Turismo: POT estimula empresas a se preparem para integrar cadeia de valor do turismo – Governo

Espargos, 28 Mar (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, asseverou, no sábado, que o Programa Operacional do Turismo (POT) procura fomentar as empresas cabo-verdianas a prepararem-se para integrar a cadeia de valor do turismo e trabalharem em bloco.

Carlos Santos falava à imprensa à margem de um seminário sobre “Planeamento do Turismo”, dirigido aos vereadores ligados ao sector, quando questionado sobre as dificuldades em se aproveitar o potencial local, nomeadamente a nível do sector primário, a agricultura e outras indústrias, de modo a produzir efeitos e proveitos na nossa economia.

Considerando que o turismo possui “grande interacção” com outros sectores, tanto directa quanto indirectamente, gerando empregos, desenvolvimento, crescimento económico e melhoria nas infraestruturas, o governante disse que um dos objectivos do POT é levar com que haja uma maior inclusão de conteúdo local na cadeia de turismo.

“Ou seja, trazer a produção agrícola, do artesanato, trazer as indústrias criativas para o turismo (…) aumentar os impactos positivos que o turismo tem na economia, através das famílias e das empresas”, sublinhou.

Entretanto, defendeu que para isso, é preciso preparar o sector primário de uma forma geral, e preparar, conforme referiu, significa melhorar a qualidade, ter previsibilidade na produção, quantidade e preço, notando que para isso, há que contar com a ajuda do Ministério da Agricultura, do empresariado local, para que essa produção possa, de facto, chegar aos hotéis.

“E o POT vem contemplar muito desse trabalho, através de projectos de fomento empresarial que não se circunscrevam só à restauração ou hotelaria. Queremos ir mais longe. Queremos olhar com uma visão mais holística, vendo o sector agrícola que é um sector rebocado pelo turismo em qualquer parte do mundo”, explicou.

“E quando frisamos que há um potencial muito grande no mercado de consumo dos hotéis, é para aí que estamos a olhar, e para isso temos que modelar aquilo que a montante, é a nossa produção agrícola para podermos chegar aos hotéis com um produto de qualidade, porque o turismo é qualidade, consumo, e os consumidores exigem qualidade”, concretizou.

Nesta medida, reiterou que o Programa Operacional do Turismo procura responder, com “alguma ajuda”, trazendo algum valor, para fomentar as empresas a trabalharem em bloco.

“Porque só assim, num país pequeno como o nosso, com pequenas explorações agrícolas, a nível agropecuário… só actuando em bloco, criando clubes de fornecedores, é que poderemos chegar lá. E aí o POT tem essa possibilidade de olhar para este sector, juntamente com outros departamentos governamentais, trabalhar em conjunto. E esta é a nossa ambição”, concluiu o governante.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos