Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Turquia envia reforços para “impedir” Grécia de “repelir” migrantes

Istambul, 05 Mar (Inforpress) – A Turquia anunciou hoje o destacamento de 1.000 polícias para a margem de um rio que faz fronteira com a Grécia para “impedir” as forças daquele país de “repelir” os migrantes que tentam passá-lo.

“Esta manhã, enviámos para [a zona] ao longo do rio Meriç [Evros, em grego] 1.000 elementos das forças especiais da polícia, completamente equipados, para os impedir de repelir” os migrantes, afirmou o ministro do Interior turco, Suleyman Soylu, numa visita àquela região de fronteira.

A Turquia anunciou na sexta-feira passada a abertura das fronteiras com a Grécia para deixar passar os migrantes que se encontram no seu território.

Desde então, dezenas de milhares de pessoas convergiram para a região fronteiriça, para tentar passar pelos postos fronteiriços ou atravessar o rio, que é relativamente estreito.

A Grécia anunciou que nos últimos dias impediu milhares de migrantes de “entrar ilegalmente” no seu território.
Vários migrantes ouvidos pela agência France-Presse do lado turco da fronteira disseram ter sido repelidos pelas autoridades gregas depois de passar a fronteira, nalguns casos depois de lhes serem apreendidos bens pessoais como telemóveis ou dinheiro.

A Turquia acusou por outro lado a guarda de fronteira grega de ter mortos dois migrantes, o que é categoricamente negado pela Grécia, que fala de “informações falsas”.

Ao mesmo tempo, também segundo a France-Presse, as populações das localidades gregas próximas do rio mobilizaram-se e estão a fazer patrulhas para impedir migrantes de atravessarem o rio.

Em Poros, localidade do nordeste da Grécia junto ao rio, polícias, mas também agricultores, criadores de gado e pescadores bloqueiam todos os acessos “para defender as portas da Grécia e da Europa”.

“Pouco dormi desde aí [o anúncio de abertura de fronteiras pela Turquia]. Dia e noite, faço rondas com o meu automóvel no caminho ao longo do rio para ver se há barcos a tentar acostar na margem grega”, disse Sakis, um agricultor de 38 anos, com uma espingarda de caça ao ombro.

Quando um migrante é localizado, a polícia e o exército são avisados, disse.

A União Europeia (UE) acusa a Turquia de “chantagem” ao utilizar os refugiados e migrantes para pressionar a Europa a dar-lhe um apoio activo no conflito na Síria.

O significativo afluxo de migrantes para a Grécia nos últimos dias fez ressurgir na UE o receio de uma nova crise migratória, semelhante à de 2015.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos