Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Turismo: Secretário-geral da OMT considera seguro viajar para Cabo Verde neste momento (c/vídeo)

Santa Maria, 02 Set (Inforpress) – O secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT) disse hoje que é “seguro”, neste momento, viajar para ilha do Sal, região que classifica como sendo “um dos melhores e mais atrativos destinos para turistas e para investidores”.

Zurab Pololikashvili falava na abertura da 64ª reunião da Comissão Regional da OMT África, a decorrer na cidade de Santa Maria, ilha do Sal, evento que conta com a participação de representantes de mais de duas dezenas de países africanos e de outros continentes que participam na qualidade de observadores.

“Podemos dizer que, de acordo com os números, este País está “covid-19 free”, está praticamente sem covid. Não é fácil manter e conservar esta situação. Esta é uma outra oportunidade para Cabo Verde atrair mais e mais turistas, porque as pessoas querem viajar, as pessoas querem sair de férias e com as restrições nos nossos países torna-se muito difícil. Cabo Verde é um lugar que poderemos retornar com segurança”, afirmou.

Neste sentido, disse que foi uma “decisão inteligente” a realização na ilha do Sal, tanto da 64ª reunião da Comissão Regional como o II fórum global sobre investimento turístico em África.

“Normalmente, fazê-lo em Madrid na Espanha. Há mais de 10 anos temos feito na Espanha. É a segunda vez que estamos a realizar presencialmente no continente africano um evento dessa magnitude, deste tipo. É claro que será aqui o centro para que possamos atrair mais e mais investimentos do sector privado, principalmente em África”, disse.

A intenção da OMT, conforme indicou, é de transformar a África num novo destino turístico mundial e mais atrativo.

Zurab Pololikashvili frisou que o turismo em África não é nada novo, mas sublinhou que o sector mudou, que as pessoas mudaram e a forma de viajar também mudou, pelo que defende que é preciso novas orientações, que deverão sair do encontro do Sal.

“Nada melhor do que ter ministros que sabem mais do que eu para discutirmos, para vermos como vamos planear o nosso futuro, para aumentar, desenvolver e para fazer a África uma nova tendência. Estamos a tentar transformar a África num novo destino turístico, mais atrativo. Portanto, fazendo um rebranding da África”, disse.

Neste sentido, frisou que há um projecto piloto que contemplou Cabo Verde e Namíbia, com uma forte participação das empresas, projecto esse que deve continuar após essa conferência.

“Nós não temos dúvida que a solução passa pela promoção da Africa, do seu potencial, não só como um destino turístico, mas também como um destino de investimento”, disse, adiantando que uma das prioridades da OMT é de promover o turismo para garantir a criação de postos de trabalho, não só em África, como a nível mundial, espacialmente nesse contexto de crise pandémica.

Os eventos contam com a presença de cerca de duas centenas de participantes, entre ministros do turismo do continente africano, observadores, corpo diplomático, investidores, representantes de instituições financeiras internacionais, altos dirigentes e especialistas de sectores público e privado e demais stakeholders do turismo.

MJB/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos