brevemente anunciaremos, mudanças de fundo na gestão da própria empresa em consequência da aprovação do plano de reestruturação”, disse.

O porta-voz do Conselho de Ministros anunciou, em Abril deste ano, que o Governo tomou a “decisão política” de investir na Inforpress, em nome da democracia e “aprofundamento da liberdade de imprensa, da isenção e qualidade da informação”.

“Neste momento, a decisão política é de manter, reestruturar e revigorar a Inforpress”, declarou Fernando Elísio Freire, adiantando na altura, que oportunamente, o Governo, através do ministro de tutela da Comunicação Social, apresentaria ao país o seu plano de reestruturação da Agência Cabo-verdiana de Notícias.

Inforpress/Fim

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos